Montfort Associação Cultural

25 de agosto de 2004

Download PDF

Presunção

  • Consulente: Tania de Oliveira
  • Idade: 37
  • Localizaçao: Teresópolis – RJ – Brasil
  • Escolaridade: Superior incompleto
  • Profissão: professora

Prezado amigo,

 Tenho feito a leitura desse site e o que mais observo é a “presunção” dos que enviam os comentários e dos que respondem.Parece-me que todos estão tentando provar o seu alto grau de inteligência. Fico muito triste ao observar que apesar de os povos terem culturas diferentes, ainda há uma idéia de que as leis devem ser universais, ou q deva haver uma religiao
também universal…Talvez as declarações dos direitos humanos nos deixe bem claro, apesar de na teoria ser perfeita, que na realidade é impossível criarmos idéias universais.

 Acredito que todos percam tempo, enquanto tentam provar a sua razão,já que todos as têm.

 De qualquer forma….toda forma de informação é bem vinda quando se é observado o respeito pelos semelhantes.

Como já disse, tanta presunção, arrogância e prepotência, me deixam decepcionada e desde já me abstenho de ler o site,já que nao me acrescenta mais em nada.

 Para mim só existe uma verdade universal…essa é DEUS…qualquer coisa que nao derive dEle, pra mim é mentira.

 Fica aqui o meu protesto, espero que melhorem e aprendam o q Jesus mais ensinou.

 Um abraço

Cara professora Tânia, salve Maria!

A senhora, em tom professoral, “presume” que todos os debates do site Montfort só serve para cada um tentar provar o seu “alto grau de inteligência”.

Com a sua licensa, professora, gostaria de antes de mais nada dizer que as opiniões expressas pelos colaboradores do site não se baseiam nem no gênio nem no intelecto de nenhum de nós, mas no que ensina a Igreja Católica Apostólica Romana, através de seus papas e seus concílios ecumênicos infalíveis.

Não posso dizer a respeito dos outros, mas lhe garanto que minha capacidade é bem reduzida, e minha opinião pessoal de muito pouco valor.

Ora, o que fazemos aqui são debates, visando defender a Fé católica que nos foi deixada por Nosso Senhor Jesus Cristo. Como bem disse o professor Orlando, todo debate é um combate, onde se busca o convencimento da outra parte.

A senhora também “presume” que não existam idéias universais, contrariando a filosofia de grandes pensadores como Aristóteles e São Tomás de Aquino. Por acaso a senhora os considera também “presunçosos, arrogantes e prepotentes”?

Por acaso, a lei da gravitação daí de Teresópolis é diferente daqui da de São Paulo? Por aí os objetos flutuam ao invés de cair?

Percebe, professora a ilogicidade da sua argumentação de que “não existam leis universais”?

E a senhora conclui isto baseado na declaração dos direitos humanos da ONU! Ora, que eu saiba, a tal declaração da ONU não é um tratado científico, nem mesmo filosófico. Como então ela prova que “na realidade é impossível criarmos idéias universais”?

A Senhora ainda diz: “Acredito que todos percam tempo, enquanto tentam provar a sua razão,já que todos as têm”. Ora, só no hospício todos dizem ter a razão. Num hospício, cada um tem a sua própria realidade, a sua própria visão de mundo e sua própria razão, e se dizem Jesus Cristo, Maomé, Einstein ou Judith Stein. Num hospício, uma bola de futebol pode ser redonda ou quadrada, depende só do lunático em questão.

Implicitamente, a senhora nega a realidade objetiva, talvez sem querer, influenciada pela mídia talvez, ou pelas idéias liberais e românticas que dominam o pensamento moderno.

Se um aluno, numa de suas provas responde alguma coisa errada, a senhora dá certo ou errado na questão? Se um aluno faz uma prova toda errada, a senhora não coloca um zero bem redondo na prova dele? Como a senhora pode fazer isto, se todos têm razão? Se assim fosse, todas as respostas seriam corretas, e ninguém poderia ser reprovado em prova alguma…

É claro que as pessoas devem ser respeitadas. Nisso concordamos. Mas antes, devemos respeito a Deus e à sua Igreja. Como podemos permanecer impassíveis enquanto a Fé é atacada de todas as formas concebíveis.

Na Sagrada Escritura, Nosso Senhor fala:

“Conheço as tuas obras: não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te.” (Apocalipse, III, 15-16).

E hoje se quer um mundo morno, tolerante, egoista e amoral.

E mais, Nosso Senhor disse:

“Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra” (Evangelho segundo São Mateus, X, 34-35).

Por acaso, Nosso Senhor, ao expulsar os vendilhões do templo à chicotadas não teria sido para você “presunçoso, arrogante e prepotente”?

E esperamos mesmo seguir o que Nosso Senhor Jesus mais ensinou, que foi amar a Deus e à Verdade. A verdade absoluta. E combater o erro e a mentira da maneira que Nosso Senhor nos ensinou a combater.

E isto é o mesmo que desejamos a você…

Sancte Michael Archangele, defende nos in praelio.

Paulo Sérgio R. Pedrosa.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Reforma Agrária, fruto da Revolução Francesa - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Cidade das Trevas

Artigos Montfort: O fim do liberalismo - Ronaldo Mota

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais