Montfort Associação Cultural

13 de abril de 2011

Download PDF

Padre Daniel Maret, da FSSPX, ameaça Frei Tiago de São José por conta de sua manifestação a respeito do caso Padre Leonardo Holtz

Por Frei Tiago de São José, Montfort.org.br

Fonte: Lista Notícias Católicas

A polêmica em torno do caso Padre Leonardo Holtz continua:

Após manifestar-se contra o ingresso do Padre Leonardo Holtz na Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX) e seu consequente abandono da diocese do Rio de Janeiro, Frei Tiago de São José, Carmelita Eremita, começou a ser ameçado pelo Padre Daniel Maret, atual responsável pelo Priorado da FSSPX em São Paulo, e por uma série de adeptos da FSSPX.

A pedido, publicamos abaixo um texto em que ele se defende desses ataques.

E pedimos orações por esse sacerdote por causa das perseguições que tem sofrido.

Com o intuito de fornecer mais informações sobre o caso Padre Leonardo Holtz, seguem abaixo dois textos da Montfort, assinados por seu atual presidente, Professor Alberto Zucchi, sobre esse assunto:

  1. Comunicado sobre o abandono da Paróquia Pessoal por parte do Padre Leonardo Holtz;
  2. Padre Leonardo Holtz faz precisões ao Comunicado da Montfort sobre seu abandono da “Paróquia Pessoal” no Rio de Janeiro;

*****

(Padre Daniel Maret, no Priorado Padre Anchieta em São Paulo/SP)

 

AMEAÇAS RECEBIDAS

Queridos irmãos e irmãs:

Depois de escrever um artigo criticando a atitude de um sacerdote que se deixou convencer de que “só na FSSPX há salvação”, sendo duramente condenado por muitos adeptos desta organização e também por muitos que se dizem de postura “sedevacantista”, deparei-me também com uma série de e-mails do Pe. Daniel Maret exigindo que eu me retratasse publicamente e, inclusive, me ameaçando de uma série de represálias.

Confesso que tive medo, pois, não sei até que ponto pode chegar o potencial vingativo daqueles que se sentem feridos em seu orgulho, convencidos que estão de que nunca jamais alguém poderá ousar criticá-los…

Tenho, inclusive, me poupado de sair de casa e não deixo de ter receio de que possa ser agredido até fisicamente, mesmo dentro de nosso Mosteiro.

Talvez queiram exigir indenização e teremos de dar aquilo que pode nos faltar na mesa para tornar ainda maior o seu império…

Meu intuito porém não foi de ofender, mas, sim de procurar mostrar para as pessoas que não é atirando pedras na Igreja que vamos salvá-la, mas rezando e fazendo sacrifícios por Ela.

Entretanto o que mais me aflige é o fato de que entendi, mais do que nunca, que estamos nos degladiando enquanto o demônio se gloria de poder seguir seu projeto de destruição da Igreja, enquanto, justamente, aqueles que poderiam fazer alguma coisa, se matam uns aos outros…

Admiro sim, muitos membros sinceros da Fraternidade, como Dom Anjo, brasileiro, beneditino de Bellaigue, cuja vida foi ceifada na flor da juventude por tê-la oferecido pelo Papa. A membros como ele, peço desculpas por falar de hipocrisia, pois sei que não se pode generalizar… Porém, não retiro o termo porque escutei muitas conversas em Francês (que julgavam que eu não entenderia) que são sequer dignas de se comentar… Publicamente se dizem a favor do Papa e reconhecem as ordenações e sagrações, mas quando se conversa privadamente a história é outra. Chegaram a me exigir ordenação sub-conditione. Até as canonizações são postas em questionamento.

Levantei-me, sim para defender os institutos do Bom Pastor, do Cristo Rei e outros mais, como o nosso mesmo, que estavam sendo ridicularizados por optarem pela plena unidade visível com a Igreja e com o Papa.

Não há dúvida que a Igreja enfrenta uma grave crise… E sem precedentes na história! Entretanto, hoje não sei dizer o que será pior: cair nas mãos de um Bispo modernista, ou cair nas mãos da Fraternidade…

Espero contar com as orações de todos neste momento de perseguição e que a Virgem Mãe de Deus e da Igreja interceda por nós!

Frei Tiago de São José

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais