Montfort Associação Cultural

13 de abril de 2007

Download PDF

Dúvida de um anglicano: O que é ser Católico?

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Helenilson Pereira da Silva
  • Localizaçao: Recife – PE – Brasil
  • Escolaridade: Superior incompleto
  • Profissão: Professor
  • Religião: Anglicana

     Quando eu era católico, no momento em que o ostensório era exposto todos nós tínhamos que nos ajoelhar e só quando ele era virado de lado é que podíamos nos levantar e nos aproximar do altar. Havia um respeito sobretudo na adoração do Santíssimo Sacramento. Hoje vejo o padre Marcelo Ross fazer do ostensório um estandarte de carnaval. Em missas solenes os padres e bispos com tudo apropria do beziam os fiés com água benta. Hoje o padre Marcelo Ross pega um balde e joga água no povo com quem joga água suja depois de lavar roupa. Por que com tanto cuidado da Igreja Católica em excluir pessoas (como é meu caso em particular) por não serem de família de projeção nem com dinheiro ou poder, deixam um homem desse como padre?
     Sai da Igreja Católica porque ouvi dos padres que só estudaria teologia noutra igreja, daí excolhi a Anglicana. Mas se foram tão rígidos comigo e com tantos, por que dizer que é padre um hoem como o padre Marcelo Ross que se comporta como moleque nas missas? Ele é o único que reza missa junto com o bispo (no caso D. Fernado) o que já é estranho por si só. Daí, embora tenha ouvido dizer que D. Frenado é um dos grandes intelectuais brasileiros, tudo isso cai por terra quando aparece do nada um padre Marcelo Ross, pois o bispo não parece ter nenhum poder sobre ele como seu subordinado. Quando esteve no Recife, D. José Cardoso celebrou a missa e muitos “católicos” ficaram indgnados com nosso arcebispo. Ora, primeiro D. Fernado é bispo, menos que arcebispo e estava como visitante pois a Arquidiocese de Olinda e recife tem D. José Cardoso Sobrinho como arcebispo. Padre Marcelo é um padre e nãoentendo por que a Igreja não pode modificar isso. Ser católico é pagar a Igreja ou defender os interesses na política. O povo não tem instrução e julga quem não conhece. Passei 38 anos como católico maspessoas assim é que prigride na Igreja. Onde está a autoridade do bispo?
     São perguntas não respondidas pela Igreja porque sua rigidez só se faz com uns. Para outros fazem vista grossa. quando eu era da Ordem Terceira de São Francisco houve a discussão de tirar o hábito dos franciscanos pois aqui faz muito calor. Aí vem a RCC e o padre Marcelo e vestem um bocado de garotos que têm hábitos estranhos e os colocam no altar com vestes que inocentam o padre Pinto (aquele do incidente da Igreja da Lapinha). Alguém pode responder?

Muito prezado Helenilson,
Salve Maria.

     Ser católico é ser batizado, crer em tudo o que ensina a Santa Igreja, e que lhe foi confiado por Nosso Senhor.
     Ser católico é aceitar o papa como Vigário de Cristo na Terra, sucessor de São Pedro sobre quem foi fundada a Igreja, coisa que Henrique VIII não aceitou, fazendo-se papa inglês, para poder se divorciar.
     Ser católico é aceitar os sete sacramentos, inclusive o casamento como indissolúvel, pois Nosso Senhor disse que “não separasse o homem quem Deus uniu”, coisa que Henrique VIII não aceitou para ter seis mulheres.
     Ser católico é crer na Igreja e não simplesmente no clero, e muito menos, no padre Marcelo Rossi.
     Ser católico é não aceitar a sagração de Bispos publicamente escandalosos, que defendam pecados contra a natureza e vivam neles..
     Ser católico é não aceitar a ordenação de mulheres. 
     Ser católico é, na Missa, fazer e ser o contrário do padre Marcelo Rossi.
     Ser católico é não ter inveja que outro progrida.     
     Ser católico é não acreditar que Dom Fernando é uma sumidade intelectual.
     Ser católico é não deixar a fé por causa de escândalos do clero, como os Apóstolos não deixaram de crer em Cristo, porque Judas traiu o Divino Mestre.
     Ser católico é suportar com paciência as cruzes que Deus nos manda, inclusive a pobreza.

     E você me escreve:

Passei 38 anos como católico mas pessoas assim é que prigride na Igreja”.

     Meu caro, se você era católico “para progredir“, você já era protestante, quando pensava ser católico.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Dom Lefevre e a reforma da Missa - Orlando Fedeli

Cartas: O Ecumenismo vale somente para os católicos? - Orlando Fedeli

Cartas: Maçonaria e Igreja - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais