Montfort Associação Cultural

2 de dezembro de 2005

Download PDF

Preconceitos do Opus Dei

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Carlos
  • Localizaçao: Rio de Janeiro – RJ – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Religião: Católica

Caro professor,

li tua resposta a pergunta “O que faz o Opus Dei” e fiquei muito triste com a resposta. Gosto de ler o site e ver como tuas respostas sao baseadas em raciocinios logicos mas desta vez…

“Que faz o Opus no Brasil?
Nada.”

Nada na tua opinião! Para mim fez muita coisa: ajudou-me a entrar na Igreja e ainda ajuda a viver a moral catolica. Gracas ao Opus Dei minha esposa hoje tambem eh catolica, antes era de um ramo feminino da maçonaria. Gracas ao Opus Dei, minha irma que ja estava se prostituindo hoje eh catolica de verdade. Gracas ao Opus Dei varios colegas de faculdade que ja nao tinham mais a fe catolica, hoje a professam e defendem. O Sr. acha isto pouco importante? Entao o seu trabalho tambem seria, pois pelo que me parece desde que venho lendo seu site esta é a mesma razão pela qual trabalhas…

“produz — como testemunha o Lauand — muitos problemas psíquicos.”

Desculpe professor, mas é a opinião dele, sem prova alguma. Na Universidade conheci amigos que tiveram problemas psíquicos e não acho que foi por causa dos estudos…
Psiquicamente o Opus Dei faz-me muito bem, e a muitos que conheço, e aí fica opinião contra opinião. O resto é puro preconceito. O Sr. que sofre tanto preconceito deveria estar mais vacinado, não é verdade?

“mesmo lá dentro, se acredita bem pouco na santidade de “el padre”

Novamente esta é a opinião dele, diferente da minha e de muitos que conheço (inclusive da Igreja e dos últimos Papas). Opinião por opinião, fico com a da Igreja que canonizou São Josemaría Escrivá.

“E se você disser ao padre que vai assistir uma palestra minha, imediatamente ele vai proibi-lo.”

Como tens tanta certeza? Desculpe novamente, mas isto parece-me PREconceito.

“Lá dentro é só missa antiga. Fora é Missa nova.”

Outro engano. Lá dentro reza-se a Missa Nova, que o Fundador fez questão de rezar assim que foi promulgada mesmo tendo licensa (pela idade) para rezar a Missa Antiga, e fez isto por espírito de obediência querendo deixar testemunho aos seus filhos de unidade com a Igreja.
O que acontece é que lá dentro, como a maioria tem boa formação doutrinal e de latim, reza-se a Missa Nova em Latim, e alguns pensam que é a Missa Antiga.

“O Opus é exclusivista; é só ele.”

Novamente parece-me PREconceito, pois conheci amigos que depois de frequantarem o Opus Dei e beberem de sua fonte de água limpa, logo foram ajudar na paróquia se identificando mais com este trabalho do que com os relacionados ao Opus Dei. Somente nao deixavam de ir as palestras de formação para continuarem bebendo de boa fonte…

“Lauand mostra como se empregavam lá dentro manobras para enganar até o papa João Paulo II”

Isto fala o Jean, eu digo que lá dentro se ama verdadeiramente o Papa. E novamente fica na opinião. E novamente parece PREconceito, FOFOCA. Repetir coisas que outros falam sem ter nenhuma prova. Isto não me parece muito cristão, o Sr. não acha professor?

Continuo admirando o que o Sr. faz neste site, menos as opiniões sem fundamento…

Abraços de teu irmão em Cristo,

Carlos Milanez

Muito prezado Carlos,
salve Maria!
 
    Antes de tudo, queria dizer-lhe que admirei sua carta, porque, apesar da mágoa bem natural e compreensível que você teve, isso não impediu que você manifestasse ainda, seu apoio a muito do que faço. Deus lhe pague por seu ato de grandeza, e de virtude.
    Tomara que seja eu digno de manter sua admiração pelo trabalho do site Montfort, e indiretamente, de certa forma, alguma  estima por este professor que lhe escreve, e que luta quotidianamente procurando acertar.
    Alguém disse de mim outro dia isso: é um pobre homem que luta e procura acertar, apesar das falhas que todo homem tem.
Um velho professor que luta, querendo acertar…
    Sim, um velho professor que procura acertar…E que, estando já no crepúsculo da vida, lhe roga que reze a Deus que perdoe as falhas e erros que ele comete. Combatendo.
 
    Vejo bem que devo explicar melhor o que escrevi.
    Quando disse que “o Opus não faz nada”, estava me referindo particularmente à atuação pública do Opus.
    Sempre reconheci que o Opus recolhe pessoas de boa intenção, e que muitos de seus membros no Brasil, particularmente os que não vivem lá dentro, são pessoas que demonstram querer viver realmente de modo católico. Daí a simpatia de muitos deles pelo meu combate… fundamentado.
    Reconheço facilmente que, como nos casos pessoais e familiares que você atesta, o Opus, a princípio, faz bem a alguns, mas depois lhes dá uma formação estranha, semelhante àquela que é dada pela TFP.
    Entretanto, a TFP atua no campo político claramente, enquanto o Opus não faz isso. O Opus prefere esconder-se, e esconder as razões religiosas de sua atuação, quando atua.
    Mas a organização e a formação internas do Opus e a da TFP são muito semelhantes, e com os mesmos resultados desastrosos. Não é só o sr. Lauand que deu testemunho contra o que acontece internamente no Opus. Maria del Carmen Tapia escreveu um livro arrasador sobre o que lá ocorre “Por Trás del Umbral“. E sobre o mistério do Opus, o sr. Lauand cita um livro espanhol no qual um egresso do Opus pergunta se alguém sabe o que é o Opus. O Opus é um mistério. Mesmo para alguns numerários…
    E não é possível pensar que tudo o que o sr Lauand contou — e que é confirmado por imúmeros outros testemunhos — seja tudo mentira. Creio que no livro do sr Lauand podem existir equívocos, mas o livro me pareceu sincero e verdadeiro, e não mentiroso ou caluniador, de modo algum. O que não quer dizer que eu concorde com as posições liberais dele, contrárias ao que o Opus faz de bem no campo moral, especialmente.
    Disse que a princípio o Opus faz bem a pessoas de boa intenção que dele se aproximam.
    Mas, depois…
    Depois entra o interesse econômico, de que o Opus é insaciável, e o interesse político, e aí os que “apitaram” são abandonados… Só interessa o dinheiro, o poder e a influência velada.
    Você conhece o Opus há muito tempo? 
    Pelo jeito de contar seu testemunho, meu caro Carlos – e talvez me engane — sou levado a pensar que você não é membro muito entrosado do Opus, e que não conhece o que realemnte se passa lá dentro.
    Muitas pessoas me contaram que no Opus se reza a Missa antiga, mas, quando há “gente de fora”, se reza a Missa nova em latim. Essa duplicidade não posso aprovar.
    Você me garante que “O que acontece é que lá dentro, como a maioria tem boa formação doutrinal e de latim, reza-se a Missa Nova em Latim, e alguns pensam que é a Missa Antiga”.
    Você não vê a contradição de sua frase?
    Se no Opus a maioria tem “boa formação doutrinária”, como é que eles nem distinguem Missa Nova, em latim, da antiga?
    A diferença das duas Missas não está no latim, mas na doutrina.
    Ou eles não têm“boa formação doutrinária”, ou foi você que assistiu Missa Nova em latim. Mas, vários me testemunharam que, quando há só gente que é mesmo do Opus, então lá só se reza a Missa antiga.
 
    Mentiram eles, ou você esta”por fora”?
   
    O que o Professor Lauand disse não foi que no Opus não se ama o Papa. Ele contou que se fizeram manobras não muito sinceras para impressionar o Papa, e das quais ele mesmo participou. E o livro não teve só o testemunho dele: duas outras pessoas o assinaram.
    Quanto às proibições que o Opus faz para pessoas se afastarem de mim, tenho inúmeros exemplos concretos disso.
    Um padre que me dizia; “professor, o senhor vai nos ensinar? Garanto-lhe que o talento que o senhor nos dará não será enterrado Queremos ter aulas com o senhor“. Esse bom propósito durou pouco.
    Eram dois padres bons que queriam as minhas aulas. Bastou, porém, contarem isso para seu Diretor Espiritual (do Opus), que logo fugiram de mim como o diabo da cruz. Sem dizer obrigado pela única aula que dei.
    Adeus talento. Adeus obrigado. Nem até logo me disseram.
    E isso não é correto.
    Outro a quem um padre do Opus mandou que me pedisse aulas de Filosofia, porque o padre julgava que só eu “poderia dar aulas corretas de Filosofia em São Paulo” (exagero absurdo, pois nem sou professor de Filosofia) não aguentou quatro aulas.     Partiu depois que critiquei o Vaticano II. E, claro, sem dizer sequer obrigado. Hoje, esse padre deixou o Opus e usa costeletas… Por discreção, não posso citar seus nomes, mas creia que poderia dizer-lhe que pelo menos quatro padres ligados ao Opus, se aproximaram de mim entusiasmados pelo combate do site Montfort. E, de repente, se esvaiaram sem nem dizer adeus.
    E já que não há preconceito do Opus contra mim, quem sabe indo eu ao Rio, você possa vir assistir algumas palestras minhas, e até cooperar com a Montfort.
    Em todo caso, quero dizer-lhe que compreendi sua queixa, que peço perdão por não me ter expressado perfeitamente, e que não tenho preconceito.
    Por você, que conheço só por sua boa carta, tenho admiração e desejaria tê-lo como amigo. Como amigo para sempre. Como são amigos os que sinceramente se estimam in Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Pecados capitais e auto-conhecimento - Orlando Fedeli

Cartas: Parabéns! - Orlando Fedeli

Cartas: Que bom este site - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais