Montfort Associação Cultural

11 de fevereiro de 2011

Download PDF

Patriarca Alexei II elogia permissão papal para missas em latim

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Alexandre D. Antunes Pereira
  • Localizaçao: Mogi Guaçu – SP – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Profissão: Analista de Sistemas
  • Religião: Católica

Estimados da Associação Montfort,

Salve Maria!

Vejam na notícia abaixo, até mesmo os ortodoxos vêem como positivo o fato da permissão para a Missa Tridentina, pois segundo o Patriarca Alexei II, “sem a fiel tutela da tradição litúrgica, a Igreja ortodoxa russa não poderia ter resistido à época das perseguições” nos anos vinte e trinta do século passado.

E quantos “católicos” objetam contra a Tradição!!!

A propósito, comecei há pouco ler o artigo do cardeal Alfons Stickler sobre o Novus Ordo Missae, ainda não conclui a leitura, mas já estou “irritado” com tamanha trapassa realizada pelo Mons. Bugnini e pelo próprio Paulo VI.

Acredito que foram “movidos” pela sede do Ecumenismo… Eu acreditava no Ecumenismo, mas desde que comecei a ler os artigos da Montfort vi que este leva a lugar algum… Até mesmo o saudoso Papa João Paulo II era um entusiasta do ecumenismo, vocês têm algum artigo sobre a encíclica Ut Unun Sit do Papa João Paulo II?

Uma pergunta rápida: se não estou enganado, foi lendo o livro Carta a um Padre do Prof. Orlando, que vi a frase “O CVII foi o concílio dos peritos, não dos padres conciliares”. Existe algum livro ou artigo que descreve como foram os trabalhos de Trento, e do Vaticano I? A impressão que eu tenho e que as Sessões do CVII foram meramente para “votos”, e na maioria das vezes os “placet” eram “quase” que unânimes… Será que os bispos sabiam no que estavam votando? Será que os padres conciliares não votaram como os brasileiros?

Muito obrigado pela atenção,

Em especial, um abraço ao Prof. Orlando, que tive a feliz oportunidade de conhecê-lo pessoalmente no lançamento do livro. Com tanta simpatia e humildade, nem parece que tem o curriculum que tem! Diferente de um tal Dr(?) Rafael “VitRola” (rs) que só pelos artigos e pelo Orkut transmite uma soberba e antipatia que sinceramente me dão nojo.

Alexandre Antunes

<>

O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Alexei II, qualificou como “positiva” a decisão do Papa Bento XVI de permitir a celebração de missas em latim, segundo uma entrevista publicada hoje no diário italiano Il Giornale.
“A recuperação e valorização da antiga tradição litúrgica é um feito com que nós acolhemos positivamente”, disse o patriarca russo. Alexei II afirmou que “sem a fiel tutela da tradição litúrgica, a Igreja ortodoxa russa não poderia ter resistido à época das perseguições” nos anos vinte e trinta do século passado.

Em 7 de julho, o Vaticano apresentou o “Motu Proprio” (documento papal) de Bento XVI, no qual se permite a celebração de missas em latim, que nunca foram juridicamente suspensas, mas para as quais era necessária uma autorização especial.

As relações da Santa Sé com os ortodoxos russos seguem sendo complicadas, já que Alexei II acusa a Igreja Católica Apostólica Romana de proselitismo, e se opõe a uma possível visita do Papa a seu país. Segundo o patriarca, caso o encontro se realize, “deve ser um encontro que sirva para consolidar” as relações entre ambas as igrejas.

“Não se pode correr o risco de que (o encontro) se resuma a uma ocasião para tirar algumas fotografias e aparecer juntos perante as câmeras de televisão”, disse. No entanto, Alexei II assinalou que, para que o encontro ocorra, devem ser superados alguns entraves.

“Infelizmente, alguns bispos e missionários católicos ainda consideram a Rússia como uma terra de missão. A Rússia já foi iluminada pela fé ortodoxa, e não é uma terra de missão para a Igreja Católica”, afirmou.

http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI1866162-EI312,00.html

 

Data: 11 Setembro 2007


 
Muito prezado Alexandre,
Salve Maria.
 
     O que disse o patriarca Ortodoxo é uma grande verdade.
     A Igreja Cismática Russa manteve a liturgia que lhe garante a continuidade e a perseverança durante o regime comunista. Os Cismáticos sempre resistiram também ao ecumenismo e uma das razãoes que davam era que, se o Concílio Vaticano II permitiu o destroçamento da liturgia católica, a liturgia dos orientais também não seria tolerada caso aceitassem a união com a Igreja Católica.
     Temores nada errados…
     
     Não escrevi ainda nenhum comentário a esse documento de João Paulo II a o qual você faz referência.
 
     Sobre o Concílio Vaticano II há um excelente livro que mostra as trapaças de bastidores nele ocorridas. O livro é do Padre Ralph Wiltgen e se chama “O Renho se lança no Tibre“.
 
     Também não conheço algum livro narrando os bastidores de Trento.
 
     Sobre o Concílio Vaticano I há um livro em dois volumes de Louis Veuillot bem interessante .
 
     Obrigado por suas palavras bem amáveis sobre minha pessoa. Quanto aos uivos e injúrias do “Falsitatis” Splendor, o ódio os cega. Que Deus os perdoe
 
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: PARABENS PELO SITE - Orlando Fedeli

Cartas: Agradecimento ao Prof. Orlando e a família Montfort

Cartas: Os falsos tolerantes que tramam contra o catolicismo - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais