Montfort Associação Cultural

8 de março de 2005

Download PDF

Eucaristia moderna?

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: João
  • Idade: 42
  • Localizaçao: Joinville – SC – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Profissão: Auditor
  • Religião: Católica

Caro Sr. Orlando Fedeli, Salve Maria.

desde muito pequeno sempre aprendi com meus pais que quando participamos da Santa Missa, no momento da transubstanciação, devemos nos ajoelhar diante do Corpo e Sangue de Jesus Cristo. Mas para minha surpresa ao participar de uma aula magna obre o inicio de um curso de Teologia para leigos aqui em Joinville, um padre muito jovem nos deixou de queixo caido, ou pelo menos nos deixou muito preocupados.
segundo ele nunca devemos nos ajoelhar quando acontece a transubstanciação e que devemos sempre permanecer em pé em sinal de respeito e que aquele momento não é para adoração. Segundo ele o padre aceita por que isto já virou uma tradição os fiéis ficarem de joelhos.
Isto para mim foi com um pancada, pois se eu pudesse diante de Jesus eu deitaria com o rosto por terra na Igreja. Aliás na matriz de Joinville não temos bancos, mas sim aquelas cadeiras que eram usadas nos cinemas antigamente, ou seja, não existem lugares para ajoelharmos em nenhum momento. Nosso Bispo D. Orlando Brandes nunca fez nada , ou melhor, até autorizou.
Segundo ele não é preciso ninguém ser formado ou preparado ou instruido para distribuir a Comunhão, pois todos podem fazê-lo. Tanto é verdade que ele está solicitando a todos que tenham pessoas idosas e doentes em casa que não possam participar da Santa Missa no domingo de Páscoa, que tragam um lenço branco para levar a comunhar para casa e dá-las a estas pessoas.

Caro professor, sinceramente não sei mais o que pensar sobre tudo isso. Para mim ajoelhar sempre em sinal de adoração a Cristo na Santa Missa e para mim a comunhão deve ser sempre ministrada pelo sacerdote. Fico imaginando nos abusos que podem acontecer estas pessoas levando a comunhão para casa. Se assim fosse possível, o Papa não teria dedicado um documento inteiro (Redemptionis Sacramentum) sobre a Eucarístia e os abusos cometidos contra Ela.
Que devemos fazer? Quando é uma autoridade da Igreja que aceita tudo issso acontecer!

Muito prezado João,
Salve Maria!
 
    Você tem razão completa em tudo o que me escreveu.
    Esse padre moderninho e modernista indica, por sua recomendação absurda, que não acredita na presença real de Jesus na Eucaristia. Portanto, que é um herege, pois pode-se ser herege por atitudes ou por gestos.
    Você deve continuar se ajoelhando diante da Hóstia consagrada, e incentivar outros,–sem desacatos mal educados –a fazerem o mesmo.
    Também é absolutamente errado o que se faz aí, permitindo que as pessoas levem as hóstias consagradas para casa. Isso é um abuso que, como você notou bem, foi condenado pelo Papa João Paulo II, no Decreto Redemptionis Sacramentum.
    Aconselho que você faça o que está dito nesse mesmo decreto do Papa: escreva ao Bispo, — com todo o respeito devido à autoridade dele — mas protestando contra a desobediência ao decreto Redemptionis Sacramentum. Caso o Bispo não o atenda, mande uma carta ao Vaticano, dizendo o que está acontecendo, porque o mesmo Decreto pede que se faça isso.
    Escreva-me sempre, para unirmos nossos esforços na defesa da Fé. Um grande abraço.
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Artigos Montfort: Onde o Céu toca a terra: um percurso pelo Rito Romano Tradicional – Parte 2 - Marcos Bonelli

Cartas: Todo Homem de Boa Vontade será Salvo - Orlando Fedeli

Cartas: Origem da Salve Rainha

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais