Montfort Associação Cultural

27 de janeiro de 2005

Download PDF

Mansão dos Mortos

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Ricardo
  • Localizaçao: – Brasil

Prezado Sr. Orlando Fedeli,

gostaria que me esclarecesse essas dúvidas sobre a mansão dos mortos: O que é a Mansão dos mortos? Antes de Cristo morrer não existia Céu e inferno? Muitos católicos usam o texto de 2Macabeus 12,43-46 para provar a existência do purgatório pela Bíblia, mas se antes de Cristo morrer não existia salvação também não existia o purgatório, ou não?

Prezado Ricardo, salve Maria.

A Igreja seguindo o que está escrito nos Evangelhos, sempre chamou os locais inferiores ao céu de “Infernos”, nome esse que incluia o purgatório, o limbo e o inferno de Lúcifer, ou inferno propriamente dito.

Depois do Vaticano II, se começou a usar a expressão “mansão dos mortos” para designar o purgatorio e o limbo. A expressão “infernos” que aparecia no Credo para indicar o limbo dos inocentes e dos santos que morreram antes de Cristo, assustava.

Então o clero progressista — que normalmente detesta que haja mansões na terra — começou a falar de “mansão dos mortos” para designar o purgatório e o limbo.

Claro que Céu, purgatório e inferno existiram desde que o demônio se rebelou e foi expulso do Céu.

Que o purgatório já existia, você pode concluir também da passagem de São Mateus, onde Cristo nos diz que:

“Todo o que disser alguma palavra contra o Filho do homem, lhe será perdoado, porém o que a disser contra o Espírito Santo não lhe será perdoado, nem neste século, nem no futuro” (Mt. XII, 32).

Portanto, há certos pecados que poderão ser perdoados no outro mundo. O que indica um lugar em que é possível a salvação, depois da morte. E como do inferno não é possível sair, há um lugar no outro mundo, de onde é possivel sair com o perdão. Esse lugar é o purgatório.

Cristo nos disse que, no dia do juízo final, Ele dirá aos pecadores:

“Afastai-vos de mim, malditos, e ide para o fogo eterno que foi preparado para o demônio e para os seus anjos” (Mt. XXV, 41).

Hoje, alguns sacerdotes, infelizmente aposentaram o diabo. Outros negam a sua existência, apesar do que Cristo disse.

Outros ainda há que negam que haja inferno. E há teólogos muito cotados e muito modernistas — portanto, muito heréticos — que dizem que, se o inferno existe, está vazio.

Entretanto, Cristo disse que o inferno existe, que nele há fogo e ranger de dentes, e que para lá vão os pecadores que morrem sem se arrepender de pecados graves. E como pecadores os há em toda a parte e em todas as religiões, conclui-se que o inferno é ecumênico.

O céu é católico. (Veja sobre esta questão o que tenho escrito sobre o dogma “Fora da Igreja não há salvação”, e sobre a possibilidade de salvação dos que pertencem à alma da Igeja, embora não pertençam a seu corpo visivelmente, por impossibiladade material invencível).

Esperando ter ajudado despeço-me

in Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Interpretação do Livro do Gênesis – II - Orlando Fedeli

Cartas: A tentação é algo próprio do demônio? - André Palma

Oração e Vida Espiritual: Décimo Sétimo Domingo depois de Pentecostes

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais