Montfort Associação Cultural

12 de novembro de 2004

Download PDF

Evolucionismo teísta

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Sidneide
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Religião: Católica

Prezado, Sr. Fidel

Eu estudo em uma escola adventista, e um certo professor explicando sobre o evolucionismo e o criacionismo mencionou que a cúpula da nossa igreja defende o evolucionismo teísta, e ainda que um Papa (no momento não me recordo qual)defende esse tipo de evolucionismo. O conhecimento que tenho até hoje é que a nossa igreja prega e acredita no criacionismo. O Sr. poderia me explicar melhor sobre esse assuto?

Prezada Sidneide, salve Maria.

É uma pena que você estude numa escola adventista.

O professor que disse que a Igreja Católica defende o evolucionismo criacionista errou. Isso não é verdade.

A Igreja condenou expressamente o poligenismo na encíclica Humani Generis de Pio XII. Nessa encíclica, Pio XII declarou que era permitido aos católicos discutir a hipótese possibilidade do evolucionismo moderado, mas não a aprovou.

Depois disso, surgiram muitas outras provas quer do erro da hipótese evolucionista, mesmo moderada, como também da confessada má fé de certos cientistas evolucionistas. No site Montfort publicamos a declaração do Professor Lewontin, de Harvard, confessando que na teoria evolucionista há contradições e fraudes, mas que não podem deixar que o criacionismo vença, que Deus ponha o pé na História.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

Eis o texto de Lewontin:

 ”We take the side of science in spite of the patent absurdity of some of its constructs, in spite of its failure to fulfill many of its extravagant primises of health and life, in spite of the tolerance of the scientific community for unsubstantiated just-so stories, because we have a prior commitment, a commitment to materialism. It is not that the methods and institutions of science somehow compel us to accept a meterial explanation of the phenomenal world, but, on the contrary, that we are forced by our a priori adherence to material causes to create an apparatus of investigation and a set of concepts that produce material explanations, no matter how counterintuitive, no matter how mystifying to the uninitiated. Moreover, that materialism is absolute, for we cannot allow a Divine Foot in the door.” (Phillip E. Johnson, “Objections sustained“, InterVarsity Press, Illinois, 1998, p. 71).

["Nós ficamos do lado da ciência, apesar do patente absurdo de algumas de suas construções, apesar de seu fracasso para cumprir muitas de suas extravagantes promessas em relação à saúde e à vida, apesar da tolerância da comunidade científica em prol de teorias certamente não comprovadas, porque nós temos um compromisso prévio, um compromisso com o materialismo. Não é que os métodos e instituições da ciência de algum modo compelem-nos a aceitar uma explicação material dos fenômenos do mundo, mas, ao contrário, somos forçados por nossa prévia adesão à concepção materialista do universo a criar um aparato de investigação e um conjunto de conceitos que produzam explicações materialistas, não importa quão contraditórias, quão enganosas e quão mitificadas para os não iniciados. Além disso, para nós o materialismo é absoluto, não podemos permitir que o "Pé Divino" entre por nossa porta."]

TAGS

Publicações relacionadas

Cadernos de Estudo: Evolucionismo: dogma científico ou tese teosófica? - Fábio Vanini

Cartas: Células-tronco embrionárias não têm aplicação terapêutica - Adriano Araújo

Cartas: Como surgiram as raças humanas? - Fábio Vanini

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais