Montfort Associação Cultural

7 de dezembro de 2011

Download PDF

Humanismo e Renascimento

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Rafael Magno de Paula Costa
  • Localizaçao: Paranaguá – PR – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Religião: Católica

Caro Orlando Fedeli, Pax Domini sit semper tecum!

Gostaria de primeiramente elogiar seu grande trabalho em defesa da causa da Igreja e em segundo agradecer pela resposta a minha última carta. Espero ansioso em um dia poder conhecê-lo pessoalmente quando vier ministrar palestras em Curitiba.
Professor, gostaria de saber se o humanismo foi alguma vez condenado pela Igreja já que este é um precursor do renascimento. Erasmo de Roterdã fez duras críticas ao clero, mas pelo que pude perceber o mesmo não é detentor de grandes virtudes, como já li e alguns artigos de seu site. Entretanto, Erasmo foi amigo de Lutero e Thomas Morus, este último foi canonizado pela Igreja como santo. Em que diferiam basicamente as críticas humanistas de Morus e Erasmo? Muitos ensinam que esses dois personagens da história clamavam por reformas no clero. Erasmo chegou a apoiar Lutero, mas afastou-se deste quando viu que seus interesses eram nada menos que a quebra da unidade da Igreja. Afinal, o humanismo contribuiu para alguma na Igreja ou só conduziu aos abusos de que tantos falam? Sendo assim, por que Thomas Morus é considerado santo? São muitos os que defendem que, sem as críticas dos humanistas, a Igreja jamais faria reformas em seu interior como foi o Concílio de Trento, já a protestante estava mais para uma “Deforma”. Doravante percebo que mesmo depois do Concílio de Trento a Igreja continuou sendo criticada injustamente, e posteriormente perseguida pelos iluministas.
Veja bem professor que não estou duvidando da canonização de um santo, mas sim procurando entender que relações havia entre o humanismo e a Igreja durante a baixa idade média.
Desde já agradeço e aqui me despeço.

Rafael

Muito prezado Rafael,
Salve Maria.
     
     Muito obrigado por suas palavras. Reze a Deus por minha alma, para que Deus não me condene, mas tenha misericórdia de mim.
     
O Humanismo é uma forma de idolatria, pois que coloca o Homem como medida de todas as coisas, como princípio e fim de tudo, fazendo do Homem um deus. 
     O Humanismo é a grande apostasia realizada no Renascimento. 
     Frances A. Yates, em seu livro “Giordano Bruno e a Tradição Hermética“, afirma que:

foi a magia, com o auxílio da Gnose, que começou a imprimir à vontade uma nova direção”. ( p. 180).


     Noutras palavras, a Modernidade humanista foi Gnose mais magia.
     O antropocentrismo do Renasciemnto teve seu triunfo final no Concílio Vaticano II. Hoje, o Homem é o grande ídolo.

     Erasmo foi péssimo e São Tomás Morus só foi santo por sua morte como mártir, mas não por sua vida e nem por suas obras. A Utopia é pessima. Graças a Deus ele se converteu como o bom ladrão, morrendo por Cristo e se tornou santo por seu martírio. Mas suas obras são más.
     Para começar a ver o mal do Humanismo, peço-lhe que leia meus trabalhos sobre Dante e os Fedeli d´Amore, publicados no site Montfort.  

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Max Scheler - Orlando Fedeli

Cartas: Macumba - Orlando Fedeli

Vídeos: Paidéia - Marcelo Andrade

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais