Montfort Associação Cultural

4 de fevereiro de 2010

Download PDF

Devoção ao Divino Pai Eterno

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Alexandre D. Antunes Pereira
  • Localizaçao: Mogi Guaçu – SP – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Profissão: Analista de Sistemas
  • Religião: Católica

(Gostaria muito que minha dúvida fosse respondida)

Caro Prof. Orlando,

Salve Maria!

Encontra-se em rápida difusão pelo país a devoção ao Divino Pai Eterno. Em particular, existe um padre chamado Robson, de aparência “devota e dócil” fazendo suas apresentações na Rede Vida de Televisão. (Conseguindo deturpar a já deturpada liturgia da Missa Nova – mas este não é o objetivo desta missiva.)

Minha dúvda é bastante simples e diz respeito à disposição da imagem do Divino Pai Eterno, tentarei descrevê-la: à esquerda encontra-se sentado Nosso Senhor Jesus Cristo, à direita Deus Pai Onipotente (como um senhor já idoso), ao centro temos o Espírito Santo em forma de pomba, e logo abaixo a Virgem Maria sendo coroada pelo Pai e pelo Filho.

Com este cenário tenho duas dúvidas:
a) É lícito representar através de imagem a figura de Deus-Pai, e esta imagem ser utilizada para o Culto? Sinceramente, a única representação que me sinto à vontade, é a pintada por Michelângelo na Criação de Adão a qual já vi na Capela Sistina, mas neste caso o afresco não é utilizado para Culto;

b) A representação acima descrita não formaria um “Santíssimo Quarteto” ao invés de Santíssima Trindade, visto que a Virgem Maria não é deusa e nunca quis ser?

Obs.: Quanto à coroação de Nossa Senhora, contemplamos no V Mistério Glorioso, e portanto, não há dúvida.

Sendo assim, desde já agradeço e despeço-me.

Alexandre Antunes

Muito prezado Alexandre,
Salve Maria.

     Esses padres modernos só procuram fazer novidades.
     Claro que essa imagem de um “Quarteto” para representar a Santíssima Trindade pode suscitar erros. Por isso, a Igreja sempre recomendou cuidado nessas representações da Santíssima Trindade.
     Agora vem esse Padre com a devoção ao pai divino, como se fosse separado do Filho e do Espírito Santo. Já a RCC insinua essa separação com sua separaçao do Espirito Santo. Pai, Filho e Espírito Santo são um só Deus em três Pessoas realmente distintas, mas co-substanciais.

     Quanto à representação de Michelangelo na Capela sixtina, ela é bem errada e cheia de imagens secretas, por exemplo, na perna de Adão está a figura de Eva, como se Adão e Eva fossem um ser andrógino, ao mesmo tempo masculino e feminino. Expliquei os segredos herméticos e gnósticos da Sixtina em minha aula em DVD sobre o Código da Vinci.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais