Montfort Associação Cultural

16 de dezembro de 2010

Download PDF

Ofensas de uma pós-graduada em palavrões

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Anônimo
  • Localizaçao: ES – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Religião: Católica

Dia desses, entrei neste site li uma carta onde o leitor questionava: Porque tanto ódio? – Referindo-se ao Sr. Fedeli. Realmente incomoda muito, intriga-nos o fato de que hoje em dia, “em nome de Deus”, haja tanta violência e agressão verbal.
O sr. Orlando e a Montford parecem que congelaram no tempoa da Idade Média. Sr orlando detesta tudo que é moderno. Não pode nem ouvir esta palavra… Pergunto: Porque então, usa a Internet? Ex Arauto do Evangelho, deveria sair por aí à cavalo, vestido de armadura e gritando aos quatro ventos, já quer dar uma de Dom Quixote! Não tem o direito de se valer dos meios de comunicação modernos já que os odeia!
Sr, orlando, sem querer ser grosseira, porque isso não faz o meu gênero, penso que o senhor deveria procurar um psiquiatra. Sua postura é mais do que ultrapassada é doentia. Os que lhe dão ouvidos, não querem verdadeiramente ser evangelizados, são curiosos, ávidos de ouvir extravagâncias. O senhor não sabe que muitos são assim? Infelizmente, uma boa parcela, gosta de espetáculos, sensacionalismos e besteiras que em nada edificam! É isso que se vê no seu site. Seu duelo “palavreoso” com os leitores é inconcebível. Esse site mais parece uma arena do que um espaço de evangelização! Se é que é esse seu verdadeiro interesse… não adianta ficar dando respostas velhas a perguntas novas. O senhor se tornou um odre velho e rachado e é por isso que não suporta o vinho novo trazido pelo Vaticano II. Olha eu de novo sendo grosseira. Mas é que não encontro outros termos para me exprimir. Sr Orlando, volto a repetir: o senhor precisa de um psiquiatra que o ajude a fazer o retorno ao presente e cair de vez na real!
Sem querer fazer propaganda e se me permite, gostaria de recomendar ao senhor e a sua equipe a leitura dos livros do doutor Augusto Cury. Pesquisador a mais de vinte anos e que desenvolveu com sucesso extraordinário, uma tese sobre Inteligência Multifocal , que tem revolucionado nosso jeito de pensar ver a realidade. Coleção “Análise da Inteligência de Cristo” – Academia da Inteligência – e “Seja Líder de si mesmo, o maior desafio do ser humano” – Sextante. – Segundo Cury “as biografias de Cristo revelam que ele objetivava não reformar o homem, mas produzir uma transformação em seu interior, reorganizar intrinsecamente sua capacidade de pensar. Cristo objetivava produzir um homem novo. Um homem solidário, tolerante, que supera as ditaduras da inteligência, que se vacina contra a paranóia do individualismo, que aprende a se conhecer, que considera a dor do outro, que se repensa, que se coloca como aprendiz diante da escola da vida, que desenvolve a arte de pensar, que expande a arte de ouvir, que refina a arte da contemplação do belo.” – Análise da Inteligência de Cristo, Mestre dos Mestre. Pág. 125.
S.r orlando, se o senhor quiser me xingar, e me mandar para a (palavrão)…… que assim o faça. Mas tudo que escrevi é de coração sincero e fraterno.
A Paz de Cristo!

Data: 12 Abr 2008

 
Muito prezada Pós Graduada CMMDeP,
Salve Maria.
 
     Pelo nível intelectual e de educação revelado por sua missiva, você deve ter feito Pós Graduação em Teologia ou em Sociologia.
     Foi só ler seu desafio colocado no início de sua carta – “ESPERO QUE PUBLIQUEM!”—que pensei comigo mesmo: “Aí devem vir tolices grossas”. Tanto mais que você declara ter feito curso de pós graduação. E não me enganei. Eram tolices pós graduadas.
     
     Só quem tem curso superior — e de pós graduação — poderia ter escrito, sem desconfiar de si mesmo e do que escreveu.
     Normalmente, as pessoas têm senso de suas limitações, e temem se expor. Somente pessoas que receberam diplomas no Brasil pós Fernando Henrique, com suas absurdas orientações socialistas educacionais, e somente no Brasil do Lula, poderia acontecer a absoluta falta de senso de limites que você revela, e fazendo desafios como você faz.
     Somente pessoas que fizeram pós graduação de certo tipo se revelam, com toda a sua “sabedoria”, sem perceber o desdouro que é o título que ostentam, e que os cega, não lhes permitindo ver nem mesmo suas curtíssimas limitações.     
 
     Minha filha, nunca mais escreva. Nunca mais se gabe de ter feito curso superior e até de pós graduação. Fica-lhe mal revelar seus títulos, e demonstrar  em seguida o que você pensa que sabe.
     Quando cheguei a seu palavrão final, colocado pouco antes de me desejar a “Paz de Cristo”, fiquei bem triste. Como pode uma pessoa escrever tal baixeza, e desejar imediatamente depois a “Paz de Cristo?”
     Pobrezinha!
     Por isso não publiquei o seu nome, para não humilhá-la, ao lhe dar esta lição.
 
     Nada lhe ensinaram. Nem educação.
     
     Mas, é evidente que vou publicar a sua carta. Não para refutá-la pessoalmente. Sua carta não merece refutação. Mas publicá-la-ei para comprovar o estado lastimável da educação que hoje se alcança em nível de pós graduação.
     Sua carta exprime bem a ignorância completa em que as escolas – e as Faculdades!!! — e as paróquias! — deixam as pessoas.
 
     Minha filha, sua carta é uma vergonha. Mas, a culpa principal não é sua. É a do seu vigário. É de seus professores, que nada lhe ensinaram.
     É da Faculdade que você cursou e que lhe concedeu um titulo imerecido.
     Eles é que merecem toda a critica. Eles é que serão punidos por Deus por seu atrevimento ignorante, e por sua ignorância atrevida.
     
     Pobrezinha! Você é mais vítima do que culpada. Vítima de seu vigário e de sua Faculdadezinha. Vítima de sua escolinha primária.
     Ensinaram-lhe escrever… palavrões e absurdos. Sem respeito, até por você mesma…
     Como teria sido bem melhor, se você tivesse ficado analfabeta! É bem melhor ser analfabeta com sabedoria – pois a sabedoria traz humildade que permite conhecer suas limitações – do que ser alfabetizada.
     Você quase chegou a o nível dos teólogos atuais.
 
******
 
     Permita-me apenas dar-lhe agora algumas informações complementares e finais.
     
     Primeira: nunca fui Arauto. Esses arautos me odeiam ainda mais do que você.
 
     Segunda: ser contra a Modernidade, não exige que use pombo correio para mandar minhas cartas.
 
     Terceira: se de fato eu fosse doente mental, suas palavras seriam preconceituosas para com uma pessoa doente. Como sou normal, você me recomendar ir a psiquiatra, só me insulta, mas revela sua pouca elevação intelectual e educacional.
 
     Quarta: quando você fala de coração sincero e fraterno, você diz palavrões. Isso só confirma a palavra de Cristo: “A boca fala do que há em abundância no coração” (Lc, 6:45).
 
     Quinta: recomendo-lhe que faça dois cursos: um curso primário de redação, e outro elementar de boas maneiras. Far-lhe-iam bem.
 
     E que Deus a perdoe.
 
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais