Montfort Associação Cultural

28 de janeiro de 2005

Download PDF

Estigmatização

Autor: André Palma

  • Consulente: rodrigosilva
  • Idade: 22
  • Localizaçao: Montes Claros – MG – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Profissão: faço curso tecnico.
  • Religião: Católica

eu gostaria de saber mais como foi que surgiu os stigams,com que e como a igreja catolica se conportou com esse fato muito importante na doutrina catolica o que o vaticano faz com esse caso muito delicado que sao os stigmas. fiquem com deus um grande abraço que a paz de jesus e maria …..

Prezado Rodrigo,

Para responder à sua pergunta recorremos ao “Compêndio de Teologia Ascética e Mística” de A. Tanquerey.

A estigmatização é um assunto tratado entre os fenômenos místicos extraordinários.

“A estigmatização consiste numa espécie de impressão das chagas do Salvador nos pés, mãos, lado e fronte: aparecem espontâneamente, sem serem provocadas por qualquer ferida exterior, e deixam correr periodicamente sangue não viciado.

O primeiro estigmatizado conhecido é S. Francisco de Assis; em um êxtase sublime, no alto do Monte Alverne, a 17 de setembro de 1222, viu o Santo um serafim apresentando-lhe a imagem de Jesus crucificado e imprimindo-lhe os sagrados estigmas; conservou o Santo até a morte estas chagas, donde corria sangue vermelho. Procurou conservar oculto este milagre, mas não o pôde conseguir completamente, e à sua morte, a 4 de outubro de 1226, tornou-se público o prodígio.

Os estigmas são precedidos e acompanhados de vivíssimos sofrimentos físicos e morais, que tornam assim o estigmatizado conforme a Jesus padecente.”

Esperamos tê-lo respondido,

In corde Iesu et Mariae,

André Palma.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Ódio e ignorância teológica e ortográfica - Orlando Fedeli

Cartas: Jansenismo em frase de Blaise Bascal - Orlando Fedeli

Cartas: Respeito à Nossa Senhora - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais