Montfort Associação Cultural

21 de setembro de 2013

Download PDF

Décimo Oitavo Domingo depois de Pentecostes

Fonte: Missa Tridentina na Paróquia São Sebastião, Campo Grande

2ª Classe – Paramentos Verdes

Para ler/baixar o Próprio desta Missa, clique aqui.
Jesus cura o paralítico de Cafarnaum. 
Mosaico na Igreja de Santo Apolinário o Novo, em Ravena, Itália.
Santos do DiaSão Tomás de Vilanova, Bispo e Confessor; São Maurício e Companheiros, Mártires.
1ª Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios 1, 4-8.
Irmãos: Dou incessantemente graças a Deus no que se refere a vós, pela graça de Deus que nos foi dada em Jesus Cristo: n’Ele fostes enriquecidos de todas as coisas, quer nas da palavra, quer nas da ciência. Foi desta forma que entre vós se confirmou o testemunho de Cristo, a ponto de nada vos faltar em qualquer graça, na expectativa em que estais da manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo. É Ele que vos manterá firmes até ao fim, para vos encontrardes irrepreensíveis nesse dia de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9, 1-8.
Naquele tempo: Tendo subido para um pequena barca, tornou Jesus a atravessar o lago, voltando à sua cidade [de Cafarnaum]. Eis senão quando, apresentaram-Lhe um paralítico, estendido no seu leito. Vendo Jesus a fé deles, disse ao paralítico: “Tem confiança, filho: São-te perdoados os teus pecados.” “Este homem blasfema! disseram logo alguns escribas, de si para si. Jesus, que conhecia os seus pensamentos, observou: “Para que estais a pensar mal nos vossos corações? Que é mais fácil dizer: Sao-te perdoados os teus pecados; ou dizer: Levanta-te e caminha? Pois, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra o poder de perdoar pecados,” – disse, então, ao paralítico: “Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa.” E ele levantou-se, e foi para sua casa! Ao verem isto, as multidões ficaram cheias de espanto, e glorificavam a Deus, por ter dado tamanho poder aos homens.
Traduções das leituras extraídas do Missal Quotidiano por Pe. Gaspar Lefebvre OSB (beneditino da Abadia de Santo André) – Bruges, Bélgica: Biblica, 1963 (com adaptações).
Comentário ao Evangelho do dia:
São João Crisóstomo (aprox. 345-407), presbítero de Antioquia, depois bispo de Constantinopla, doutor da Igreja
Homilias sobre São Mateus, 29, 2 (extraído do site Evangelho Quotidiano, apud Per Ipsum).
“Filho, tem confiança, os teus pecados estão perdoados”
Os escribas defendiam que apenas Deus podia perdoar os pecados. Jesus, antes mesmo de os perdoar, revela o segredo dos corações, demonstrando assim que também Ele possuía esse poder reservado a Deus [...], porque está escrito: “Só vós, Senhor, conheceis os segredos humanos” (2Cr 6,30) e “o homem vê o rosto, mas Deus vê o coração” (1Sm 16,7). Jesus revela, portanto, a sua divindade e a sua igualdade com o Pai mostrando aos escribas o que lhes ia no fundo do coração e divulgando-lhes pensamentos que eles não ousariam dizer em público com medo da multidão. E o faz com total doçura. [...]
O paralítico podia ter manifestado a sua incredulidade em Cristo dizendo-Lhe apenas: “Muito bem! Vieste curar outra doença e sarar outro mal, o pecado. Que prova tenho eu de que os meus pecados são perdoados?” Ora, não é nada disso que acontece; ele confia-se Àquele que tem o poder de curar. [...]
Cristo diz aos escribas: “Que é mais fácil dizer: ‘Os teus pecados te são perdoados’, ou ‘Toma o teu leito e vai para tua casa’?” Dito doutra maneira: Que vos parece que é mais fácil? Restabelecer um corpo paralisado ou perdoar os pecados da alma? Evidentemente que é curar o corpo, uma vez que o perdão dos pecados ultrapassa essa cura, dado a alma ser superior ao corpo. Mas porque uma destas obras é visível, e a outra não, levarei a cabo precisamente a que é visível e menor, para assim comprovar a invisível e maior. E nesse momento, pelas suas obras, Jesus dá testemunho de ser “Aquele que tira o pecado do mundo” (Jo 1,29).

Publicações relacionadas

Oração e Vida Espiritual: Sexta Feira da Terceira Semana da Quaresma

Artigos Montfort: A Liturgia: entrevista com o Cardeal Joseph Ratzinger - Orlando Fedeli

Oração e Vida Espiritual: Quinto Domingo após a Páscoa: Liturgia Tridentina

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais