Montfort Associação Cultural

26 de janeiro de 2005

Download PDF

Decepção de um católico com o clero atual

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Flávio
  • Idade: 47
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Religião: Católica

Caro irmão em Cristo

Tenho 46 anos, muitos dos quais vivido a serviço gratuito como leigo dentro da Igreja Católica.

Conheci de perto, pois participei durante dois anos, da abominação que era a TFP, ainda nos tempos do SR Plinio C. de Oliveira (1972/1974).

Fiz um curso de teologia da Faculdade Assunção, e coordenei por mais de 5 anos a formação de catequistas e os acompanhava desde a pre-catequese até ao Sacramento do Crisma (Confirmação).] Eu e minha familia éramos participantes ativos da comunidade, porém como diz a Palavra (Voces vao escutar bem, mas não compreenderão; voces vão olhar bem, mas não verão……… (Atos 28, 25-29), e foi o que aconteceu comigo: A igreja (tanto a hierarquia como muitos fiéis )não vivem verdadeiramente o Evangelho de N. S. Jesus Cristo, a igreja hoje vive uma farsa, uma hipocrisia talvez pior do que aquela presenciada po Cristo no seu tempo, quando atacou de forma profetica e corajosa o templo de jerusalem ( Mt 21 – 24. Depois que a gente vê, nao se esquece o que viu. A igreja virou um grande sepulcro caiado, (riquezas ao invés de simplicidade, mentiras ao invés de Verdades, arrogância ao invés de pureza de coração e mansidão, falta o verdadeiro sentido de ser padre nos dias de hoje ( PAI . O Evangelho nos diz tanto, e tantas são as Palavras proferidas por Cristo no sentido de ser um Pastor, de como conduzir o rebanho de Deus, porem a ireja parece nao seguir mais o anuncio de Cristo). Reza-se pelas vocações ??? para que, pergunto eu: para ter-mos padres cantores, apresentadores de TV de radio, escritores, diretores de escolas carissímas, que os pobres coitados filhos de Deus não têm acesso, e tantas barbaridades cometidas por padres no mundo inteiro ( pedofilia, amantes, pais, muitas vezes sem assumir a igreja domestica e continuam ministrando, homosexuais, etc, etc. ). E infelizmente quando se aponta esses “detalhes”, voce é ignorado e praticamente expulso do meio da comunidade, porque nem todos os olhos vêm, nem todos os ouvidos ouvem, e as “palavras” do padre são as que imperam e dominam, o Bispo fecha os olhos, e assim caminha a Igreja Catolica, pergunto eu, até quando perdurara esta mentira ??

Hoje digo apenas que sou SIMPLESMENTE CRISTÃO, porque Cristo não me decepciona, porem não digo o mesmo da Igreja, esta quando falsidade e falta de compromisso.

Espero, que me entendas e me responda, porque da Igreja (instituição), espero uma resposta até hoje, e o Bispo nao me disse uma palavra, nem a diocese, nem o vicariato, apenas ouvi “graças a Deus” a Palavra de seu Filho Jesus, e por isso digo, não sou eu quem falo mas é Cristo que fala por mim.

Abraços e Paz em nome de Jesus,

Flávio – simplemente cristão

25/01/03

Prezado Flávio, salve Maria!

Sua carta tem o amargor da decepção.

Embora compreenda que essa decepção tenha começado bem cedo com a tefepê — o que certamente não foi pouco — e deva ter continuado com o curso de teologia e a vida paroquial, devo dizer-lhe que nada disso justifica uma decepção com a Igreja enquanto tal.

Clero, associações, cursos, pessoas particulares, nada disso substitui a Igreja Católica enquanto tal. O clero é a parte docente da Igreja, aquela parte sagrada que tem o munus de ensinar, administrar os sacramentos, e de dirigir. Mas o clero, sozinho, não é a Igreja, embora seja parte essencial e principal dela. A Igreja Católica Apostólica Romana é infinitamente mais, porque sua cabeça é o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo.

Você pode imaginar facilmente, meu caro Flávio, como Nosso Senhor devia ficar “decepcionado” — como Deus Ele jamais podia ficar decepcionado — e entristecido com a fraqueza dos Apóstolos, antes da conversão deles. Como Ele pode, ainda hoje, ficar “” decepcionado”" com nossas traições e fraquezas. Entretanto, Ele jamais nos abandona, Ele jamais deixa de nos olhar sem misericórdia.

O que lhe peço, hoje, meu caro Flávio, é que seu amor pela Igreja Católica não esmoreça, nem deixe de compreender que os atos traidores de seus filhos — principalmente os do clero — não afetam em nada a santidade do Corpo Místico de Cristo. O que lhe peço é que tenha misericórdia pela situação terrível da Igreja. É exatamente essa misericórdia pela Santa Igreja, apesar de tantas misérias e pecados de seus membros, que comprova nossa fidelidade a Ela e a Cristo, e que consola Nosso Senhor neste Gethsemani que é este período pós-conciliar de tantas desgraças. Sejamos fiéis poucos, quando muitos traem. Sejamos misericordiosos com a esposa de Cristo, quanto tantos a esquecem e a mancham com seus pecados. Consolemos a Nosso Senhor por nossa fidelidade vigilante, quando tantos dormem, e quando alguns ficam contando as 30 moedas de sua traição no fundo de seus corações-algibeiras.

Jamais deixe de contemplar a face de Deus escarrada, na face da Igreja humilhada.

Gostaria de ter contato pessoal com você, para, se possível, apoiá-lo no esmorecimento, sustentá-lo na luta, animá-lo no desânimo. Junto com Cristo e com Nossa Senhora.

Enquanto aguardo esta possibilidade, me subscrevo.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Pedofilia na Igreja - Orlando Fedeli

Cartas: Mais uma heresia do Pe. Joãozinho: o oitavo sacramento - Orlando Fedeli

Cartas: Mestres de ignorância - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais