Montfort Associação Cultural

6 de janeiro de 2005

Download PDF

Papa defende a Evolução

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Ricieri
  • Localizaçao: – Brasil

Tendo lido sua resposta, a qual fico muito grato, haja visto que nossos objetivos comuns são sempre o entendimento e a compreensão acerca dos nebulosos tópicos apresentados num mundo mais complexo do que aquele em que a doutrina foi cunhada, surgiram alguns pontos que gostaria que considerassem:

> Prezado Ricien, > salve Maria!

> > A Igreja Católica, através do Papa Pio XII na encíclica Humani Generis, permite que se discuta o evolucionismo como hipótese. Mas, Pio XII, nessa mesma encíclica, condenou o poligenismo, como sendo contra a Fé.

Estava me referindo à posição assumida por João Paulo II, recentemente.

A teoria da evolução não descarta o monogenismo, afirmando que a humanidade descende de um único homem ou mulher que originou toda a espécie.

> O Papa atual ordenou que a Academia Pontifícia de Ciências estudasse a questão. Essa Academia é formada por vultos importantes no mundo da Ciência, e inclui até cientistas não católicos. Ora, ainda recentemente, essa Academia lançou uma comunicação contrária ao evolucionismo.

Gostaria que me informasse algum link indicando esta comunicação, pois ao pesquisar no site oficial do Vaticano, mesmo em Inglês, nada obtive.

> Não sei se o Papa atual, pessoalmente e particularmente, aceita o evolucionismo. Mas o que o católico é obrigado a seguir é o ensinamento oficial do Papa enquanto Papa.

O papa atual apenas considera que o evolucionismo não é conflitante com a fé, podendo ser razoavelmente aceito.

> E o Papa jamais ensinou oficialmente a doutrina do evolucionismo.

Segue um trecho do comunicado oficial do Papa:

No ano 1999, S. S. JoãO Paulo II aceitou como “máis que provável”, as teorias dos evolucionistas. Isto não supõe nenhuma contradicçao com a Bíblia. A Bíblia não é um livro de ciência, para compreendela é necessário interpretar a mensagem, não as palavras concretas. A mensagem do Génese é que Deus criou ao homem. Chame-se a este Adam e Eva ou Grande-Explosao; o fato é que esse Deus, o criador, é essencial para explicar a existência do universo. S. S. o papa adicionou também uma outra questiao essencial à mensagem “A ALMA VEM DE DEUS”. Este é o coração do assunto. A alma é originada diretamente por Deus. Como disse a Bíblia em determinada passagem: EU CONHECI-O ANTES QUE VOCÊ ESTÊVE GERADO NO VENTRE DE SUA MAE. Neste caso, Deus fala sobre o espírito, não do corpo físico, que não existe ainda. Deus inssufla o espírito no corpo uma vez que a concepçao ocorre.

E veja mais este aqui:

Em um importante pronunciamento da posição da Igreja Católica Romana sobre a Teoria da Evolução, o papa João Paulo II proclamou que a teoria é “mais que apenas uma hipótese” e que a evolução é compatível com a fé cristã *. Em uma mensagem escrita para a Academia Pontífica de Ciências, o Papa disse que a teoria da evolução foi corroborada pelos estudos científicos e por descobertas desde Charles Darwin… “É realmente impressionante que essa teoria tenha progressivamente enraizado-se nas mentes dos pesquisadores seguindo uma série de descobertas feitas em diferentes esferas do conhecimento”, o papa disse em sua mensagem na quarta-feira. “A convergência dos resultados dos estudos feitos de forma independente pelos pesquisadores, em si mesmo, é um importante argumento em favor dessa teoria…”

“Tomados literalmente, a visão bíblica do início da vida e a visão científica de Darwin pareceriam irreconciliáveis. No Gênesis, a criação do mundo, e Adão, o primeiro homem, levou seis dias. Mas, de acordo com os cientistas, o processo da evolução da mutação genética e seleção natural – a sobrevivência e proliferação das melhores espécies levou bilhões de anos…”

“A mensagem do papa foi muito mais em aceitar a teoria da evolução como uma explicação válida do desenvolvimento da vida na Terra, com uma grande exceção: a alma humana. “Se o corpo humano tem sua origem na vida que existia antes, a alma espiritual é criada imediatamente por Deus, disse o Papa.”

> O evolucionismo jamais deu qualquer prova séria da verdade de sua hipótese. Pelo contrário, apresentou ,alguma vezes “provas” fraudulentas para fazer crer que era verdadeiro.

> Jamais houve uma teoria científica que tenha apresentado tantas escandalosas fraudes quanto o evolucionismo! Há sim!!! Os supostos milagres apresentados como manifestações do Espírito Santo.

> In Corde Jesu, semper, Orlando Fedeli Fico aguardando o link que aponte para a recente nota oficial desmentindo as palavras do Papa. Até lá, fique em paz e respeite as palavras do chefe de sua igreja!!!

CREDO QUIA ABSURDUM

Prezado Ricieri, salve MARIA!

Fico bem contente com a sua afirmação de que temos os mesmos objetivos, isto é, a defesa da Fé católica.

Deixe-me, antes de tudo, fazer uma retificação e penitenciar-me de um erro.

Eu lhe escrevera:

“O Papa atual ordenou que a Academia Pontifícia de Ciências estudasse a questão. Essa Academia é formada por vultos importantes no mundo da Ciência, e inclui até cientistas não católicos. Ora, ainda recentemente, essa Academia lançou uma comunicação contrária ao evolucionismo”.

No trecho que destaquei é que está o meu erro:

Não foi essa Academia que se pronunciou desse modo mas sim um outro organismo: o Centro Kolbe de Estudos da Criação.

Fui procurar o documento e contatei que minha memória me enganara. Peço-lhe perdão pelo equívoco.

Quem fez uma declaração sobre o erro do darwinismo foi um Congresso de Cientistas reunidos em Roma, e não a própria Academia Pontifícia

Mando-lhe a notícia :

—–Mensagem Original————————————————————

De: Enfoque INTERNACIONAL
Para: undisclosed-recipients:
Enviada em: Quarta-feira, 20 de Novembro de 2002 16:30
Assunto: Científicos católicos derriban mito darwiniano en congreso en Roma

Científicos católicos derriban mito darwiniano en congreso en Roma.

ROMA, 4 Nov. 02 (ACI).- Decenas de genetistas, geólogos, astrofísicos y científicos de otras disciplinas provenientes de Estados Unidos y diversos países europeos incluyendo Rusia, se reunieron el pasado fin de semana en Roma para analizar los argumentos científicos que descalifican el mito evolucionista de Darwin.

El encuentro, promovido por el “Centro Kolbe de estudios de la Creación”, puso bajo el microscopio de la ciencia contemporánea las afirmacçãos absolutistas de Charles Darwin, cuya ideología del evolucionismo ha dominado durante un siglo las mentes de la comunidad científica.

“El darwinismo ha logrado demostrar las mutacçãos al interior de una especie, pero para el surgimiento de nuevas especies no ha aportado ni pruebas ni hechos“, señaló durante el evento el Prof. Dominique Tassot, Presidente del Centro francés de “Estudios y Perspectivas sobre la Ciencia”.

“Frente a esto, nuestro objetivo es el hacer comprender, sobre todo a los católicos, que aquello que la ciencia afirma no es la verdad absoluta”, agregó.

En efecto, las nuevas tendencias científicas, especialmente en el campo de la microbiología y la química orgánica, han venido desmontando el mito darwiniano de la evolución como único principio explicativo del surgimiento de la vida y del ser humano, han señalado los científicos.

Según Tassot, es por este motivo que resulta “completamente errada la actitud de algunos teólogos que se apresuran a explicar la Biblia a la luz de las últimas revelacçãos científicas.

Es mejor partir de la premisa de que el autor de la Biblia es también el autor de la Creación y por tanto el libro del Génesis no puede contener falsedades”.

En efecto, según el experto, “muchas argumentacçãos, desde varios sectores científicos, han sido presentadas contra la Escritura. Y hoy han sido olvidadas porque carecían de valor“.(Os negritos são meus).

————————————————————————

Se é verdade que errei ao citar a fonte do que eu afirmara, o núcleo da afirmação, porém, era verdadeiro.

Como é verdade também que o Papa atual mandou a Pontifícia Academia de Ciências realizar estudos sobre o evolucionismo.

Ora, se ele pediu estudos sobre o tema, então não só não há certeza da evolução mitigada, como nem o próprio Papa tem certeza dessa forma de evolução. E, se ele mesmo não está seguro do que é certo a esse respeito, ele só deu uma opinião pessoal, e não um ensinamento papal sobre o evolucionismo mitigado.

Portanto, devemos ficar com os ensinamentos da Igreja sobre o evolucionismo.

Como também não devemos esquecer quantas fraudes foram feitas para provar a teoria da evolução, que até hoje não foi cientificamente comprovada.

Para confirmar o que digo, permita-me citar-lhe ainda, prezado Ricieri, um discurso, feito há um certo tempo, é verdade, mas que dá informações muito importantes.

É um trecho da conferência do Cardeal Siri em 1983:

“Em 1959 foi comemorado o ano Darwiniano. Nas duas universidades, mais que todas empenhadas na celebração, Oxford e Cambridge, foi colocada a questão se a hipótese Darwiniana se tonara tese, ou seja, se fora demonstrada. Ao término foi publicado um volume pelas duas Universidades com a resposta. Essa era: não!

“Há alguns anos já, o Diretor da Faculdade de Letras e Ciências Humanas da Universidade de Montpellier publicou um notável volume com o título O Homem e o Invisível. Também aqui a resposta era: não! Nos últimos anos apareceu um volume di Sermonti que com um colega dá, direi sonoramente, a resposta: não!

“Prefiro dar a resposta de competentes cientistas mais do que com minhas palavras. Em 11 de abril do ano passado, um dos mais ilustres cientistas franceses tratou desse tema numa célebre conferência em Notre Dame de Paris. Ele colocou a mesma questão minha. Concluiu a longa argumentação, reproduzida na íntegra no l”Homme Nouveau (no número de 19 de Dezembro de 1982). Eis as suas palavras “aqui eu vos devo um parecer, carregado di conseqüências que os teóricos não pronunciam de boa vontade, absolutamente: nós não sabemos nada sobre isso!“.

(Negritos e sublinhado são meus).

Além desses dois testemunhos impressionantes, (tão pouco difundidos em nossa mídia e em nossas Faculdades )– por que será? — quero citar-lhe ainda o que confessou o Professor Lewontin de Harvard, conhecido campeão do evolucionismo:

Nós ficamos do lado da ciência, apesar do patente absurdo de algumas de suas construções, apesar de seu fracasso para cumprir muitas de suas extravagantes promessas em relação a saúde e a vida, apesar da tolerância da comunidade cientifica em prol de teorias certamente não comprovadas, porque nos temos um compromisso prévio, um compromisso com o materialismo.

Não é que métodos e instituições da ciência de algum modo compelem-nos a aceitar uma explicação material dos fenômenos do mundo, mas, ao contrário, somos forçados por nossa prévia adesão a concepção materialista do universo a criar um aparato de investigação e um conjunto de conceitos que produzam explicações materialistas, não importa quão contraditórias, quanto enganosas e quão mitificadas para os não iniciados. Além disso, para nós o materialismo é absoluto; não podemos permitir que o “Pé Divino” entre por nossa porta.” (Richard Lewontin, New York, Reviews of Books, Maio de 1987).”

E por que será, meu prezado Ricieri, que uma confissão tão escandalosa como essa, tão anticientífica, não é divulgada pelos meios evolucionistas e pela mídia tão sequiosa por atacar e difamar a Igreja Católica?

Por que será?

Você me diz que o darwinismo não rejeita o monogenismo.

Isso é dedução sua. Se o ser humano tem origem em animais, então o normal seria que não houvesse um só casal original da humanidade.

É claro, você me dirá, que Deus poderia ter infundido a alma racional num animal irracional.

Isso me parece mais impossível do que fazer um programa de computador altamente sofisticado poder ser aplicado num computadorzinho primitivo.

E depois, não bastaria infundir a alma racional num animal.

Seria preciso infundi-la em dois animais: um macho e outro fêmea. Mas então a mulher não descenderia do homem, e o pecado original de Adão não poderia ser transmitido a toda a humanidade.

Ora, a Sagrada Escritura afirma que Deus fez Eva de uma matéria retirada de Adão. E lá vai a hipótese do evolucionismo mitigado por água abaixo, como o reconheceu certa vez o Cardeal Bea: Eva era a grave dificuldade para o evolucionismo mitigado.

Quanto às declarações que você me manda atribuídas ao Papa João Paulo II, noto que elas são de segunda mão: são extraídas de um noticiário, feito por um jornalista, talvez, e que não se diz com clareza de onde foram tiradas. Se você puder enviar-me o documento oficial do Papa, eu lhe agradeceria.

Por fim permita-me, protestar, com todo respeito, contra as suas frases finais. Pois você, depois de copiar a minha frase: “Jamais houve uma teoria científica que tenha apresentado tantas escandalosas fraudes quanto o evolucionismo!”, você atrevidamente contestou:

“Há sim!!! Os supostos milagres apresentados como manifestações do Espírito Santo“.

Como você me diz que tem os mesmos objetivos que eu, e depois, se atreve a blasfemar contra os “Supostos milagres apresentados como manifestações do Espírito Santo”? Que tem a ver o Espírito Santo com as provas do evolucionismo darwinista? Afinal, você é católico ou só um darwinista? Lamentando seu final de carta, despeço-me, atenciosamente,

in Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Fé e Ciência - Orlando Fedeli

Cartas: Mutações e Evolução - Fábio Vanini

Cartas: Fé e razão - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais