Montfort Associação Cultural

5 de abril de 2013

Download PDF

Domingo in albis: Leituras e comentário

 

1º DOMINGO APÓS A PÁSCOA
(Domingo da Oitava de Páscoa ou in albis)
1ª Classe – Paramentos Brancos 
Para ler/baixar o Próprio completo desta Missa, clique aqui.
Epístola 1ª de São João Apóstolo 5, 4-10.
Caríssimos: Tudo o que nasce de Deus, vence o Mundo; e a vitória que vence o mundo é a nossa fé. Quem é o vencedor do Mundo, senão o que crê que Jesus é o filho de Deus? É este mesmo Jesus Cristo, que veio pela água e pelo sangue; não apenas com a água, mas com a água e o sangue. E o Espírito é que dá testemunho de que Cristo é a verdade. Desta forma, são três os que dão testemunho no Céu: – O Pai, o Verbo e o Espírito Santo: e estes três são um só; e são três os que dão testemunho na Terra:- O Espírito, a água e o sangue: e estes três são unânimes. Se aceitamos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é máximo: e este testemunho de Deus, que é máximo, é que Ele testemunhou acerca de seu Filho. O que acredita no Filho de Deus, tem em si mesmo este testemunho de Deus.
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 20, 19-31.
Naquele tempo: Na tarde daquele dia, que era o primeiro da semana, e estando fechadas as portas da casa onde os discípulos se achavam juntos, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse-lhes: “A paz seja convosco.” E, ao dizer isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Alegraram-se, pois, os discípulos ao ver o Senhor. Então, disse-lhes novamente: “A paz seja convosco. Assim como o Pai Me enviou, assim também Eu vos envio a vós.” Tendo dito estas palavras, soprou sobre eles, e disse-lhes: “Recebei o Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.” Porém, Tomé, um dos doze, que se chama Dídimo, não estava com eles, quando veio Jesus. Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: “Vimos o Senhor.” Ele, todavia, replicou-lhes: “Se não vir nas suas mãos a abertura dos cravos, e não meter o meu dedo no lugar dos cravos, e não meter a minha mão no seu lado, não acreditarei.” Oito dias depois, estavam os seus discípulos outra vez na mesma casa, e Tomé com eles. Veio Jesus, estando as portas fechadas, pôs-se no meio e disse: “A paz seja convosco.” Depois, disse a Tomé: “Mete aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; aproxima também a tua mão, e mete-a no meu lado; e não continues incrédulo, mas fiel.” Tomé respondeu, dizendo: “Meu Senhor e Meu Deus!” Jesus observou-lhe: “Porque Me viste, Tomé, acreditaste; pois bem-aventurados os que não viram e acreditaram!” Outros muitos prodígios fez ainda Jesus na presença dos seus discípulos, que não foram escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos a fim de que acrediteis que Jesus é o Cristo, Filho de Deus, e para que, acreditando, tenhais a vida, por virtude do seu nome.
Traduções das leituras extraídas do Missal Quotidiano por Pe. Gaspar Lefebvre OSB (beneditino da Abadia de Santo André) – Bruges, Bélgica: Biblica, 1963 (com adaptações).
Comentário ao Evangelho do dia feito por 
Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona , doutor da Igreja
Sermão 88  - tradução extraída do site Evangelho Quotidiano, apud site Per Ipsum
“Felizes os que creem sem terem visto”
A fraqueza dos discípulos era tão grande que, não satisfeitos em verem o Senhor ressuscitado, quiseram ainda tocar-Lhe para acreditarem n’Ele. Não lhes bastava ver com os seus próprios olhos, ainda quiseram aproximar as suas mãos dos Seus membros e tocar nas cicatrizes das Suas feridas recentes. Foi após ter tocado e reconhecido as cicatrizes, que o discípulo incrédulo exclamou: “Meu Senhor e meu Deus!” Essas cicatrizes revelavam Aquele que curava todas as feridas dos outros. Não teria o Senhor podido ressuscitar sem cicatrizes? Mas no coração dos seus discípulos, Ele via feridas que as cicatrizes que conservara no Seu corpo deviam sarar.

E que responde o Senhor a esta confissão de fé do seu discípulo que diz: “Meu Senhor e meu Deus?” “Porque Me viste, acreditaste. Felizes os que crêem sem terem visto.” De quem fala Ele, meus irmãos, se não de nós? E não apenas de nós, mas também daqueles que virão depois de nós. Porque, pouco tempo depois, quando Ele escapou aos olhares mortais para fortalecer a fé nos seus corações, todos aqueles que se tornaram crentes creram sem terem visto, e a sua fé tinha um grande mérito: para a obterem, eles aproximaram d’Ele, não uma mão que queria tocar, mas apenas um coração afetuoso.

Extraído do site Missa Tridentina na Paróquia São Sebastião, Campo Grande.

Publicações relacionadas

Oração e Vida Espiritual: Quarto Domingo depois da Páscoa

Oração e Vida Espiritual: Sexto Domingo depois de Pentecostes – Leituras e Comentário ao Evangelho

Oração e Vida Espiritual: Segunda Feira da Semana da Paixão

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais