Montfort Associação Cultural

8 de junho de 2006

Download PDF

Figueira amaldiçoada por Cristo

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Osvaldo Aparecido Lobato
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: Superior concluído
  • Profissão: Advogado
  • Religião: Católica

Em Mateus e Marcos há a narração do fato de Jesus ter amaldiçoado a figueira por Ele ter fome e ela não oferecer frutos contendo apenas folhas. vindo posteriormente a secar.

Ora o próprio relato diz que não era tempo de frutos (Marcos 11,13) portanto Cristo sabia disso. Porque então amaldiçoa-la?
Não estamos diante de um ato moralmente incorreto. Tirando a explicação dos Teólogos como ato simbólico equiparando a narração ao fato do povo judeu e de jerusalem que não produziam frutos e que portanto receberiam a maldição por seus atos.

Jesus parece ter um ato demasiado forte e desproporcional com “alguém” ou algo que não tinha culpa de não ser época de frutos.

Por favor, sem a questão do simbologismo, me ajude a entender o ato e suas circunstâncias, pois não posso acreditar que meu Deus tenha feito mal seguer a uma planta que não tinha culpa de nada e é isso que estou lendo.

Muito prezado Osvaldo,
Salve Maria.
 
    O caso da figueira amaldiçoada por Jesus foi pouco antes da Paixão.
    Note que Jesus não podia amaldiçoar a figueira por não ter fruto fora do tempo da sua frutificação. Nem a figueira teria culpa por não ter figos.
    Cristo, então, não puniu nenhuma falta numa árvore que, não tendo livre arbítrio, não poderia ter culpa alguma.
    Que visou então Jesus ao amaldiçoar a figueira?
    Na Catena Áurea, livro estupendo no qual São Tomás comenta os Eavangelhos, fundamentando-se na interpretação dos Padres da Igreja, se lê que Jesus quis apenas ensinar a seus Apóstolos que Ele tinha poder de exterminar seus inimigos, se o quisesse.
    Estava Jesus nos últimos dias antes de sua Paixão terrível, e Ele queria deixar claro a seus discípulos que Ele tinha poder infinito, e que só morreria porque aceitava morrer por nós e por nosso pecados.
    Portanto, a maldição da figueira tinha uma finalidade simbólica: demonstrar a onipotência de Jesus, O Filho de Deus feito Homem.
    Em segundo lugar, os Padres da Igreja interpretaram a figueira estéril como um símbolo da sinagoga. Cristo procurou fruto nela — na Sinagoga — e não o encontrou. Daí, a amaldiçoou.
    Por último, permita-me dizer-lhe que Nosso Senhor não fez mal à figueira. Ele é o Senhor de tudo. Ele deu vida às plantas, animais e homens, como uma certa finalidade, e pode nos tirar a vida quando Ele quiser.
    As plantas existem para servir os animais e aos homens. Elas nos servem de alimento, e, quando as comemos as destruímos, e ninguém pensa que está fazendo mal a um pé de alface que é arrancado do chão, para ser comido.
    Toda figueira existe para produzir figos, para nos dar sombra, para embelezar o mundo. A figueira que Cristo fez secar foi usada por Ele para nos ensinar.
    Essa figueira foi usada para um fim bem mais elevado do que dar figos para serem mastigados e digeridos. Cristo a utilizou pra nos ensinar como Ele era onipotente e como poderia, se quisesse, ter exterminado seus inimigos fariseus. 
    Esperando tê-lo atendido, e desejando ser seu amigo na defesa da Fé, me despeço,
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Justiça divina - Orlando Fedeli

Cartas: Jesus de Nazaré - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Os Tempos da Septuagésima e da Quaresma ou o Começo da Redenção

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais