Montfort Associação Cultural

29 de março de 2006

Download PDF

Deus, bondade absoluta

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Santos Ricardo
  • Localizaçao: Luanda – Angola
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Religião: Católica

Deus seja louvado por vosso trabalho! 
Agradecendo-vos por este maravilhoso trabalho. Estou aqui do outro lado do mar ,em Angola /Africa .leio sempre que posso para ser sincero , tenho estado apredendo muito convosco .Tenho imprimindo o vosso trabahlo para dar ás pessoas e muitos gostam . E gostaria que me tirassem uma duvida ,ja fiz busca mas nao encontrei .É a seguinte: como se pode interpretar a passam biblica onde Jesus diz : 
« porque me chamas bom mestre bom é um só Deus» .
É que sou catequista,quero estar preparado para responder os meus catequisandos ja que aqui os TJ tiram trechos para confudir dizedo mesmo que Jesus Cristo nao é DEUS .

Muito prezado Santos Ricardo,
Salve Maria.
 
    Muito obrigado por suas palavras vindas de tão longe. É uma alegria para nós da Montfort saber que estamos ajudando católicos de Angola. Não se esqueça de nós em suas orações.
    Passo a responder à sua pergunta.
    Quando o jovem chamou Jesus de “Bom Mestre”, Nosso Senhor contestou rapidamente dizendo; “Só Deus é bom“.
    Só Deus é bom, como só Deus é perfeito. Ora, Nosso Senhor nos mandou que fôssemos perfeitos como o pai do Céu é perfeito.
     Claro que não podemos ser tão perfeitos, nem tão bons, como Deus o é.
    Para entender isso, é preciso que distingamos dois modos de perfeição:

1) Perfeição Absoluta, que só cabe a Deus;
2) Perfeição Relativa, que cabe às criaturas.
 
    Dizemos que uma criatura é perfeita, quando nada lhe falta do que é preciso para ela ser o que ela é.
    Uma criança nasce perfeita, quando não lhe falta nenhum órgao, e quando todos os seus membros são normais.
    Assim também, Deus é A Bondade absoluta. Nós criaturas podemos ter bondade, e podemos perdê-la pelo pecado. Na resposta ao jovem, Cristo quis lhe dizer então que há dois modos de ser bom: o Absoluto e o relativo.
    Bom é aquilo que tem qualidades em Ato. Só Deus, sendo Ato puro, isto é, tendo todas as qualidades em grau absoluto, pode ser dito Bom. As criaturas tem qualidades em ato, mas em grau relativo, por participação. Por isso, as criaturas podem perder suas qualidades em ato, e, portanto, elas são apenas relativamente boas.

    Como esse jovem revelava ter certa retidão, Nosso Senhor quis mostrar-lhe que se ele reconhecia em Cristo A Bondade, deveria considerá-lo Deus e não apenas um mestre apenas humano.
    Esperando ter elucidado sua dúvida, me subscrevo, muito atenciosamente, 

In
Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais