Montfort Associação Cultural

14 de setembro de 2006

Download PDF

Em busca da verdade

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Nei Braga
  • Localizaçao: Campo Grande – MS – Brasil
  • Religião: Católica

Eu me considero um curioso sobre o que o homem pensa de si mesmo e como busca a Verdade.
Devo dizer que sou um assíduo leitor do que se escreve aqui neste site.
Confesso que cada vez mais fico estarrecido.
Acredito que a verdade tem que ser buscada, descoberta e perseguida. Sem juizo de valor.
Não consigo entender porque as pessoas não podem encoantrar com Deus fora de qualquer corrente religosa ou dentre àquelas que se apresentam hoje.
Eu fico imaginando um evangélico sério chegando ao ceu e levar uma enorme bronca, ser encaminhado para o inferno porque, em sua vida terrena, não quis ser catolico, apostólcio romano, assiduo leitor dos escritos do prefessro Orlando FEdeli….. É meio complicado.
O professor Orlando é mais ou menos igual ao Dante: Quem ele não gosta, vai para o inferno; Quem é mais ou menos, ao purgatório e quem é seu amigo, leitor concordante e contribuinte está com o ceu garantido.
Acho que vai ser muito engraçado quando o Professor chegar ao céu – eu acredito piamente que o professor irá para o ceu – e for recebido pelo Papa Paulo VI e mais um monte de gente da RCC, judeus,protestantes, gays, lésbicas, politicos, ateus, prostitutas, velhos inimgos de Sampa e alguem lhe dirigir a palavra: ” Caro Orlando, toda capacidade de raciocinar, pensar, descobrir, orientar que recebestes na terra – voce se destacou dos demais por pura bondade do Pai – era para ser usada em bendficio do conjunto. Não era para dividir. ERa para unir” Aí, a mesma pessoa o toma pela mão e o leva para um lugar especial, onde continuará pela busca da verdade e ainda conseguirá entender quão rude foi com os menos inteligentes aqui na terra.

Caro professor estamos na fase de buscar o que nos une. As prostitutas nos precederão no reino. Não sou eu que digo. Mas já li sobre. É nosso dever rezar, não pelos amigos, mas pelos inimigos. Não sou eu que digo. Mas já li.

O Sr. é estremamente inteligente, conhecedor, etudioso. Mas nos seus escritos há um que de “rancor”. O Sr coimo eu e tantos outros, buscamos a verdade. Deus se nos apresenta da forma que ele achar melhor e não da forma que eu desejo. Considero isto muito claro e simples.

Nei Braga

Muito prezado  Nei,
Salve Maria.
 
    Lamento que você não tenha colocado sua idade.
    Gostaria de saber há quanto tempo você busca a verdade. E não entendo como você me afirma que busca-se a verdade para persegui-la.
    Eis o que você, sem querer, me escreveu:

Acredito que a verdade tem que ser buscada, descoberta e perseguida. Sem juizo de valor”.

    Se voce busca a verdade, para persegui-la, você faz muito mal.
    E que significa conhecer a verdade sem fazer dela um juízo de valor? Significa que você não lhe dá nenhum valor.
    E se a verdade não tem nenhum valor, para que buscá-la?
    A seguir você me escreve uma frase muito imaginativa… Tão imaginativa que é impossível de acontecer, e que termina com um absurdo.
    Eis aqui sua frase mista de imaginação e absurdo:

Eu fico imaginando um evangélico sério chegando ao ceu e levar uma enorme bronca, ser encaminhado para o inferno porque, em sua vida terrena, não quis ser catolico, apostólcio romano, assiduo leitor dos escritos do prefessro Orlando FEdeli….. É meio complicado”.
   
    Meu caro, o céu não é ecumênico. O céu é católico.
    Só o inferno é ecumênico. É para lá que, vão — infelizmente — os hereges e aqueles que passam a vida procurando a verdade, e que, quando a encontram, a perseguem.
    E para ir para o céu, não é preciso ler o que escrevo, mas sim acreditar no que ensinou Nosso Senhor Jesus Cristo, aquilo que a Igreja Católica ensina desde São Pedro, e por meio de seus sucessores, os Papas de Roma, sempre católica. Ler o que escrevo não tem importância nenhuma, a não ser na medida em que repito o que a Igreja, pelos Papas, sempre ensinou.
    E você é tão imaginativo que imagina até — e com certeza– que eu irei para o céu, depois que morrer.    
    Meu caro, temo que sua imaginação possa tê-lo bem enganado. E tremo por minha salvação.
    Por isso, temo que você tenha se equivocado de endereço, quando imaginou o seguinte:

“Eu fico imaginando um evangélico sério chegando ao ceu e levar uma enorme bronca, ser encaminhado para o inferno porque, em sua vida terrena, não quis ser catolico, apostólcio romano, assiduo leitor dos escritos do prefessro Orlando FEdeli….. É meio complicado”.
   
    Será que o lugar que você imaginou era o céu mesmo?
    E como você é imaginativo!
    Deve ser por isso que você custa em encontrar a verdade. Ela não se encontra com a imaginação, e sim com a inteligência e boa vontade.   
    E ninguém vai ao céu, para depois ser mandado para o inferno.
    E só imaginando é que se consegue encontrar no céu um herege sério.
    Pior ainda: é só na sua imaginação que é preciso ler meus escritos para ir ao céu.
    E se imaginando isso que você lê o site Montfort, você está redondamente enganado. Não será porque lê meus escritos que você chegará ao céu. O site Montofrt só vale porque indica o que você deve ler com humildade:  as encíclicas dos Papas, o Catecismo de Trento, que repetem o que nos ensinou Jesus Cristo.
    E ninguém vai para o céu porque é “fã” dos meus pobres escritos. Só vai para o céu quem é batizado, ouve a palavra de Deus, ensinada pela Igreja Católica, coloca em prática os mandamentos de Deus e da Igreja e… não persegue a verdade.
    E você continua imaginando:
    
“Acho que vai ser muito engraçado quando o Professor chegar ao céu – eu acredito piamente que o professor irá para o ceu – e for recebido pelo Papa Paulo VI e mais um monte de gente da RCC, judeus, protestantes, gays, lésbicas, politicos, ateus, prostitutas, velhos inimgos de Sampa”.
 
    Só você tem essa certeza imaginativa de me garantir o céu, apesar dos pecados imensos que você aponta em mim. Você faz fácil e larga demais a entrada do cèu. Cristo nos disse que o caminho do céu é estreito e que larga era a via da perdição. Acho que você está errando de caminho…
    O seu céu é de entrada franca, para que você me enfie lá dentro tão facilmente, com Paulo VI e toda a companhia que você acrescenta.
    O céu que você imagina parece o Metro, às 18hs: todo mundo entra. Espremido e sofrendo.
    “Tá besta!”, como diz o caipira.
    Vou a pé.
    …Noutra direção
   
    E, enfim, você imagina que serei mandado para “outro local” que o céu — E claro que esse outro local é o seu imaginário inferno! 
    O seu deus “Alguém” é que me dirá:

Caro Orlando, toda capacidade de raciocinar, pensar, descobrir, orientar que recebestes na terra – voce se destacou dos demais por pura bondade do Pai – era para ser usada em bendficio do conjunto. Não era para dividir. ERa para unir” .

    O seu deus “Alguém” me condenará por “dividir” e não por “unir”.   
    Ufa que alívio!
    Se o seu imaginário deus “Alguém” quer que se una e não que se divida, estarei salvo, pois Cristo disse exatamente o oposto:

Julgais que vim trazer a paz à terra? Não, vos digo eu, mas separação” (São Lucas, XII, 51).
   
    Cristo veio trazer a separação entre os bons e os maus, entre os que seguem a verdade, e os que a perseguem, e que seguem sua própria imaginação.       
    Meu caro Ney, o seu imaginário deus “Alguém” é o Anticristo. 
    E se Cristo disse que as prostitutas poderão preceder os fariseus no Reino dos Céus foi para ensinar que pior pecado que a prostituição do corpo é a prostituição da verdade, praticado por aqueles que imaginamverdades” próprias, forjando heresias “evangélicas”…   
    Para concluir, deixe-me concordar com você pelo menos num ponto. (Você vê que faço questão de ter boa vontade para com você).
    Na última frase que você escreveu, me diz uma grande verdade:   

“Deus se nos apresenta da forma que ele achar melhor e não da forma que eu desejo. Considero isto muito claro e simples”.

    Sim, nisso você tem toda razão: Deus não se lhe apresenta da forma que você deseja.
    Sobretudo não se apresenta da forma ecumênica que você imagina.
    Portanto, una-se à Verdade que só se encontra na Igreja Católica Apostólica Romana.
    E saiba que a Verdade só se encontra cruxificada e coroada de espinhos. E esse é um dos grandes motivos que faz com que a Verdade cause divisão.
    O caminho do céu não é como os homens imaginam. Não é como Ney imagina. Mas como Jesus Cristo e a Igreja ensinam.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Membro de Congregação Mariana é expulso por discordar da mentalidade pós-conciliar - Orlando Fedeli

Cartas: Dialogar para quê? - Orlando Fedeli

Cartas: Como saber qual a verdadeira religião? - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais