Montfort Associação Cultural

23 de setembro de 2011

Download PDF

Nota sobre o comunicado conjunto relativo ao encontro realizado entre a Congregação para a Doutrina da Fé e a Fraternidade Sacerdotal São Pio X

Autor: Alberto Zucchi

 Por Alberto Zucchi, Montfort.org.br

Em 13 de maio de 2009, pouco mais de um ano antes de falecer, nosso estimado Professor Orlando escrevia neste site:

“Nós, da Associação Cultural Montfort, lutamos em defesa da Fé Católica, da Missa de sempre e do Papa. Não visamos nosso triunfo, mas o da Igreja Católica. Por isso, a Montfort está sempre pronta a dar apoio a todos os que, unidos ao Papa, façam algum bem.”

Na seqüência o Professor pedia a nossos leitores e amigos que:

 “Do mesmo modo, rogamos a todos os nossos leitores e amigos que se associem também à campanha lançada por Dom Bernard Fellay, Superior da FSSPX, para que rezem seus terços para que o Papa, com todos os Bispos do mundo, consagrem a Rússia ao Imaculado Coração de Maria, tal como foi pedido por Nossa Senhora de Fátima”.

 

Por isso, nós da Montfort recebemos com grande alegria o comunicado da Santa Sé informando sobre a conclusão das conversações da Comissão mista de estudos, composta por especialistas da Fraternidade Sacerdotal São Pio X e da Congregação para a Doutrina da Fé, e realizadas segundo a vontade do Santo Padre.

 Até pouco tempo, noticias originadas de diversas fontes, especialmente nos meios da Internet, davam conta do fracasso das negociações e de sua total interrupção. Com a graça de Deus, isto não aconteceu. Ademais, através da leitura do comunicado da Santa Sé, é possível vislumbrar que existem indicativos de que a FSSPX voltará à comunhão plena, pois ele se conclui dizendo: 

“foram propostos alguns elementos, em vista de uma solução canônica para a Fraternidade Sacerdotal são Pio X, que seguirá a reconciliação eventual e esperada”.

Ora, o início do processo de solução canônica, durante a reunião de entrega do Preâmbulo Doutrinal, leva a crer que a Santa Sé tem, no mínimo, grande esperança de que a FSSPX possa aceitar plenamente o Preâmbulo, que ainda não é conhecido do público.

Nossa alegria é aumentada pelo fato de que o comunicado da Santa Sé, ao tratar do conteúdo do Preâmbulo Doutrinal, informa que o mesmo deixa abertos “uma legítima discussão e o estudo e a explicação teológica das expressões ou das formulações particulares presentes nos textos do Concílio Vaticano II e do Magistério que se seguiu”. Portanto, se existe uma legítima discussão, não se pode falar, como alguns pretendiam fazer, em ensinamento infalível do Concílio Vaticano II.

Crescem, portanto, nossas esperanças de que a FSSPX possa chegar a um entendimento com o Santo Padre, semelhante ao que ocorreu com os sacerdotes que fundaram o Instituto do Bom Pastor – IBP. Ou seja, sem que haja exigência de concessões doutrinárias que impliquem em aceitação de princípios contrários à doutrina tradicional da Igreja.

O conteúdo do Preâmbulo Doutrinal – mantido em tão absoluto sigilo que nenhum dos especuladores internautas de plantão tinha sido capaz de prever a sua existência – não foi divulgado, conforme informou Dom Fellay.  É curioso notar que este tem sido um procedimento habitual nas negociações do Vaticano com os chamados grupos tradicionalistas, ou seja, os textos referentes aos entendimentos são mantidos em sigilo. Mesmo sem a divulgação do Preâmbulo Doutrinal, muitas pseudo-autoridades têm comentado seu suposto conteúdo, querendo fazer crer que sua aceitação implicaria, da parte da FSSPX, em uma renuncia, ao menos parcial, dos seus princípios doutrinários. Entretanto, nada há no comunicado da Santa Sé que possa nos levar a esta conclusão. Ao contrário, Dom Fellay, na entrevista anteriormente referida, ao ser perguntado sobre quando pensa responder à proposta, afirma que:

“tão logo eu tenha tomado o tempo necessário para estudar este documento e consultar os principais responsáveis da Fraternidade São Pio X”.

Ora, se houvesse algo que implicasse em uma renuncia clara aos princípios doutrinários, não faria sentido Dom Fellay estudar o texto e levá-lo à discussão na Fraternidade, a não ser que ele admitisse que, com o consenso de uma maioria dos responsáveis da FSSPX, poderia ser aceito um acordo fazendo uma concessão doutrinária, o que acreditamos estar totalmente descartado.

De nossa parte, rezamos para que as esperanças expressas acima sejam realizadas e reiteramos nossos desejos de que a reconciliação se conclua o mais rapidamente possível. Para isto convidamos todos os nossos leitores a que, juntamente conosco, dirijam suas orações a Nossa Senhora de Fátima, que em suas aparições previu os terríveis acontecimentos de nossos tempos.

Alberto Luiz Zucchi

Presidente

 

São Paulo, 22 de setembro de 2.011

Na semana em que os sinos da Igreja Nossa Senhora do Brasil voltaram a funcionar

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais