Montfort Associação Cultural

12 de novembro de 2004

Download PDF

Influência de mitos na crença cristã

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Rafael
  • Idade: 19
  • Localizaçao: Florianópolis – SC – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Religião: Católica

Ola!

Primeiramente gostaria de me apresentar: Sou estudante de história, estou na segunda fase na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Participo a um bom tempo do Movimento de Emaús, que tem como orientador espiritual do secretariado nacional o Monsenhor Benedito Mário Calazans. Faço parte do secretariado de Florianópolis que tem como orientador espiritual o Monsenhor Francisco de Sales Bianchini.

Como você mesmo deve ter notado, Professor Orlando, o curso de história possui muitas pessoas que não acreditam em Deus e muitos que são totalmente contrarios ao cristianismo e principalmente a Igreja Católica. Infelizmente este curso forma na sua maioria, pelo menos em nosso país, professores de história. Na minha passagem pela ensino de 1º e 2º gráu pude observar como os professores podem influênciar os alunos e como professores de história que são formadores de cidadãos podem perverter com suas idéias a opinião de toda uma turma sobre a igreja católica. Pensando nisso quis ser professor de história. Afim de poder passar uma idéia boa (para não dizer positiva e acabar causando um mau entendimento) do catolicismo. Ou melhor, para ao menos não influênciar a opinião sobre a Igreja Católica dos alunos. Também me fascina o fato de passar conhecimento e ter uma contribuição (que eu espero que seja boa) na vida das pessoas. Assim poderia aproximar ainda mais a minha ação como cri!

stão da minha profissão.

Bom, mas o fato de ser professor é um outro assunto. O que eu gostaria de perguntar, e seria mais interessante fazer esta pergunta a um professor de história católico do que até mesmo um padre, era sobre os mitos mesopotâmicos. Estou aprendendo História Antiga Oriental e o assunto agora é a Mesopotâmia. Na minha turma existem varios que são contra a Igreja católica e o cristianismo, e não podem perder a oportinidade de “malhar” quando possível. Por isso gostria de colocar a dúvida ou a colocação que apareceu segundo este assunto: Falando sobre o dilúvio mesopotamico o que se levantou foi que ele foi anterior ao bíblico e que existem muitas semelhanças. Desta forma “os hebreus teriam se apropriado deste mito” e assim o registraram na Bíblia. Foram levantadas também diversos pontos em que diziam terem sido apropriadas pelos hebreus. Falaram de abraão, sobre sua saída de Uruk, e chegaram até uma questão que já está sendo difícil pra mim dialogar que é a hierarquia que Igreja. A!

gora estimado professor, veja só o que minha professora falou. Costata-se que o desejo, ou os quereres dos cristãos de hoje se diferem dos primeiros critãos.

Gostaria, desta forma, que você, com seu vasto conhecimento hostórico, me ajudasse com estes temas que são realmente conflitantes e que fazem com que aqueles que são católicos mas que não tem uma, vamos dizer, “fé mal estabelecida” se confundam e saiam da igreja. Creio que isso tudo não me afetaria pois a primeira dúvida que tivesse ira buscar ajuda em boas fontes católicas. Porém nem todos tem a graça de participar de um movimento tão maravilhoso como eu participo e podem fraquejar. Nós católicos presisamos defender nossa fé, e por isso admiro muito o trabalho de todos vocês. Por isso, você poderia fazer a caridade de escrever algo sobre isto tudo que falei e principalmente me indicar ou também escrever algo sobre a hierarquia que igreja, sobre a igreja com instituição e coisas relacionadas a isso?

Muito obrigado desde já! Sou muito agradeço a Deus por haver pessoas como vocês que se dispõem em defender vigorosamente a verdadeira fé Católica. Devemos sempre lutar pelo seguimento de Cristo e extinguir o “mas…” e o “eu acho…” de nosso vocabulário cristão.

Shalom!

Rafael

Prezado Rafael, Salve Maria !

Muito agradecido por seus generosos elogios a nosso site.

Sua carta alegrou-me muito, porque, quando muito jovem, decidi ser professor de História exatamente para defender a Igreja Católica das calúnias infames que se assacam contra ela. Fiz de minha vida de professor uma continua luta pela defesa da Fé. Deus abençoou meu apostolado com inúmeras conversões.

Embora aposentado, continuo dando aulas e conferências gratuitas, para defender a Igreja Católica, e para converter os moços, hoje completamente abandonados. É claro que isto me trouxe muitos inimigos: todos os inimigos de Deus se tornaram meus inimgos. E isto é a minha honra.

Mais si j”ai des amis au collège, je serai aimé demain (Se tenho amigos no colégio, serei amado amanhã). E ainda que não fossemos amados, teríamos cumprido nosso dever.

Assim, só posso me congratular consigo por seu bom desejo de ser professor de História para combater os inimigos de Deus e suas calúnias. O ensino de História, como você salientou, nos oferece a oportunidade de bem defender a Fé.

Por hoje, respondo somente à sua primeira questão sobre o dilúvio.

A Sagrada Escritura afirma que houve um dilúvio que matou todos os homens que viviam naquele tempo, salvando-se apenas oito pessoas: Noé, sua mulher, três de seus filhos com suas respectivas mulheres.

Ora, sendo assim todos os homens descendem desse três casais. Por isso, em todos os povos se acham tradições que falam do dilúvio universal. Não são apenas os caldeus que falam desse fato. Nossos índios tinham a tradição de que houve um dilúvio universal. Os gregos repetiam a mesma história, como também outros povos.

Portanto, é uma afirmação óbvia a desses professores, que os judeus repetiram a história do dilúvio que teriam aprendido dos caldeus. Se Abraão era caldeu, ele conhecia essa tradição de seu povo, e naturalmente a transmitiu a seus descendentes. Nada mais natural. Nem por isso o dilúvio seria falso.

Sobre a questão a respeito da hierarquia da Igreja, não me ficou clara a sua dúvida. Você quer a justificativa de que a Igreja tem que ser hierárquica?

Para mim seria um prazer — você não calcula quanto — responder a essa questão, que, sendo mais extensa, deixo para outra missiva.

In Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Resposta a dúvida sobre alma e espírito - Orlando Fedeli

Cartas: Devemos ler a bíblia - Orlando Fedeli

Cartas: Existência de Jó - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais