Montfort Associação Cultural

24 de dezembro de 2005

Download PDF

Manifestação da Trindade de Deus, no Gênesis

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Manoel P.B.
  • Idade: 36
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: 1.o grau incompleto
  • Profissão: padeiro
  • Religião: Católica

22“E o Senhor Deus disse: “Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal. Agora, pois, cuidemos que ele não estenda sua mão e tome também do fruto da arvore da vida, e o coma, e viva eternamente.”. 23O Senhor Deus Expulsou-o do Jardim do Éden, para que ele cultivasse a terra donde tinha sido tirado. 24E expulsou-o; e colocou ao oriente do jardim do Éden querubins armados de uma espada flamejante, para guardar o caminho da arvore da vida.”. Gênese capitulo 3, versículos 22, 23 e 24.

Com relação a estes capitulos do gênese pairam duvidas que não consigo responder sem esbarrar no panteísmo.

Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal. Agora, pois, cuidemos que ele não estenda sua mão e tome também do fruto da arvore da vida, e o coma, e viva eternamente.

Quem são nós? Se a referencia é a trindade e ai Deus falaria nas três pessoas porque só neste capitulo se refere desta maneira e não de maneira habitual?

Porque Deus criaria uma arvore da vida para se viver eternamente se o homem morre porque pecou assim não haveria necessidade desta “arvore” Deus não cria sem necessidade, que seria absurdo a perfeição.

“E expulsou-o; e colocou ao oriente do jardim do Éden”.

Porque da necessidade de um anjo para guardar a arvore da vida se o homem não sabe nem onde esta o paraíso

Caro professor Orlando fico grato por responder estas minhas dúvidas que sei que são frutos de meu parco conhecimento, e para o Sr. Deve ser até desprezível minha ignorância.

Que Deus o mantenha em sua Graça

Manoel

Muito prezado Manoel,
salve Maria!
    É com prazer que lhe respondo. Pouco importando seu conhecimento. Você é um filho de Deus, e isso é o que importa.
    Deus, nesse trecho, está ironizando a situação em que Adão caiu. Adão pretendia ser como Deus e caiu em situação miserável. Deus aí fala no plural, sendo isso um indicativo da Trindade. Do mesmo modo Deus dissera ao criar Adão: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança“.
     No paraíso, Deus concedera a Adão o dom da imortalidade que não lhe era natural. Deus fez essa árvore da vida para ensinar Adão de que a concessão da imortalidade não lhe era natural, e que era preciso mantê-la.
    Além disso a árvore da vida no Paraíso, era para manter a vida de Adão para sempre. Ela foi posta no Paraíso como símbolo da cruz de Cristo da qual pendeu Aquele que nos dá a vida eterna.
    A grande tentação do homem, na terra, é a de criar um “paraíso” aqui, por meio da ciência, da técnica ou da magia. Deus, então, para nos deixar claro que isso é impossível, disse que colocou um anjo à porta do éden. Isto siginifica que a vida do homem na terra será sempre um vale de lágrimas, e que os políticos ou as seitas que prometem criar uma felicidade perfeita na terra, nem eles mesmos a têm.
    Que Deus lhe conceda um santo Natal

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Hóstia Sagrada e pão ázimo - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Desigualdade & igualdade: considerações sobre um mito - Orlando Fedeli

Cartas: Sofrimento no Cristianismo - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais