Montfort Associação Cultural

13 de março de 2006

Download PDF

Pena de morte, solução ou problema?

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Adriana Rodriguez
  • Idade: 25
  • Localizaçao: PB – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Profissão: Advogada

Prezados Senhores

Desde já agradeço por me responderem essa dúvida.
Li um artigo de voçes o qual falava sobre pena de morte e uma pergunta de um leitor me atentou para alguns fatos ainda obscuros em minha compreençao.
Quando li a resposta dada ao leitor me surprende concordando com a pena de morte, assunto que sempre preferi deixar à margem de minhas discussoes. Me atentei para fatos que sempre concordei mas nunca os conferi existencia, fatos esses por exemplo que dizem respeito a “ressocializaçao” do indivíduo. Entao pergunto, esse indivíduo era mesmo socializado antes? A ideia de pena alternativa nao confere uma fragilidade a lei penal? Como recuperar um criminoso como o maníaco do parque? Suponhamos que Bin Laden fosse brasileiro, vivendo portanto sob o regime constitucional brasileiro, como nao temos pena de morte a solucao para todos os crimes cometidos por ele seria colocá- lo em uma prisao, com mais dezenas de presos ávidos por um mentor, e apos cumprida pena maxima de carcere prevista em nosso codigo penal, ele seria reintegrado à sociedade, como posso acreditar que isso seria possivel? Sinceramente ao ler o artigo percebi que na verdade tenho medo de aceitar o fato de que existem pessoas que sao realmente mas, elas tem dentro de si algo monstruoso que nao se discipa com anos na cadeia ou arrependimento. Esses indivíduos realmente concordo, nao sao fruto da pobreza, ao contrario, pessoas ( se é que posso chamar assim) como o dep Ildebrando Pascoal nao convivem com a fome ou a miséria diretamente e, mesmo assim cometem coisas horríveis. Concluo entao dizendo que o futuro me assusta muito. Temto ve lo com olhos otimistas e credulos porem, desconheço soluçao para esses problemas pscosociais que assolam a humanidade. 

Obrigada 
Adriana

Muito prezada Dra Adriana ,
Salve Maria.
 
     Sua argumentação demonstrando a ineficácia do sistema penal barsileiro é muito verdadeira.
     Se Bin Laden fosse brasileiro, ele estaria garantido de não ter punição merecida. Da prisão ele organizaria seu sistema de terror.
     A pena de morte é necessária para a justiça.
     Todos os sofismas contra a pena de morte partem do presuposto falso de que o homem é bom e que não tende para o mal. Rousseau disse essa mentira e o mundo o seguiu. Daí essa ingênua mania de procurar reeducar os “bin ladens” nacionais. Tentativa frustra que só tem dado poder ao crime. 
     A Igreja Católica sempre ensinou que o homem, por causa do pecado original, tende para o mal e que não há crime que não possamos cometer. Por isso, Nosso Senhor Jesus Crsito defendeu a pena de morte:

Quem matar à espada, importa que seja morto à espada Apocalipse, II, 9


     Sem o ensino da moral católica não pode haver recuperação dos criminosos.
     Sem conversão não há recuperação possível
     O que se faz nas FEBEM”s e nos presídios é inútil, pois sem Deus nada podemos fazer.
     Recuperação cívica pode produzir deputados-mensalões. Só a Igreja produz santos.
     Escreva-me sempre

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais