Montfort Associação Cultural

13 de abril de 2011

Download PDF

Navegações portuguesas

Autor: Marcelo Andrade

  • Consulente: Pedro Raisin-dadre
  • Localizaçao: Rio de Janeiro – RJ – Brasil
  • Escolaridade: Superior concluído
  • Religião: Católica

Amigos da Montfort,

Busco argumentos para rebater um colega de trabalho que depreciou os feitos heróicos dos portugueses durante os descobrimentos, dizendo que os chineses eram bem mais avançados em sua civilização e tratavam os invasores com desprezo; e que nos navios os portugueses praticavam sodomia e pedofilia porque não tinham mulheres. Isso confere com a realidade ou é apenas mais um relato de historiadores comunistas? Notei que seus autores favoritos nesse terreno são esquerdistas como Hobsbawn, Caio Prado e Celso Furtado.
Não conheço quase nada da China para afirmar qualquer superioridade – ou não – desse país frente aos europeus na época dos descobrimentos. Mas se teve algum período dourado em sua história, me parece que estagnou depois, e não por obra dos conquistadores europeus, que não tiveram muito sucesso além das ilhas.
Quanto às acusações de pedofilia e sodomia, aqueles homens mal tinham saído da Idade Média, portanto creio que a moral cristã ainda os influenciava fortemente, e os historiadores modernos podem estar tomando casos isolados como padrão.
Agradeço as informações que puderem me enviar. Se não tiverem tempo de me responder, por favor me indiquem livros. Eu leio em espanhol e inglês.

Pax Christi,
Pedro

Pedro, Salve Maria!
     Seu colega de trabalho demonstra muita ignorância da história de Portugal e também da China. Ele repete os desgastados chavões da falsa historiografia marxistóide. 
     Se os chineses eram tão avançados por que não levaram para além mar sua civilização? Por que ninguém falava a língua dos mandarins fora da China?
     Vamos aos fatos.
     Os portugueses foram os primeiros, na história, a fazer com sucesso a navegação guiada somente por estrelas, sem referência em terra. Foram os primeiros a conseguir realizar navegações de longa distância com ida e volta, de modo sistemático.
     
Estavam na frente em tudo com relação a navegação, com a única exceção na caça às baleias (os bascos eram os melhores, neste quesito). 
     O
s ingleses aprenderam com eles. Os holandeses roubaram segredos de Portugal para poderem navegar no Índico. Os normandos (da França) contratavam construtores de barcos portugueses.
     
Felipe II, o mais poderoso rei do seu tempo, colocou um pedaço de um barco português no Escorial e não um espanhol, para simbolizar as navegações. Os barcos portugueses duravam até o dobro que um espanhol, então os segundos melhores.
     
Colombo aprendeu a navegar com os portugueses (ele morou muito tempo na Ilha da Madeira).
     
A superioridade portuguesa no Índico durou pouco mais de 100 anos. Muitas proezas que os ingleses fizeram nos séculos XVIII e XIX, os portugueses já haviam realizado há mais de 200 anos…
     Onde estava o atraso de Portugal?
     Esta história de sodomia nos barcos é puro “chute”, sem base nenhuma.
     
Não havia barco português que não levasse um sacerdote dentro. Havia missa e confissão. Nas tempestades todos ficavam de joelhos rezando. A missão dos padres já começava em alto mar.
     
Para se manter um controle de um barco, a disciplina tinha de ser rigorosíssima. As punições para qualquer crime eram severíssimas: açoite, morte ou desterro. A sodomia era impensável e se ocorresse, aconteceria uma vez só. Só para dar um exemplo. A pena para não saudar o capitão era o açoite.     
     O que havia de superior na China nos séculos XV, XVI e XVII?
     A abjeção dos eunucos? A sodomia generalizada, com pedofilia, inclusive? Os sacrifícios humanos no séc. XV? O infanticídio praticado com intensidade?
     
Os chineses abandonavam os velhos nos campos para morrer. As mulheres eram desprezadas. A caridade era desconhecida.
     A
visão de mundo deles era distorcida, eles se achavam o centro do mundo (o império do meio). Quando os jesuítas ensinaram o correto, os chineses ficaram fascinados.
     
Os imperadores da China maravilharam-se com os conhecimentos dos jesuítas acerca da astronomia, matemática, física etc., Chegaram a trocar os seus sábios pelos jesuítas para reformar seu calendário.
     
Até em táticas de guerra os portugueses ajudaram.
     Portugal tinha por volta de 1,2 milhões de habitantes e a China mais de 120 milhões, isto no século XVI.
     A epopéia portuguesa no além mar foi uma ventura espetacular! Portugal foi a nação missionária por excelência, sempre reconhecida e apoiada pela Igreja.
     Q
ue obra de caridade empreenderam! Transformaram canibais em músicos eruditos, forjaram santos, salvaram milhões de almas, converteram pagãos em mártires.
     F
undaram as santas casas de misericórdia desde os rincões do Brasil até o Japão.
     
Levaram a fé e a civilização desde o Bojador até o Timor.
     
É triste ver que, hodiernamente, a história de Portugal seja tão injuriada.

     Estou a sua disposição para maiores esclarecimentos e se precisar de bibliografia depois eu lhe envio.
     Por Santiago! (este era o grito de guerra dos portugueses no aquém e no além mar)
Marcelo Andrade

Leia também:
 Bibliografia sobre a história de Portugal

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Vida de São Jorge - Carlos Serozini

Curso de História da Igreja

Cartas: A Controvésia de Valladolid - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais