Montfort Associação Cultural

24 de janeiro de 2005

Download PDF

Legitimidade da Tradição

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Cilas E. Oliveira
  • Localizaçao: Ourinhos – SP – Brasil
  • Religião: Protestante

Sem entrar no mérito da polêmica, seria muito útil para mim um esclarecimento sobre o papel da Tradição e do Magistério da igreja.

Quando algumas questões antagônicas às doutrinas da igreja são postas em evidência, um texto muito conhecido das Escrituras é citado visando abalizar o papel da Tradição. Tal enunciado diz respeito aos feitos de Jesus, os quais deixaram de ser transmitidos pela palavra escrita, e que “no mundo não caberia a quatidade de livros que por ventura fossem escritos”.

Segundo se infere, baseado nesse texto e em outros, somos levados ao seguinte reciocínio:

a) concordar que inumeras expressões utilizadas nas Escrituras – inclusive neste versículo – estão empregnadas de hebraísmo. Exemplo: “Se ninguém odiar a seus pais por amor de mim não é digno de mim”. De forma alguma Cristo pregava o ódio. Hermeneuticamente falando entendemos tratar-se das prioridades, dos desprendimentos;

b) Como os postulados da Tradição não podem ser provados, diríamos, em hipóstese alguma, não estaria ela(a Tradição)apegando-se em elementos hipotético, ou até mesmo utópicos para tentar provar o improvável? Se não há como prova-los, não seria um “chute” da Tradição, uma abstração ao atribuir como doutrinas o apenas imaginável?

Uma certa espectação do ilusório sobressai em nossa mente ao doar o caráter análogico à Tradição, comparando-a a um país que emite toneladas de papel-moeda sem ter o devido lastro em reservas auríferas. Isso nos faz lembrar o Brasil quando emitiu os chamados “papéis podres”.

Lamentamos profundamente não contarmos com o aval da inspiração, o “imprimatur” divino nos postulados da Tradição. tivesse a Tradição esse selo, como o tem as Escrituras, muitas celeumas seriam evitada.

Pelo fato de a Tradição e o Magistério estarem postados em um nível superior à Palavra – tanto que podem interpreta-la a ponto de atribuir como fidedignos conceitos sem o aval divino – o glossário doutrinário da igreja não poderia ter sido transformado em um imenso charco de areia movediça?

Cilas E. Oliveira

Muito prezado Cilas, Salve Maria.

O problema que você coloca é o da legitimidade da Tradição.

Para os protestantes, a única fonte de revelação é a Escritura. Ora, esse principio de “sola Scriptura” não se sustenta sem a tradição.

Vejamos.
Admitindo, por hipótese, que houvesse só a Escritura como fonte da revelação, cair-se-ia em contradição imediata. Porque o próprio canon das Escrituras não foi fixado por elas. Quem formou o canon inicialmente foi a tradição, confirmada, depois, pela Igreja.

Ademais, o próprio texto da Escritura afirma que se devem seguir as tradições.

São Paulo recomenda: “Tenete traditiones” — “Mantende as tradições”.
Se ele condena — como Cristo — as tradições humanas, ele ordena que se guardem todas as coisas que ele ensinou por escrito e POR PALAVRA:
“Permanecei, pois, constantes, irmãos, e conservai as tradições que aprendestes, ou por nossas palavras, ou por nossa carta” (II Tess.II, 14).

Por isso, a Igreja sempre ensinou que são duas as fontes da revelação: as Sagradas Escrituras e a Tradição Apostólica.

Negando-se o valor do Magistério da Igreja e da Tradição apostólica e ficando apenas com a Escritura, aí sim é que se cai no areal movediço da interpretação pessoal e relativista da Escritura. E foi o que aconteceu e o que se constata com o protestantismo. Na verdade, não existe o “Protestantismo”. O livre exame faz de cada protestante o único membro de sua igreja. O livre exame da Escritura, a negação da Tradição e da única Igreja de Cristo tornam inútil toda a Escritura, porque ninguém saberia ao certo o que Deus teria revelado com o uso de palavras unívocas, análogas e equívocas.

Cada um interpretando a seu bel prazer o texto revelado, não haveria verdade revelada e a Escritura, em lugar de ser fonte de verdade, seria fonte de confusão. Aliás, foi a essa conclusão que chegaram os Ranters, seita protestante inglesa que, verificando o cáos de interpretações a que se havia chegado com o livre exame, acabaram concluindo que a Bíblia era o livro mais diabólico que jamais existira.

Esperando tê-lo ajudado com estas considerações, recomendo-lhe ainda que reze a Nossa Senhora, Mãe da Sabedoria Eterna, para que o ilumine alcançando plenamente a verdade Católica.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

Replica

Meus “caro amigo” Orlando.

A despeito de sua irreverência em não aceitar-me como sou, continuo a tê-lo como amigo. Até arriscaria um palpite em chamá-lo de irmão se você desse sua anuência.
(o motivo em digitar em negrito é para diferenciar de sua grafia).

Teimoso Cilas,

Realmente meu nome é com “C” e com muita honra!

Salve Maria, a mãe do Senhor.

Sim, a Mãe de Deus. Assim como a sua mãe, teimoso e fantasioso Cilas (com C), continuará sendo a sua mãe, mesmo depois de morrer, assim Nossa Senhora continua sendo a Mãe de Deus.

Honro Maria muito mais que do que você possa imaginar. Amo todos os verdaeiramente santos que serviram ao Senhor e que agora estão louvando-O na dimensão celestial.

Talvez até concordaria com o epíteto se você me agraciasse com uma explicação acerca de como um Ser infinito, divino, sem começo e sem fim pudesse ter u”a mãe carnal. Sendo que o Filho de Deus ao tornar-se humano não perdendo, portanto, sua natureza divina, é essa natureza que para mim nunca teve e jamais poderá ter mãe. Vale dizer, repito, que Alguém divino, executor do universo há bilhares de séculos e, sobretudo um ser espiritual, como tal ter mãe, é demais para minha limitada “tete”. “O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do espírito é espírito”…

Gostaria que você se tornasse realmente meu amigo, aceitando a verdadeira Fé. Enquanto isso, você não é “meu caro amigo”. É meu cabeçudo adversário. É por isso que não o chamo de meu amigo, pois isso não seria verdade.

Amigos são os que querem as mesmas coisas e não querem as mesmas coisas.

“Vós sereis meus amigos se fizerdes o que vos mando” Seria Jesus inimigo de e a quem foram dirigidas estas palavras? Amigo é também, sem dúvida, aquele a quem a gente deseja algo. Será que ganhei um inimigo involuntária e gratuitamente?

Você quer diminuir a honra da Mãe de Deus. Eu quero que ela seja cada mais honrada e venerada. Você quer destruir a Igreja

Nunca é demais repetir que honro muito a Maria. Muito mais que o próprio clero que a transformou em um ídolo, fazendo com que milhares de pobres fiéis alimente o poderio romano através de infindas práticas idólatras, deixando o verdadeiro Manancial que é Cristo. Enquanto isso se processa, 3/4 de brasileiros tem que engulir um ídolo como seu padroeiro. Isto através de decreto. Haja paciência!

Pobre mãe de Jesus! Como deveria estar sentindo se soubesse que seu nome é execrado por uma casta sacerdotal ávida pelo reino de Midas. “Amarás ao Senhor teu Deus e só a Ele servirás”. Vamos desobedecer a esta ordem?

Católica, inventando fantasias escriturísticas. Eu quero acabar com a heresia protestante com argumentos. Queremos o contrário. Não somos amigos. Somos adversários. Por isso, quando você me chama de “caro amigo”, você não está sendo sincero.

Quer mais heresias que mandar os fiéis aos ídolos?

Estou sim sendo sincero, levando pelo aspecto da Trindade. Agora recusar já é outra coisa.

Você quer uma prova de uma sua fantasia “escriturística “?

Você me informa que “O Jesus, o Qual já recebi e no Qual creio”.

Qual a prova escriturística que você tem de que já recebeu Jesus?

Completando: Já O recebi, já cri em seu poder salvador e redentor e o tenho como único Mediador em consonância a Paulo. Meus Jesus é autosuficiente. Nao o Jesus católico que é surdo – pois precisa que alguém colha os rogos das pessoas aqui da terra e os leve a ele -, nem um jesus que continua vertendo sangue para sempre. O Jesus no qual creio fez um único sacrifício(ver Hebreus) para sempre. Ele é recebido espiritualmente. “O primeiro Adão foi feito alma vivente; o segundo Adão é espírito vivificante”(ver Coríntios).

Melhor! Como você pode provar que não O tenho? Seria você um “guru”? “…ninguém vem ao Pai senão por mim”. Quer prova mais convincente? Quem falou que Maria pode levar alguém ao Pai se “…há um só Deus e um só mediador”? O argumento que exalta outros mediadores não procede. Até Cristo, logicamente que existiram outros mediadores: Moisés, Josué etc. Porém após sua vinda não ha mais essa prerrogativa a mais alguém.

Como no caso de servir só a Deus e neste do único Mediador, Quem é que está sendo herege? Você ainda não leu em Romanos 1:18-27 que o homossexualismo é conseqüência direta do povo servir à criatura em lugar do Craidor, idolatria, portanto? Nunca lhe ocorreu que a igreja – melhor dizendo – o clero, é um dos responsável por essa maldição que infesta milhares de lares, principalmente no Ocidente, e que estão levando bilhares à perdição? E quem disse que o pobre povo ignorante(como tenho presenciado) não está praticando idolatria quando se prostra, serve, pede, agradece, oferece devoção e até espécies às imagens? Vocês(amigos), têm uma grande responsabilidade perante Deus! Enquanto o miserável vai, digamos, em busca de um “padim Siço”, na mais absoluta miséria(com anuência da própria igreja em nome de um folclore barato), o Senhor Jesus que liberta, que redime, que conduz o pecador a Deus é colocado “prá escanteio”, servindo apenas para exaltar sua mãe, a esta altura transformada em um horrendo ídolo. Interessante é que em Jeremias 10:9 consta que o ídolo daquela época tinha a vestimenta da mesma cor do ídolo de Aparecida, “de azul e de púrpura”. Coincidência? “Maldito o homem que fizer imagem de escultura, ou de fundição, abominável ao Senhor…) Deut. 27:15. Não me venha dizer das imagens decorativas que estas não são abomináveis a Deus!

Isso é apenas um palpite seu. E pretencioso. Isso não está escrito na Bíblia.“Não julgueis para não serdes julgados”.

Que tal ler João 1:12? “…mas a todos quanto O receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber: aos que crêem em seu nome”. Ainda acha que é pretenção?

As tradições dos fariseus eram as da Gnose Farisaica. Se você não conhece o assunto, leia o que diz Gershom Scholem a respeito do surgimento da Gnose entre os judeus, desde o tempo da construção do segundo Templo.

Quem lhe disse que sou partidário de tradições farisaicas? Não o seria muito mais o clero que anula as Escrituras pelas mesmas tradições?

Sobre a base da Tradição Católica você, teimoso Cilas, poderá encontrar a citação a respeito dela em São Paulo, quando ele diz: “Conservai as tradições que aprendestes ou por nossas palavras ou por nossa carta” (II Tess. II, 14).

Prove que os elementos tradicionaios que Paulo se refeira era a tremenda idolatria romana e seus periféricos. Prove também que nas cartas paulinas existem elementos que validam a tradição romana. Mostre Paulo, Pedro(que não era papa), ou qualquer um dos apóstolos praticando idolatria, antropofagia, culto aos mortos, rezando missas, vendendo indulgências, carregando imagens às costas, louvando Maria, aos pés de uma imagem desta, pedindo, agradecendo, dizendo para falar à mãe que esta levaria ao filho, qu ela era redentora(sem derramar sangue), etc. etc. e etc… Prove! O dia em que você provar(nas Escritura) tudo isso e mais o amontoado de asneiras tidas como doutrinas romanas, nunca mais serei um cristão. Aliás, se quem tem unicamente a Trindade como Ser digno de adoração – “Adorarás…servirás(só) – não for cristão é sim quem faz parte de uma igreja com duas cabeças, então(meu amigo), ninguém é cristão!

Se você, teimoso Cilas, não conserva as Tradições, você não segue o que está escrito na Bíblia Uma questão de lógica: Se para seguir a bíblia como o fazem os católicos, melhor seria que ela nem existisse! Para que, se a tradição(do século II em diante) anula-a em seus pontos primordiais? Se uma oroganização político-temporal como é a Igreja Católica, é superior á Palavra de Deus a ponto de enxertar elementos estranhos, anular seus ensinos, adulterar seus textos, porque ainda a mantém em seus domínios? Porque não ficar só com a tradição? Assim pelo menos não estaria incerta no apocalipse.

E no Evangelho de São João se lê: “Muitas outras coisas há que fez Jesus, as quais, se se escrevessem uma por uma, creio que nem no mundo inteiro poderiam caber os livros que seria preciso escrever” ( Jo. XXI, 25). “Estes, porém, foram escritos para que creiais…)

Prove(como ja lhe disse) que o que de Jesus deixou de ser escrito são os elmentos da tradição romana! Sempre é bom lembrar o hebraísmo que tinha por norma exagerar em tudo. Você acha que realmente Jesus iria mandar alguem odiar seus pais e irmão? “Quem não odiar seu pai, mãe(…) e irmãos não é digno de mim“.

E onde está escrito que Jesus mandou escrever os Evangelhos?

Onde está que eu disse isso?

Um arguto leitor do site Montfort — Henrique Marinho — me forneceu um argumento precioso:

Muito admirado fico ao saber que você precisa do argumento de “um arguto leitor” para saber que houve um espaço considerável entre o período mencionado!

Houve um espaço de tempo entre a morte de Jesus e os Evangelhos escritos.

Onde estava nesse hiato de tempo o cristianismo senão numa Tradição?

Seria a tradição romana? Por certo que não! Caso contrário os evangelistas teriam incluído todo o “arsenal” excetivo, a mola mestra do manutenção do poderio romano.

Repito: você fantasioso Cilas, não segue a Bíblia. Você segue seu palpite, que toma como inspiração do “Espírito Santo”.

Agora falta você provar — PELA BÍBLIA –que ela recomenda que só se deve aceitar o que está escrito nela. (Quem é que está sendo teimoso agora?) O que não quer dizer, evidentemente, que “o homem deve crer em, e aceitar todo o que não está escrito em suas páginas”, (Ainda estou aguardando você provar o enunciado sublinhado) como sua fantasia protestante entendeu, movida não sei por qual “Espírito Santo”. Lembre-se que o pecado contra o Espírito Santo “…não será perdoado”.

Minhas “fantasias” eu as posso provar versículo por versículo, enquanto seu argumento é mais falso que uma areia movediça.

In Corde Jesu et Mariae, semper, Você já reparou que Maria sempre ocupa o primeiro lugar nas suas referências em detrimento da Trindade? Novamente: “Adorarás ao Senhor teu Deus, e só a ele servirás”.

Orlando Fedeli

Sempre em Cristo,

Cilas.

Presunçoso insultador, e teimoso Cilas ..com C

Salve Maria.

Começo saudando a Mãe de Deus para dar glória a Deus pela sua mais perfeita obra pela graça, já que o louvor da obra exalta seu autor.

Começo também saudando a Mãe de Deus, para causar raiva ao demônio e aos filhos dele, entre os quais você, Cilas com C.

Claro que não lhe permito dizer-se nem meu amigo, nem muito menos meu irmão.

Irmãos são aqueles que têm o mesmo pai e a mesma mãe.

Sou católico, filho adotivo de Deus pelo batismo, e de Nossa Senhora pelo Testamento de Cristo.

Não sabe você, por acaso – com a ensebada e treslida bíblia de sua soberba nas mãos – que Cristo, ao morrer na Cruz, voltando-se para Maria, sua Mãe disse-lhe: “Mulher, eis aí teu filho”. E dirigindo-se a João, disse-lhe: “Filho, eis aí tua Mãe” “E desde então ele a recebeu em sua casa”(cfr. Jo. XIX, 26-27)?

Você não respeita nem a última vontade de Cristo, expressa do alto da Cruz, recusando tomar Maria como sua Mãe e Mãe de Deus. Você recusa ter Maria por Mãe, e quer que eu o considere meu irmão?

Seu pai é outro, porque sua mãe é outra que não a minha. Você não é “filho de Abraão…” Conclua de quem você pode ser filho, se não é filho da Igreja e da Mãe de Deus.

E meu amigo você também não é, nem pode ser, porque é inimigo de Maria Santíssima.

Eu o tenho por inimigo, porque “todos os inimigos de Deus e da Mãe de Deus se tornaram, meus inimigos”. “Com ódio perfeito eu os odiei” (Ps. CXXXVIII 21-22). Está isso nos salmos. Não me culpe por essa verdade.

Hesitei se o chamava antes de teimoso ou de presunçoso.

É bem difícil calcular o que é maior em você, se a presunção ou a teima. Elas só pode ser medidas pela malícia de suas blasfêmias. Que é imensa.

Como os fariseus, você se aproxima saudando com amizade — “Salve Mestre”– para depois escarrar suas blasfêmias contra a Mãe de Deus.

Com falsidade começa dizendo:

“Honro Maria muito mais que do que você possa imaginar. Amo todos os verdadeiramente santos que serviram ao Senhor e que agora estão louvando-O na dimensão celestial.” para, depois, revoltar-se contra o culto a que ela tem direito.

Está também na sua ensebada e falsificada bíblia : “Todas as gerações me chamarão de bem – aventurada” (Luc I , 48)?

Ou você jogou fora este versículo?

Todas as gerações chamarão Maria de Bem aventurada por ser ela a “Mãe do Senhor” (Luc. I , 43).

Qual é então a sua geração, presunçoso Cilas com C?

Você vê que não pode você ser meu irmão?

Eu sou da geração que diz Maria bem aventurada por ser Ela a Mãe do Senhor.

Você começa –de acordo com a tradição farisaica e protestante — a dizer que honra e ama a “Mãe de Jesus”, mas recusa reconhecer que ela é Mãe de Deus, a “Mãe do Senhor”, como diz o Evangelho (Luc, I 43). E tem a audácia de vir dizer que respeita a Escritura e só o que está na Escritura.

Você só respeita sua presunção palpiteira.

Aliás, o que é um protestante?

É um presunçoso que pensa poder provar qualquer heresia que lhe passe pela veneta, citando versículos bíblicos que interpreta torcicolosamente.

Você já encontrou dois protestantes que concordem completamente sobre o que diz a Bíblia?

Não há.

Você esconde a que seita de hereges pertence, mas você sabe muito bem que sua seita não concorda com nenhuma outra. E dentro de sua mesma seita — possivelmente até em sua casa– não há unidade de interpretação da Sagrada Escritura.

Qual a seita protestante que concorda com a interpretação de outra seita protestante?

Nenhuma .

Qual é o pastor com o qual você concorda em tudo?

Não existe.

Será que sua sogra ou sua mulher concordam com suas interpretações torcicolosas da Bíblia?

Desconfio que não…

É claro que você me clamará que sua sogra e sua mulher são suas fiéis seguidoras, e que elas concordam com tudo o que sua sabedoria infalível inventa…citando e torcendo a Bíblia.

Mas isto é só para declaração externa…

Pelo livre exame protestante, elas certamente terão interpretações divergentes da sua.

O livre exame da Escritura faz de cada protestante o único fiel — e o único Papa infalível — de sua igrejola particular. Claro, com base na Bíblia.

Só Cilas com C — o “Humilde” — é que tem a verdade divina. Só Cilas com C sabe a verdade divina. Só Cilas com C pensa que é o profeta infalível de Deus, com direito de cortar da Bíblia o que contrarie sua palpitologia. Só Cilas com C pretende dar interpretação particular do que está na Bíblia, contra o que disse São Pedro, o primeiro Papa, sim, que “nenhuma profecia da Escritura é de interpretação particular” (II Pe. I, 21).

Cilas com C é do número daqueles que “indoutos e instáveis, deprava, assim como esta, as outras Escrituras” (II Pe. II, 16)

Você começa fingindo-se de humilde e pedindo que explique como Maria pode ser a “Mãe do Senhor” (Luc I , 43) se Deus é eterno e não pode ter Mãe. E me diz que isto não cabe na sua limitada “tête” (Até que enfim , posso concordar com uma afirmação sua: esta, acerca dos limites bem modestos de sua “tête”).

Fazendo essa pergunta tola e infantil — bem própria de uma limitada “tête” — você apenas repete a heresia nestoriana. Você também, pobre presunçoso palpiteiro, que se arvora em Doutor da Lei, você também, Cilas com C, tem mãe. E sua mãe gerou apenas o seu corpo e não a sua alma. E entretanto ela é sua mãe. Você não a diz apenas mãe de seu corpo, mas mãe de você, Cilas com C.

Assim também, Maria é “Mãe do Senhor” (Luc I, 43) porque tendo gerado o corpo de Cristo, por obra do Espírito Santo, Ela se tornou a Mãe da Pessoa de Cristo, que é Deus.

É claro, ó presunçoso teólogo de subúrbio, que Nossa Senhora não gerou a Divindade. Gerando a santa Humanidade de Cristo, Maria tornou-se a “Mãe do Senhor”, como está dito no Evangelho de São Lucas (I, 43) e foi proclamdo pelo Concílio de Éfeso, que condenou Nestório, seu antepassado na heresia, ó presunçoso Cilas com C.

Você me pergunta, com falsa humildade: “Será que ganhei um inimigo involuntária e gratuitamente?”

Você procurou voluntária a gratuitamente ofender a Mãe de Deus, ofender a Igreja Católica dizendo-a idólatra, e mais um monte de tolices e blasfêmias, e ainda tem a audácia de pretender à minha amizade?

Você se meteu, suave e docemente, a princípio, no meu site, para depois ofender a Mãe de Deus e a Igreja única de Deus, e quer se dizer meu amigo?

Ora, sim senhor! É audácia demais!

Você começa acariciando, para depois poder dar pauladas e ainda quer se por como amigo?

E você pensa que engana quem, me “lambendo” com fingidas palavras de amizade, para se arrogar o direito de cuspir na Mãe do Senhor” (Luc I , 43) e na única Igreja de Cristo?

Ora, vá cuspir nos seus”irmãos” de heresia, na praça.

Se você quer resposta a respeito da tolice de confundir as imagens católicas com ídolos, leia o que já escrevi no site Montfort a esse respeito, respondendo a outras bem limitadas “têtes”…

Faça um esforço: é capaz que você acabe entendendo. Apesar das limitações de sua “tête”. Limitações inversamente proporcionais à sua presunção.

Que é imensa. Que é imensa.

Da mesma forma , já respondi sobre a mediação de Maria.

Para você, Deus não tem mediadores no Novo Testamento. Só que a Fé é recebida pelo ouvido, através da palavra pronunciada por alguém, que, depois da Ascenção de Cristo aos céus, não é o próprio Cristo. E Cristo antes de subir aos céus, ordenou aos seus Apóstolos que ensinassem a todos. Logo, Cristo usou mediadores entre Ele e os homens para receber a sua palavra.

Será que sua limitada “tête”conseguiu captar o que escrevi?

E será que, tendo captado, sua ilimitada dureza de coração aceita o que é óbvio?

Parece-me que não, pois sua ilimitada e pertinaz cegueira de alma não lhe permite ver a luz. Você, como os fariseus, é cego ao meio dia. E o pior cego é o que não quer ver. Você, como os fariseus, só lê a Bíblia com o “tradicional” véu de Moisés sobre os olhos. É o véu da tradição judaica que o impede de ver. Que impede que a verdade Cristo caiba em sua limitada e herética cabeça.

E que você é herdeiro das tradições farisaicas é evidente por suas palavras e por sua conduta, assim como o protestantismo é o herdeiro da sinagoga.

Não me acredita?

Leia, se for capaz, o livro de Newman “Jewish influence in Christian Reform Movements”. Se sua limitação de “tête” o permitir.

Leia, se sua limitação cabeçudal permitir, os primeiros Doutores da Igreja e o que diziam eles do Primado de Pedro. Leia e estude sobre como viviam os primeiros cristãos, ainda no tempo das catacumbas. Veja as imagens que os primeiros cristãos cultuavam.

Mas, qual o que! Pedir que um trocador de letras leia é bem inútil!

Por isso, paro por aqui, já que não tenho tempo mais para tratar com sua limitada cabeça e com sua ilimitada presunção, pobre blasfemador, cuja muita honra está apenas em ser Cilas com C.

Adeus, e não me apareça mais.

In Corde Jesu et MARIAE, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais