Montfort Associação Cultural

23 de agosto de 2005

Download PDF

João XXIII herege?

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Angelo Martin
  • Localizaçao: Porto Alegre – RS – Brasil
  • Religião: Católica

Foi com surpresa que li a carta e a resposta sobre o Papa João XXIII em vosso site. Papa que foi o maior do século XX. Embora o Prof. Fedeli salientou que sua opinião era pessoal, algumas questõe: o fato de um papa ser considerado herege” não impediria sua eleição pelo Colégio dos Cardeais? O fato de ser eleito um “modernista” (na opinião de vocês sinônimo de heresia, vá se entender…) não daria um caráter exclusivamente humano e pessoal a essa eleição? Se é mesmo o Espírito Santo quem guia os votos dos cardeais, porque então o Cardeal Roncalli foi eleito papa?

Muito prezado Ângelo,
Salve Maria!
 
    Um herege candidato a Papa que fosse eleito Papa, sua eleição seria nula, caso fosse contestada. Se não for contestada, e o eleito for aclamado Papa, ele será Papa válido.
     A eleição do Papa é guiada pela Providência, mas isso não quer dizer que a eleição seja infalível e que o eleito é o desejado por Deus. O Papa é eleito pelos Cardeais, depois de grandes discussões e arranjos, porque em toda eleição humana é assim. Deus permite que seja eleito um Papa santo para bem da Igreja, como permite a eleição de um Papa mau, para castigo do povo, quando esse povo merece castigo.
    Quem diz que o Papa João XXIII foi o maior Papa do século é a imprensa, e os eclesiásticos modernistas. A História mostra que ele tinha idéias modernistas, e que sofreu um processo no Vaticano, por causa delas. Ele mandou fazer o acordo de Metz com a URSS, e favoreceu enormemente  o Partido Comunista Italiano, ao receber Adjubei, genro de Kruschev, no Vaticano, o que deu 1.000.000 de votos a esse partido.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais