Montfort Associação Cultural

20 de março de 2007

Download PDF

O universo é finito

Autor: Edson Dalla Vecchia

  • Consulente: Wirley
  • Localizaçao: Divinópolis – MG – Brasil
  • Religião: Ateu

Olá pessoal da montfort, estava lendo uma de suas respostas a uma carta e tenho dúvidas quanto a resposta que deram. Vocês disseram que o universo é finito segundo a bíblia, tudo bem então me digam, onde está o universo, pois tudo que é finito está dentro de outra coisa. como exemplo podemos ter: nossos ossos são finitos e estão dentro de nosso corpo, seu quarto é finito e está dentro de sua casa. Então onde está o universo???
Agora se o universo for infinito, me demonstre um única coisa nesse mundo que seja infinita (OBS: não me venham como a ideia do amor de Deus ser infinito, quero resposta materialista).
Caso minha dúvida seja sanada, ficarei encarecidamente agradecido.

Wirley

Caro sr. Wirley, salve Maria.
 
Inicialmente peço-lhe desculpas pela demora na resposta.
 
A própria ciência está chegando à conclusão de que o Universo é finito.
 
Há, por exemplo, um grupo de cientistas da Universidade da Pensilvânia (EUA) que, estudando a radiação cósmica de fundo, encontrou evidências de que o universo seja finito:

     ”… o grupo encontrou um novo eixo de distribuição da radiação, compatível com um modelo de Universo finito.” (em “Brasileira participa de estudo internacional sobre o tamanho do Universo”, André Chaves de Melo, do Jornal da USP – http://www.usp.br/agen/bols/2003/rede1179.htm#primdestaq )

 
Outro grupo de cientistas também chegou à mesma conclusão: 

     ”Agora, cientistas franceses, com base em novas observações, sugerem que o Universo é redondo, “remendado” como uma bola de futebol e finito, ou seja, fechado em si mesmo.” (em “O Universo é uma bola de futebol”, Diogo Dreyer – http://www.educacional.com.br/noticiacomentada/031014_not01.asp)


O artigo original desse grupo saiu na renomada revista científica Nature. Dou-lhe apenas algumas notícias que circularam na imprensa recentemente.
 
O famoso físico Albert Einstein (1879-1955) já estabelecera um modelo de universo finito. Se houvesse um valor crítico de matéria no universo, as equações de Einstein levariam à conclusão de que o universo seria finito. E hoje os estudos da chamada matéria-escura tendem a confirmar o modelo de Einstein.
 
     ”Idéias como essa circulam na Física desde Albert Einstein, que, usando sua Teoria da Relatividade, propôs um modelo de cosmo esférico e fechado.” (idem)
Aliás, muito antes de Einstein, em 1823, o paradoxo de Olbers, já antevisto por Kepler e Halley, era a principal objeção contra o modelo de universo infinito. Resumindo, o argumento consiste no seguinte: suponha um universo infinito e homogêneo, ou seja, sua matéria está distribuída uniformemente por toda a sua extensão (hoje sabemos que há pequenas flutuações locais, em escala cósmica, mas que não comprometem o argumento). Sabemos que a intensidade de luz proveniente de uma estrela qualquer é inversamente proporcional ao quadrado da distância, em suma, quanto mais distante uma estrela, mas fraca será sua luminosidade. Porém, conforme a distância aumenta, a quantidade de estrelas também aumenta, e com o quadrado da distância. Então, apesar da luminosidade das estrelas diminuir com o aumento da distância, a quantidade de estrelas aumenta na mesma proporção. Portanto, pela suposição inicial de que o universo seria infinito, deveria haver a mesma claridade em qualquer direção que se olhasse no céu. Consequentemente não haveria noite, pois o céu estaria uniformemente coberto de estrelas!
 
Não sei qual sua formação, mas em uma pesquisa não muito profunda você poderá encontrar livros e artigos científicos que explicam com maiores detalhes todos esses argumentos e o histórico dos modelos cosmológicos.
 
Você pediu uma resposta materialista, mas não se contente somente com elas. Se você gosta de estudar o universo, suas leis, e sobretudo sua ordem, e se você for honesto com as conclusões que tirar, continue, pois Deus lhe dará graças para poder enxergá-Lo nos seus vestígios, isto é, na sua obra de criação.
 
“Porque pela grandeza e formosura da criatura Se pode visivelmente chegar ao conhecimento do seu Criador” (Sab. XIII, 5).
 
Mas é preciso desapego e coração reto: só os “limpos de coração verão a Deus” (S. Mat, V, 8).
 
Ao estudar as coisas criadas é possível conhecer algo do Criador, pois todas as coisas foram feitas à sua imagem e semelhança, em todas as coisas Ele espelhou as suas perfeições.
 
“Porque Deus não fala apenas por palavras, mas também pelas coisas que faz, porque o seu dizer é fazer, e o seu fazer é dizer” (S. Boaventura, Brevilóquium. Prol., §4,4).
 
Recomendo fortemente a leitura do artigo “O Criador e a criação” da nossa seção Veritas-Arte. Lá você verá como Deus fez o mundo para que, por fim, olhemos para Ele. Assim como um pai que dá tudo ao seu filho (sustento, abrigo, vestes, amor), e espera ansiosamente a hora de ouvir “papai…”, assim também é Deus, que tendo nos dado tudo, inclusive seu próprio Filho, espera que olhemos para o alto, para uma bela noite estrelada, e digamos: “meu Deus!”.
 
Cordialmente,
 
Edson D. Vecchia

TAGS

Publicações relacionadas

Notícias e Atualidades: Cientista coreano forjou dados de estudo de células-tronco embrionárias humanas

Cartas: Criação da luz - Fábio Vanini

Cartas: A fórmula da fé - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais