Montfort Associação Cultural

25 de outubro de 2013

Download PDF

Liturgia do Último Domingo de Outubro: Festa de Cristo Rei

Fonte: Missa Tridentina na Paróquia São Sebastião, Campo Grande

FESTA DE CRISTO REI

(Último Domingo de Outubro)
Festa de 1ª Classe – Paramentos Brancos
Para ler/baixar o Próprio desta Missa, clique aqui.
Para ler/baixar a Consagração do Gênero Humano ao Sagrado Coração de Jesus (rezada em todas as igrejas no dia desta solenidade), clique aqui.
Cristo Rei”. Detalhe de afresco por Fra Angelico em 
teto da abóbada de uma igreja de Orvieto, Itália.
Epístola de São Paulo Apóstolo aos Colossenses 1, 12-20.
Irmãos: Damos graças a Deus Pai, que nos fez dignos de participar da herança dos santos na luz; que nos arrancou do poder das trevas, e nos transferiu para o Reino do Filho do seu amor, em Quem temos, pelo seu sangue, a redenção e o perdão dos pecados. Ele é a imagem do Deus invisível, o primogénito de toda a criação porque é Nele que tudo foi criado nos Ceus e na Terra, o mundo visível e o invisivel, os Tronos e as Dominações, os Principados e as Potestades Tudo foi criado por Ele e para Ele. Ele é anterior a tudo, e tudo Nele subsiste. É Ele ainda que é a cabeça do corpo da Igreja; o princípio , e o primogénito de entre os mortos, a fim de em tudo ter a primazia, porque aprouve a Deus fazer Nele residir toda a plenitude; e por Ele, que restabeleceu a paz no sangue da sua cruz, reconciliar tudo o que existe, seja na terra ou nos Céus, em Jesus Cristo, Nosso Senhor.
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 18, 33-37.
Naquele tempo: Pilatos perguntou a Jesus: “Tu és o rei dos Judeus?” Jesus respondeu: “Dizes isso de ti mesmo, ou foram outros que to disseram de Mim?” Pilatos replicou: “Acaso sou eu judeu? Os da tua nação, e os sacerdotes, entregaram-Te nas minhas mãos! Que fizeste?” Jesus observou: “O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fo e deste mundo, certamente que os meus servidores haviam de lutar para Eu não ser entregue aos Judeus. Não! O meu Reino não é cá da terra.” Pilatos, então, insistiu: “Logo, Tu és rei?” Jesus respondeu: “Dizes bem: Eu sou rei! E se nasci e vim ao mundo, foi para dar testemunho da verdade; quem é pela verdade, escuta a minha voz.”
Traduções das leituras extraídas do Missal Quotidiano por Pe. Gaspar Lefebvre OSB (beneditino da Abadia de Santo André) – Bruges, Bélgica: Biblica, 1963 .
Comentário ao Evangelho do dia:
Santa Teresa de Ávila (1515-1582), carmelita descalça, doutora da Igreja
Caminho de Perfeição, 22 (disponível no site Evangelho Quotidiano, apud Per Ipsum)
“A Minha realeza não é deste mundo”
Tu és rei eternamente, meu Deus [...]; quando dizemos no Credo que o Teu “reino não terá fim”, sinto quase sempre uma alegria muito especial. Eu Te louvo, Senhor, bendigo-Te para sempre! No fim, o Teu reino durará eternamente! Não permitas nunca, Mestre, que os que Te dirigem a palavra julguem poder fazê-lo só com os lábios. [...] Certamente, quando vamos ao encontro de um príncipe, não lhe falamos com o mesmo à-vontade que a um aldeão ou a uma pobre religiosa como nós: seja qual for a maneira como nos falarem estará sempre bem.
Sem dúvida que a humildade do nosso Rei é tal que, apesar da minha ignorância das regras da linguagem, Ele não deixa de me escutar e de me permitir aproximar-me d’Ele. Os Seus guardas não me afastam, pois os anjos que O rodeiam não ignoram que o seu Rei aprecia mais a simplicidade de um humilde pastor que, se pudesse, diria mais que todos os belos raciocínios dos maiores sábios e letrados, se não forem humildes.
Mas se o nosso Rei é bom, não é razão para nos mostrarmos grosseiros. Nem que seja apenas para Lhe testemunhar a minha gratidão por Ele Se dignar suportar junto a Ele uma pessoa tão repugnante como eu, é justo que eu reconheça a Sua nobreza e grandeza. Na verdade, basta aproximarmo-nos d’Ele para compreendermos isso. [...] Sim, aproximai-vos d’Ele minhas filhas, mas pensai e compreendei a Quem ides falar, ou com Quem falais já. Nem em mil vidas como a nossa chegaremos a compreender as deferências que merece um tal Senhor, diante de Quem tremem os anjos. Ele tudo comanda, tudo pode; para Ele, querer é operar. É justo, minhas filhas, que procuremos alegrar-nos com as grandezas do nosso Esposo, que compreendamos de Quem somos esposas e, assim, saibamos que santidade deve ser a da nossa vida.

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais