Montfort Associação Cultural

25 de outubro de 2004

Download PDF

Os Santos estão conscientes e intercedem por nós

Autor: Lucia Zucchi

  • Consulente: Wagner Herbet Alves Costa
  • Idade: 35
  • Localizaçao: Itapetinga – BA – Brasil
  • Religião: Católica

Viva Cristo Rei! Viva a Virgem de Guadalupe!
Wagner Herbet Alves Costa
Itapetinga-BA

Prezado Prof. Orlando Fedeli

Uma das consulentes desse site, chamada Ana, em carta datada de 25/08/04, pede auxílio para defender a Santa Fé Católica; pois ela fora questionada por uma amiga adventista — a qual dizia não crer nas intercessões dos santos, pois, eles estariam mortos e inconscientes (“dormindo”). Permita-me, por obséquio, contribuir em tal instrução.

São vários trechos, na Bíblia, que atestam o estado de consciência dos mortos. Tanto é que está escrito: “Abel… mesmo depois de morto, ele ainda fala”(Hb 11,4). Bem como, é claríssimo o testemunho a respeito de Lázaro (e mesmo do rico) conscientes no outro mundo, conforme relata o Evangelho de Lucas capítulo 16. Lázaro recebendo bênçãos e o rico, tormentos.

Ainda mais se tomarmos, em conta, as passagens dos sagrados textos deuterocanônicos, como as do livro dos Macabeus; o qual claramente revela-nos que o santo profeta Jeremias, que morrera séculos antes, no outro mundo, está consciente e intercedendo pelo povo de Deus: “Este é o amigo dos seus irmãos, aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus”(2 Mac 15,14). [Só, por essa passagem, já cai completamente por terra a infeliz tese adventista. O problema é que, os protestantes protestaram até contra a Palavra Escrita de Deus, e acabaram ficando com uma bíblia imperfeita e incompleta - a fim de mais facilmente sustentarem as suas heresias. Mas para quem não é herético e pertence a verdadeira e única Igreja de Deus, basta-lhe esse trecho do livro dos Macabeus.].

E aproveito para chamar a atenção de que nós não nos dirigimos aos santos para pedir-lhes, tão-somente, que roguem por nossas necessidades materiais; mas também para que os mesmos louvem, incessantemente, ao Altíssimo, como é expressado nos Salmos: “Bendizei a Iahweh, todas as suas obras, nos lugares todos que ele governa” (Sl 103(102),22). “Louvai-o todos os anjos, louvai-os seus exércitos todos!” (Sl 148,2). Percebam que estamos, por tais trechos dos Salmos, falando com estes seres celestiais, os quais, não são Deus. Portanto, fica igualmente demonstrado que não é somente a Deus que podemos dirigir nossas palavras (nas nossas orações).

Reforço ainda o que foi supracitado, mencionando um passo deuterocanônico do livro de Daniel — em que o servo de Deus, Zacarias, na fornalha acesa, orava: “Vós, espíritos e almas dos justos, bendizei ao Senhor, louvai-o e exaltai-o para sempre” (Dn 3,86).

Os Santos de Deus, ainda que estejam mortos fisicamente, sempre permanecem espiritualmente vivos. Jesus mesmo disse: “As minhas ovelhas escutam a minha voz… e elas jamais perecerão” (Jo 10,27s.), e ainda: “Se alguém guarda a minha palavra, jamais verá a morte” (Jo 8,51). [Mas os apóstolos e outros santos não morreram?... Morreram fisicamente, porém espiritualmente continuam vivos; de outra maneira, as palavras de Cristo teriam falhado.]

Está escrito: “Ainda que Abraão não nos conhecesse e Israel não tomasse conhecimento de nós, tu, Iahweh, és nosso pai” (Is 63,16). Note que o profeta Isaías, cerca de mil anos depois das mortes desses patriarcas, cita-os como sendo pessoas que têm conhecimento do que se passa com o Povo de Deus, aqui na terra. [A frase tem o seguinte significa: ainda que fosse possível aos referidos santos patriarcas esquecerem-se de nós, ainda assim não nos desesperaríamos pois Deus é nosso pai. É semelhante àquela outra citada pelo mesmo profeta: "Por acaso uma mulher se esquecerá de sua criancinha de peito?... Ainda que as mulheres se esquecessem eu não me esqueceria de ti" (Is 49,15).].

E também: “Vós vos aproximastes do monte Sião e da Cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e de milhões de anjos reunidos em festa… de Deus, o Juiz de todos, e dos espíritos dos justos que chegaram à perfeição” (Hb 12,22-23). Portanto, já não sois estrangeiros e adventícios, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus” (Ef 2,19).

Nós nos aproximamos de toda a realidade celestial: de Deus, dos anjos, e dos santos. Somos (os católicos) cidadãos, “com” todos os filhos da Luz, desse reino celetial. Mais até: estamos irmanados a eles, já que constituímos – com os mesmos – uma única e mesma sagrada família. Cientes, por conseguinte, que: “Estamos em comunhão uns com os outros” (1 Jo 1,7). Ligados pelo inquebrantável vínculo do amor (da caridade, que jamais passa).

Sra Ana aproveite e pergunte para a sua amiga: E quanto aos santos Henoc e Elias? Estes foram arrebatados para não conhecerem a morte (cf. Hb 11,5; 2 Rs 2,11). A estes, os adventistas não podem alegar que estejam “dormindo”. Lembre-lhe, ainda, que nós católicos confessamos que a santa Mãe de Deus, Maria Santíssima, encontra-se no céu de corpo e alma.

De modo que, o Cultos aos Santos é sempre Culto a Vivos, ao menos vivos espiritualmente (como são os mártires); quando não, nalguns casos, como o da Santa Virgem, ou de Henoc e Elias, é também Culto a Vivos corporalmente. Além do mais, o Culto aos Santos abrange aos santos seres angelicais – os anjos – que, certamente, nunca “adormeceram”. [É culto de veneração às santas criaturas, jamais de adoração!].

PS.: Sei que fui deveras sucinto sobre tal temática, todavia espero que seja útil. [E sempre lembrando, que tudo que eu escrevo está, e estará sempre, sujeito a um maior e melhor juízo, que é o da Santa Madre Igreja.] Quanto à questão do sábado, quiçá, numa outra oportunidade.

Bibliografia

– BÍBLIA DE JERUSALÉM, Editora Paulus, SP, 1996.

Professor, fique com Deus!

Prezado Herbert,

Salve Maria!

Agradecemos sua excelente carta e vamos publicá-la. Deus lhe pague pela ajuda!

In Corde Jesu,

Lucia Zucchi

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais