Montfort Associação Cultural

26 de janeiro de 2005

Download PDF

Propaganda anti-católica da mídia

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Leonardo
  • Localizaçao: Londrina – PR – Brasil
  • Religião: Católica

Minhas saudações! A cada dia que passo e visito mais o site, percebo o quanto esta obra é bela e deve servir de testemunho a mais pessoas. Fiquei simplesmente horrorizado e profundamente triste e chocado ao ver o comentário sobre mensagens subliminares em músicas “católicas”. Gostaria de saber se há casos de músicas em português.

Outra coisa que me deixou chocado, é o fato de como a imprensa quer desmoralizar a Igreja Católica. Na revista Super Interessante desse mês vem na capa Hittler, bem claro com uma cruz na sua roupa. Obviamente, fizeram menção de Hittler à Igreja Católica. Na mesma revista, nos fala que o Vaticano mantém Indústrias de armamento químico, biológico e nuclear espalhados pelo mundo, além de manter Instituições sem ligação alguma com Deus (entende-se por todas as coisas ruins). No dia-a-dia sai comentários de Bispos que agem por interesses políticos, além de padres que se envolvem em orgias sexuais. Enfim, somos obrigados a pegar ódio pela Igreja Católica. Por mais perserverantes que sejamos, não é fácil. Por isso sempre rezo pelo clero. Gostaria que vocês me esclarecessem se houve/havia alguma ligação entre Hittler e a Igreja Católica, se a Igreja Católica mantém essas indústrias mencionadas.

Mudando um pouco de assunto: é errado semi-fechar as mãos e estendê-las rumo ao altar durante o “Por Cristo, Com Cristo e em Cristo”? E o que vocês acham dos comentários sobre cada livro, vindos na Bíblia Ave-Maria? Posso confiar neles?

Chamamos a Igreja de Igreja Católica Apostólica Romana. Da onde vem a palavra Católica e o que significa?

Sinto muito por fazê-los perder tempo com meus e-mails, mas tenho muitas dúvidas. OBS: nos últimos e-mails me dirigi a Orlando Fedeli, mas é porque não tinha visto que há outras pessoas que respondem os e-mails.

Muito prezado Leonardo, salve Maria!

Muito lhe agradeço suas palavras de elogio ao site Montfort. Deus lhe pague.

Católica quer dizer universal, porque a Igreja foi feita por Cristo para salvar todos os homens, e não só um grupo determinado de pessoas.

Por exemplo, hoje, se diz que a Igreja fez opção pelos pobres. Esse é um erro, porque leva a pensar que a Igreja não se preocuparia com a salvação dos ricos. A Igreja é para todos, ricos e pobres, sábios e ignorantes, poderosos e fracos, etc.

Alguém poderia dizer que muitos padres, hoje, dizem o contrário.

E é verdade. Infelizmente, muitos padres dizem e agem, hoje, como se a Igreja fosse a favor de alguns e contra outros.Isso é um absurdo.

Estou dizendo o que a Igreja é e ensina, e não o que, infelizmente, muitos padres demagogicamente proclamam.

Os padres são parte do clero. E o clero é a parte docente da Igreja, a mais importante, a que governa, ensina, e administra os sacramentos.

Mas o clero é parte da Igreja — parte essencial e superior, sem dúvida — mas, a Igreja é mais que o clero.

A Igreja é santa, o clero pode ser mau. A Igreja, com o Papa, não erra, e não peca, o clero pode errar e pecar.

Por isso não devemos jamais confundir a Igreja com o clero. Nem devemos jamais atribuir erros e pecados de sacerdotes, e até de Papas, à Igreja.

Há médicos maus, mas a Medicina é sempre boa. Há padres maus, mas a Igreja é sempre santa A Mídia — sempre inimiga da Fé e anticatólica — explora esses erros e pecados de clérigos, para lançar a mancha sobre a Igreja imaculada, a fim de desmoralizar os católicos, e fazê-los perder a Fé.

Infelizmente, sempre haverá clérigos que desejam mais agradar aos poderosos do tempo, do que servir a verdade católica.

Frei Betto, hoje, é uma prova disso. Ele quer sempre obter prestígio e buscar o poder. Por isso, é amigo de Fidel, e mora no palácio do Planalto, trabalhando pela vitória da revolução comunista internacional.

Quando o comunismo parecia que ia dominar o mudo, muitos boffes e bettos procuravam agradar aos poderosos do dia, elogiando o alto nível de vida da URSS, que sempre foi um favelão. Agora, betos e boffes elogiam a prosperidade e a liberdade que haveria em Cuba, de onde todo o mundo quer fugir. Aqui, eles defendem a democracia como supremo valor político, mas para Cuba querem a ditadura de Fidel, o ditador, o tirano mais velho do mundo.

Do mesmo modo, quando da ascensão do nazismo e do fascismo na Alemanha e na Itália, muitos Bispos e padres aderiram ao Führer e ao Duce.

Aqui no Brasil, Dom Hélder ordenou-se padre, dizem, tendo por baixo da batina a camisa verde dos nazistas brasileiros, a camisa verde do Integralismo de Plínio Salgado. Dom Hélder foi tão fanático integralista, como, depois, fanático socialista. Assim como Mussolini, que era comunista, ficou fascista, dom Hélder era fascista e ficou praticamente comunista, a ponto de ser conhecido como o Arcebispo Vermelho, tanto ele estava sempre pronto a defender a política soprada pelo PC.

Não me espantaria constatar, então, que clérigos tivessem envolvido a Igreja com indústrias de armamento, ou de pílulas, para o controle da natalidade.

Isso é extremamente lamentável e condenável.

Mas nada disso nos deve abalar a Fé. A verdade católica está infinitamente acima desses pecados, e traições.

Pior que ter fábricas de armamentos — que é uma escandalosa contradição — é agora alguns padres e bispos quererem transformar o Santuário de Fátima, em Portugal, em Panteão de todos os deuses, em santuário de todas as religiões e seitas. Isso é um sacrilégio e uma blasfêmia.

Erro gravíssimo é o que defendeu ontem o cardeal Lehman, revoltando-se antecipadamente contra os decretos que João Paulo II vai publicar, dizendo o cardeal Lehman que quem reza a Missa é a comunidade.

Por causa desse erro doutrinário na Liturgia, há padres que incitam o povo a repetir as palavras do sacerdote na Missa, e a imitar os gestos do Padre, para que o povo, pouco a pouco, acabe por pensar que é o povo quem celebra a Missa, o que é uma heresia.

Por essa razão, jamais imite, nem copie, os gestos que faz o sacerdote, na Missa.

Uma, e superior, é a função do sacerdote celebrante. Outra, e inferior, é a função do fiel, na Missa.

Infelizmente, — ou FELIZMENTE ? — não conheço os livros da tal editora de que você me fala. Mas, tendo em vista o que se edita, hoje, nos meios católicos, temo que sejam obras nada boas. Mas tomara que eu esteja enganado.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais