Montfort Associação Cultural

26 de dezembro de 2005

Download PDF

"Pacífico" fã de Chê Guevara

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Carlos
  • Idade: 17
  • Localizaçao: Betim – MG – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Profissão: Revolucionário
  • Religião: Ateu

ACEITARIA MUITA COISA CALADO, MAS JAMAR CHÊ DE TERRORISTA ISTO FOI DE IMENSA ESTUPIDES.

O SOCIALISMO SEMPRE SE SOBRE SAIU EM RELAÇÃO A ESSE SISTEMA IMUNDO QUE É O CAPITALISMO, TANTO QUE O MENOR INDECE DE ANALFABETISMO DA E DE CUBA ESSAS CONQUISTA MUITAS OUTRAS SÃO GRAÇAS A CHE E OUTROS REVOLUCIONARIOS QUE LUTARAM POR SEUS IDEAIS.PARA MIM VOCÊS NÃO PASSAM DE UNS PORCOS CAPITALISTAS QUE QUEREM NOS MANIPULAR…VIVA CHÊ!!!! VIVA ZAPATA!!!!

E VIVA TODO ATO REVOLUCIONARIO!!!!!!

MORTE AOS OPRESSORES!!!!!!!!!

Muy pacífico Carlos, Salve Maria.

Você protesta que eu considere Chê Guevara um terrorista, quando o comunismo prega a luta de classes que inclui assaltos, guerrilha, atos de terror e guerra, que Chê, como comunista que era, sempre praticou.

Você protesta que eu considere Guevara um terrorista, e você termina a sua carta com um grito de ameaça aterrorizante: ” MORTE AOS OPRESSORES!!!!!!!!!”

Ui! Que medo! Estou até arrepiado!

Será que você pertence ao saudoso clube “Chorões do Chê”?

E você me fala em analfabetismo, como se fosse alfabetizado por saber escrever no teclado “MORTE AOS OPRESSORES!!!!!!!!!”.

Pois saiba que, ainda estes dias, saiu uma estatística, provando que 95% dos alunos de Ensino Médio, no Brasil, não entendem o que lêem.

E Fidel, será que ele entende o que lê?

Pergunto, porque há tantos políticos, em todo o mundo, que não sabem o que lêem, nem o que dizem.

E você, entende o que você lê?

Foi um prazer e uma honra para mim receber sua carta tão grosseira e tão pacificamente ameaçadora.

Passe bem, garoto.

Orlando Fedeli.

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais