Montfort Associação Cultural

26 de janeiro de 2005

Download PDF

Os três segredos de Fátima

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Maicon
  • Idade: 19
  • Localizaçao: Erechim – RS – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau em andamento
  • Religião: Católica

Gostaria de saber, por obséquio, quais são os verdadeiros três segredos de Fátima, e qual é o grau de veracidade, essa pesquisa vai me tirar uma grande dúvida, e me ajudará em meus estudos, pois sou seminarista.

Grato pela atenção,

certifico-me da resposta.

Obrigado.

Muito prezado Maicon, salve Maria!

Muito se tem falado dos três segredos de Nossa Senhora de Fátima. Ou melhor, o que se tem comentado muito é o Terceiro Segredo, especialmente depois que o Vaticano publicou a visão dele, mas não as palavras de Nossa Senhora que o explicavam.

Em 13 de julho de 1917, na terceira aparição de Nossa Senhora aos três pastores de Fátima — Lúcia, Jacinta e Francisco — a Virgem Maria lhes comunicou três segredos, que eles deveriam dar a público, mais tarde.

Dois dos segredos foram já conhecidos completamente.

O primeiro tratava da perda das almas durante a Primeira Guerra Mundial.

O segundo dizia que, se os homens não se emendassem, viria um grande castigo sobre as nações na forma de uma Segunda Guerra Mundial, e que a Rússia espalharia seus erros — erros no plural — pelo mundo, e que várias nações seriam aniquiladas.

Falava-se ainda em sofrimentos de um Papa, em martírio dos bons, e ficou conhecida uma frase do Terceiro segredo: “o dogma da Fé se manterá em Portugal”.

Portanto, havia palavras no Terceiro Segredo.

É claro que se o primeiro segredo tratava das almas, das pessoas, e o segundo das nações, seguindo a ordem crescente, o Terceiro segredo deveria tratar da Igreja.

Poucos anos atrás, depois de ter se negado, durante muitos anos, a publicar o Terceiro Segredo, na última viagem do Papa a Fátima, o Vaticano publicou o que disse ser o Terceiro Segredo, afirmando que ele consistia apenas numa visão.

Nessa ocasião, o Cardeal Sodano, Secretário de Estado, ousou afirmar, contra toda a evidência, que a visão tinha relação com o atentado de morte que o papa sofrera em 1981.

Ora, a visão publicada mostrava uma procissão de Cardeais, Bispos, Padres religiosos, e povo que era seguida por um Papa com passo vacilante e hesitante, numa cidade arruinada. A procissão se encaminhou para uma montanha sobre a qual havia uma cruz (símbolo claro do Calvário, portanto, da Missa). Lá, o Papa era fuzilado e flechado, e, em seguida os Cardeais, Bispos e povo eram mortos também.

Evidentemente isso ainda não aconteceu, como o Cardeal Ratzinger reconheceu recentemente.

No atentado de Agca contra João Paulo II ninguém morreu. Nem o Papa que foi baleado por Agca.

Logo se estranhou que não era publicada nenhuma explicação de Nossa Senhora sobre essa visão, porque, quando terminou a visão das três crianças, Nossa Senhora lhes disse:

“Não conteis isto a ninguém. Ao Francisco podeis contar”.

Ora, o menino Francisco somente via o que Nossa Senhora mostrava, mas não ouvia o que ela dizia. Daí, a Virgem Santíssima dar ordem à Lúcia e Jacinta que contassem o que lhes dissera sobre a visão, que o Vaticano publicou sem as palavras explicativas de Nossa Senhora.

Recentemente, saiu um estudo comprovando que havia dois textos do Terceiro Segredo escritos pela Irmã Lúcia: No primeiro texto, de uma só página, constava as palavras de Nossa Senhora. No segundo texto, posto no seu caderno, e que constava de várias páginas, Irmã Lúcia descrevia a visão do Terceiro Segredo, que foi o texto que o Vaticano publicou.

Num trabalho sobre o Terceiro Segredo de Fátima (http://www.montfort.org.br/cadernos/fatima.html#1), que publiquei no site Montfort, demonstrei que a visão publicada pelo Vaticano coincide com uma visão de Dom Bosco sobre uma procissão que saía do Vaticano com o Papa à frente. Essa visão é paralela a outra visão de Dom Bosco mostrando o navio da Igreja afastado de duas grandes colunas: a da Sagrada Hóstia, isto é, da Missa, e a da coluna da Virgem Maria, após um segundo concílio realizado pelo Papa.

Após a morte de dois Papas, um terceiro Papa é eleito, cujo nome, ao ser escolhido para o papado causa luta entre os inimigos da Igreja. O Terceiro Papa traz então o navio da Igreja de volta para a Missa e para Nossa Senhora, os inimigos se entredestroem, e passa a haver uma grande calma no mar.

Evidentemente, esse retorno da nave da Igreja às duas colunas da Hóstia (a Missa) e da coluna de Nossa Senhora, coloca uma pergunta muito séria:

Como a Igreja se afastou da coluna da Missa e da devoção a Nossa Senhora?

Quem afastou a nave da Igreja dessas duas colunas das quais nunca deveria ter se afastado?

Fica difícil negar que esse afastamento se deu após o Vaticano II, e principalmente após a promulgação da Nova Missa de Paulo VI, com todos os abusos que dela decorreram, abusos que o Papa João Paulo II anunciou que seriam coibidos pelos decretos que estão para ser publicados pelo Vaticano, ainda neste fim de ano, e que produziram as graves discussões e divergências que se noticiam entre os Cardeais. Daí as pressões para que o Papa renuncie.

Ninguém pode interpretar perfeitamente uma profecia, antes que ela se realize. Mas, quando os acontecimentos profetizados vão se realizando, fica cada vez mais claro o verdadeiro significado do que foi profetizado.

Portanto, sem pretender dar a interpretação do Terceiro Segredo, dou aqui apenas uma opinião que só a História fará conhecer perfeitamente.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: CNBB e Dominus Iesus - Orlando Fedeli

Cartas: A quem recorrer quando o vigário diz que o diabo não existe? - Orlando Fedeli

Cartas: O que é o cristianismo para vocês? - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais