Montfort Associação Cultural

28 de janeiro de 2005

Download PDF

Oração

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Ana Luiza
  • Localizaçao: Recife – PE – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Profissão: Adm de Empresas
  • Religião: Católica

Caro Prof. Orlando, muito obrigado pelas respostas que o senhor vem me dando, que tanto está contribuindo para o meu fortalecimento na fé católica.
Venho mais uma vez importuná-lo com minhas perguntas, que hoje é a seguinte: Tenho sentido falta da oração “Alma de Cristo”…

Alma de Cristo, santificai-me;
Corpo de Cristo, salvai-me;
Sangue de Cristo, inebriai-me;
Água do lado de Cristo, purificai-me;
Paixão de Cristo, confortai-me;
Ô bom Jesus, escutai-me;
Dentro das vossas chagas, escondei-me;
Não permitais que eu me separe de vos;
Do Espírito maligno, defendei-me;
Na hora da morte, chamai-me;
E mandai-me ir para vós, para que com
Os vossos santos, vos louve
Por todos os séculos e séculos amém.

…após a comunhão, segundo uma amiga minha, também católica, ela não mais está sendo permitida. O senhor saberia me dizer se ela foi proibida e porque??
Mais uma vez obrigada pela sua resposta. Fique com Deus e Nossa Senhora,
Um grande abraço,
Ana Luiza

Muito prezada Ana Luiza
salve Maria!
 
    Tenho muito prazer em atendê-la.
    Essa piedosa e famosa oração —”Alma de Cristo” — foi composta por Santo Inácio de Loyola.
    Ela não foi proibida, e nem pode ser proibida. Reze-a então sempre que puder, especialmente quando comungar, em sua ação de graças.
    Reze por mim e escreva-me sempre.
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Missa de cura - Orlando Fedeli

Curso de Catecismo Romano IV – A Oração - Ivone Fedeli

Oração e Vida Espiritual: São Romualdo, dia 7 de fevereiro no calendário tradicional

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais