Montfort Associação Cultural

7 de março de 2007

Download PDF

Ordem de Melchisedec

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: João Ricardo Pasquini Lopes
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: Superior concluído
  • Religião: Católica

Olá à todos da MONTFORT.

Sou Católico e acompanho o site há algum tempo.

Desde então, leio a Bíblia diariamente e, na Epístola aos Hebreus, é dito acerca de Melquisedeque:

7.3 “Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias, nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre”.

Qual o significado dessa passagem? É possível concluir que quando o texto sagrado diz que ele não tinha pai e mãe, nem princípio nem fim, significa tão somente que ele não tinha genealogia no sentido de não existir registro algum de sua origem, de sua descendência ou de sua morte?
Por fim, a expressão “não teve princípio de dias, nem fim de existência” parece apontar para uma natureza divina, tal qual a natureza eterna de Jesus Cristo, não tendo princípio nem fim. Existe aí uma comparação entre Melquisedeque e Jesus?

Agradeço à todos pela atenção.

Muito prezado João Ricardo,
Salve Maria.

    Muito se tem discutido sobre o misterioso personagem Melchisedec. São Tomás de Aquino trata desse problema na Suma Teológica (III, Q.22, a. 6).
    São Tomás explica o seguinte:
    O sacerdócio da Antiga Aliança - do Velho Testamento – foi figura do sacerdócio de Cristo mas de modo imperfeito. O sacerdócio levítico não apagava o pecado, e não era um sacerdócio eterno como o de Nosso Senhor Jesus Crsito
    Por isso, Deus fez apresentar essa figura misteriosa de Melchisedec, sem genealogia, sem nomear seu pai e sua mãe, rei de Jerusalém, ao qual o próprio Abraão prestou homenagem por ser ele figura de Cristo e do sacerdócio do Messias Redentor dos homens.
    Melquisedec é dito sem pai e sem mãe, não porque não os tivesse tido, mas para simbolizar melhor a Jesus Cristo que, na terra, não teve pai, e no céu, não teve mãe, e nem teve princípio no tempo, pois Ele mesmo, Cristo, o Verbo era o Princípio de todas as coisas, com o qual e pelo qual tudo foi feito.
    Sendo Deus e homem, Cristo apagou todos os nossos pecados por seu mérito divino infinito.
    O sacrifício levítico era de animais, um sacrifício sangrento, enquanto o sacrifício de Melchisedec era de pão e vinho como o de Jesus no Novo Testamento.
    Por tudo isso se diz que Cristo é sacerdote segundo a ordem de Melchisedec — sem princípio no tempo e sem origem humana — mas eterno. Essa é a razão pela qual Abraão prestou homenagem a Melchisedec, venerando nele a figura mais perfeita do sacerdócio de Cristo

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Sinal da Cruz - Orlando Fedeli

Cartas: Bento XVI e a separação entre Igreja e Estado - Orlando Fedeli

Oração e Vida Espiritual: Liturgia do Primeiro Domingo da Quaresma

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais