Montfort Associação Cultural

19 de outubro de 2005

Download PDF

Limbo não existe

  • Consulente: Oscar Nascimento Oliveira Júnior
  • Localizaçao: Salvador – BA – Brasil
  • Escolaridade: Superior concluído
  • Profissão: Estudante
  • Religião: Católica

Neste site te fazem perguntas de tudo, é complicado responder tanta coisa.
Mas numa de suas resspostas você fazlou de limbo, isto não existe, não tem fundamentação teológica, não há passagem bíblica e nem documento, apesar desta idéia ser divulgada na Igreja.
Quais são as suas fontes para falar em limbo?
Uma sugestão é não dá opiniôes sobre pessoas, não se deve chamar Frei Betto de framigerado, pelo menos por respeito.
O PT é melhor do que PFL, PP, PSDB, PRONA,PSTU, PCO. Os dois primeiros são oportunistas, são a elite econômica, PSDB tem até gente séria como o governador de Góias que é católico, mas venderam o Brasil, PRONA é extrema direita.
PSTU e PCO são partidos que nem um católico deve apoiar são a favor de “tudo “que a Tradição prega em moral: feminismo, aborto, etc.
Quanto ao presidente da República é um homem que serve ao povo, é assim que também se serve a deus, é verdade que em pontos de moral ele afastou-se da sã doutrina.
E comentários do PAPA com ministro Celso Amorim não tem nada com infalibilidade, faltou esta explicação, pois ela é um, atributo que quando utilizado pelo Papa está declarado, como nas constituições dogmáticas, Catecismo da Igreja Católica, canonizações.
E quanto ao véu, não houve nemhum abuso qauem quiser usar use, isto não é uma doutrina, mas uma recomendação do apóstolo.

Caro Oscar, salve Maria!

O termo limbo é aplicado teologicamente ao < ?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

(1) lugar temporário ou estado das almas dos justos que, apesar de livres dos pecados, estavam excluídos da visão beatífica até a ascensão triunfante de Cristo ao Céu (o “limbus patrum”) ou

(2) ao lugar ou estado permanente daquelas crianças não batizadas e de outros que, morrendo sem nenhum pecado pessoal grave, são excluídos da visão beatífica por causa do pecado original (o “limbus infantium”).

O limbus patrum é mencionado diversas vezes no antigo testamento, como na parábola de Lázaro e o rico
epulão, onde é chamado de “seio de Abraão” (Lucas 16:22), por exemplo.

A crença no limbus patrum era corrente entre os judeus no tempo de Jesus, e a tradição patristica também
suporta inequivocamente sua existência.

Quanto ao limbus infantium, para onde vão as almas daqueles que morreram sem pecado mortal, mas sem ter a mancha do pecado original apagado pelo batista, diz São Gregório Nanzianzo (325-389):
“aqueles citados por último (crianças que morreram sem batismo) não serão admitidos pelo justo Juiz na glória
do Céu nem condenados a sofrer punições, uma vez que, apesar de não terem sido batizados, não eram
maus”
[Orat., xl, 23]

O Papa Inocêncio III (1160-1216) ensina que aqueles que morreram apenas com o pecado original em suas
almas não sofreram “outra pena, seja fogo material ou do verme da consciência, exceto a dor de ser privado
para sempre da visão de Deus”
(Corp. Juris, Decret. l. III, tit. xlii, c. iii — Majores).

São Tomás de Aquino, o maior de todos os teólogos ensinou que os não batizados que morreram sem pecado
não sofrem nenhuma dor da perda ou “aflição interior” nihil omnino dolebunt de carentia visionis divinae –
“In Sent.”, II, 33, q. ii, a.2). At first (“In Sent.”, loc. cit.). São Tomás explica que o limbus infantium
não é apenas um mero estado negativo de imunidade contra o sofrimento e a amargura, mas um estado de
alegria positiva no qual a alma é unida a Deus pelo conhecimento e amor por Ele proporcionado pela
capacidade natural.

Apresentei-lhe, como pediu, e contra o seu palpite contra o limbo, dizendo que “isto não existe, não tem
fundamentação teológica, não há passagem bíblica e nem documento”,
não só provas da Sagrada Escritura, como também a palavra de um padre da Igreja e do maior teólogo de todos, e mais importante, o ensinamento de um papa.

Quanto aos apodos dados ao semi frei Beto, fomos até moderados, pois Nosso Senhor chamava aos fariseus de víboras e de demônios.

Nós nos eximimos de opinar sobre partidos políticos em nossas respostas, pois não serve aos propósitos do
site.

Nós nos opomos, isso sim, ao comunismo e o socialismo, condenados pela Igreja, que são a fonte ideológica
onde bebem diversos partidos que você mencionou, o PT inclusive.

Passe Bem,
Paulo Pedrosa

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Justiça x Misericórdia - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Maria, fonte de nossa confiança - Rafael Acácio

Cartas: Anátema

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais