Montfort Associação Cultural

9 de novembro de 2009

Download PDF

De mutuca a pitbull

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Theóphilo Martins Terra
  • Localizaçao: Belo horizonte – MG – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Profissão: Professor Aposentado
  • Religião: Católica

Professor O. Fedelli,

Li vários comentários SEUS afirmando que os Anglicanos eram: hereges, cismáticos, indevidos quanto às ordens de ministração sacramentais (inválidas em SUAS afirmações), que não são sacerdotes; e outras afirmações graves contra a estrutura eclesial da anglicana. A qual o senhor nega ser igreja.
Agora o Santo Padre abre as portas da Igreja Católica para os clérigos anglicanos se tornarem sacerdotes católicos, mesmo sendo eles casados; e outras admissibilidades publicadas pela Santa Sé.
Ora, conclui-se pois, que SUAS SENTENÇAS são contrariadas pelo Santo Padre. Contestadas, diria, ainda que o Santo Padre sequer o conheça; nem conheça seus iracundos surtos de preposto das ideias pontifícias.
Há de convir o ex-discípulo, de fidelidade “pitbullniana”, do Prof. Plínio; acólito e/ou concelebrante das liturgias tefepistas; locupretado pelas benesses do Prof Plínio, membro do “groupuscule” da TFP, adorador do retrato de Dª Lucyla e irremediável invejoso da organização e nobiliarquia pontíficia dos Arautos do Evangelho, Canção Nova, – e do sucesso sacerdotal de Padre Zézinho, Marcelo Rossi, Fábio de Mello e outros ( este sim, Igreja genuína, porquanto popular como a quis Jesus), que o Papa o desmentiu clamorosamente !!! SUA VOZ PREVALECE SOBRE A DO SANTO PADRE ?
Responda-me, e aos outros que o senhor vêm enganando com seus falsos moralismos e ortodoxia, quem MENTE, o senhor – Doutor da Igreja decadente – ou o Santo Padre !
Cala-te Prof. Fedelli, a Igreja em que o senhor crê morreu !
Mas, por consentânea dignidade devida à dignidade e ao direito de expressão das pessoas, digne-se em responder às minhas exposições.
Seja modesto em sua facúndia e sóbrio em seus costumeiros ataques aos seus contestadores.
Responda-nos !

Viva Cristo ! Senhor! Viva Maria, bem aventurada!

T. Martins Terra
 

Muito prezado Professor Terra, salve Maria.
       
Prezado colega, pois ambos somos “animais de mesmo pelo” (Paul Claudel, Jeanne au bûcher): ambos somos professores.
 
Como o senhor está brabo!  
       
E eu é que seria um pitbull?
        
Quem o mordeu, para o senhor ter tanta raiva?
 
Se o imitasse, diria que o senhor parece tão brabo como um bulldog. Como, note bem.
 
Como o ódio o cegou tanto, a ponto de me lançar tantas inverdades, e de me fazer acusações tão absurdas?
       
Lembre-se, professor, que somos pó, e que ao pó retornaremos.
       
Tanto mais o senhor, que é terra.
        
Por que levanta o senhor tanta poeira?
 
Será que é para cegar os leitores?
 
Pois fique sabendo, professor, que suas acusações são tão absurdas que só comprovam sua “rabbia” e sua cegueira. Raiva e cegueira.
 
Raiva que cega. Cegueira que enraivece.
 
E saiba que sua carta está me divertindo muito.
 
Só um ódio tão grande causa tantos e tão falsos raivosos latidos, o que me redunda em honra diante de Deus e dos homens.
 
O senhor me pergunta se a verdade é minha ou do Papa.
 
Claro que o Papa é, na terra – mas não para qualquer terra—fonte de verdade. Por isso a Montfort só quer repetir, ter e defender a verdade ensinada pelo Papa.
 
Todo católico tem a verdade que lhe proporciona infalivelmente o Vigário de Cristo na terra. Portanto, minha verdade me vem do Credo da Roma eterna.
 
E a sua mentira, de onde vem?
 
De bem fundo, das profundezas da terra?
 
Por acaso ela não lhe viria do “cão”?
 
Vejamos o seu primeiro ataque, que me chegou com grande alarido – AU !AU! AU! AU! –  o senhor me lança. Copio sua frase para não dizer que a inventei:
 
“Li vários comentários SEUS afirmando que os Anglicanos eram: hereges, cismáticos, indevidos quanto às ordens de ministração sacramentais (inválidas em SUAS afirmações), que não são sacerdotes; e outras afirmações graves contra a estrutura eclesial da anglicana. A qual o senhor nega ser igreja”.
 
Quem declarou os anglicanos hereges por negarem que o Papa é o Pastor supremo posto por Cristo na Igreja foi a Santa Sé.
 
Näo fui eu.
 
Isso foi no século XVI. E eu só nasci em 1933.
 
A Igreja excomungou os anglicanos como hereges e cismáticos, porque eles negaram que o Papa é o supremo pastor da Igreja de Cristo, e por se negarem a obedecê-lo como tal… Os anglicanos, desde Henrique VIII e sua  filha Isabel, bastarda e adulterina, fizeram do Rei da Inglaterra o seu Papa.
 
Também não fui eu quem declarou que as ordenações sacerdotais anglicanas e sagração de seus Bispos foram inválidas, e que, por isso, nenhum deles é padre ou bispo. De jeito maneira. E, por isso mesmo, o anglicanismo não é uma Igreja. Eles não tem sucessão apostólica.
 
E, de novo, quem declarou isso não fui eu. Quem declarou isso foi Leão XIII.
 
E eu nasci bem depois. Se quiser lhe mando cópia reconhecida de minha certidão de nascimento. Não fui eu que disse que os pseudo sacerdotes e bispos anglicanos não são nem Bispos, nem padres.
 
Palavra que não fui eu que fiz esse decreto.
 
Aliás, eu nada decreto, e jamais decretei coisa nenhuma.
 
Só repeti o que decidiu a Santa Sé.
 
Cheguei atrasado nessa declaração, pois só nasci em 1933.
 
Garanto.
 
E o convido para meu próximo aniversário.
 
Prometo lhe oferecer uma… “zuppa” inglesa.
 
Ou o senhor prefere um osso?
 
Quem me considera pitbull, pode bem preferir osso a uma “zuppa” inglesa.
 
É tradição de Buldog.
 
Eu prefiro a “zuppa”.
 
Uma delícia.
 
Pois a “zuppa”, apesar de inglesa, não é anglicana.
 
E tanto os anglicanos não tem nem sacerdotes, e nem bispos, que todos os que agora, graças a Deus, retornarem à Igreja Católica, terão que ser ordenados e sagrados, estudando-se caso por caso.  
 
E, mais uma vez, não fui eu quem decidiu isso.
 
Foi Bento XVI.
 
Garanto.
 
Palavra (o senhor ofensivamente diria que é latido) de pittbull.
 
E para falar comigo, o senhor me grita com letras garrafais:
“SUA VOZ PREVALECE SOBRE A DO SANTO PADRE ?”
 
Prevalece não e nunca.
 
Só repete.
 
E o senhor recorda que fui da TFP, pois me diz:
 
“Há de convir o ex-discípulo, de fidelidade “pitbullniana”, do Prof. Plínio; acólito e/ou concelebrante das liturgias tefepistas; locupretado pelas benesses do Prof Plínio, membro do “groupuscule” da TFP, adorador do retrato de Dª Lucyla e irremediável invejoso da organização e nobiliarquia pontíficia dos Arautos do Evangelho, Canção Nova, – e do sucesso sacerdotal de Padre Zézinho, Marcelo Rossi, Fábio de Mello”.
 
Quantas mentiras em 7 linhas.
 
Nunca fui acólito das “liturgias” tefepistas… Tudo o que o senhor sabe sobre a tfp foi o que eu denunciei. O que me valeu ser chamado pelos sectários de Dr. Plínio de “Mutuca”. Um mosquito de mordida dolorosa.
 
O senhor agora me promoveu de mutuca a pitbull, cuja mordida dói mais ainda.
 
Quem o mordeu, professor Terra?
 
E o senhor me calunia dizendo-me “locupretado pelas benesses do Professor Plínio…”.
 
Meu caro Professor, nunca recebi benesses de ninguém a não ser a de ser apodado de “mutuca”.
 
Ou de “pitbull”.
 
Nunca adorei retrato de Dona Lucília. Denunciei o culto que os tefepistas prestavam a ela. Como denuncio o culto que os Arautos prestam a ela, a Dr. Plínio e a Scognamiglio, o atual Mosenhor João Clá, que nunca estudou nem Filosofia e nem Teologia, nem nunca fez um seminário, nem completou qualquer curso superior.
 
O Currículo universitário dele é bem curioso.
 
E vazio.
 
O senhor conhece a nova ladainha que os Arautos da Sempre Viva rezam para o atual Monsenhor Scoganamiglio?
 
Agora, agorinha mesmo, recebi a ladainha que os Arautos recitam para o Monsenhor João Clá…
 
É divertida pra valer…
 
Quer conhecê-la ?
 
É um tanto exótica e totalmente absurda.
 
Quer conhecê-la?…
 
Não. Não lhe conto.
 
O senhor vai ter que lê-la no site Montfort, em breve.
 
Porque se percebe que o senhor é leitor assíduo do site Montofrt.
 
E o senhor me difama, dizendo-me invejoso da nobiliarquia dos Arautos.
 
Meu caro Professor Terra, não sou nem pitbull, nem nobre. Seria ofensa menos absurda se me chamasse de pobre plebeu.
 
Graças a Deus sou pobre filho de operário.Nada tenho que ver com almanaques de nobreza. Meu nome não aparece no Ghota. E nem quero aparecer por lá. Se nem nos anais do bairro do Cambuci, onde nasci, meu nome aparece, imagine no Ghota!
 
Jamais ninguém do Cambuci entrará no Ghota. Graças a Deus!
 
E dizer que invejo padres Marcelo Rossi, Zezinhos, Joãozinhos e Fábios de Melo. Isso é demais.
 
Invejar o padre Fábio de Melo, eu que sou careca?
 
Meu pobre e muito imaginativo Professor Terra, nunca usei botox e sou convicta e decididamente feio. Dos feios que recusam serem chamados de  ”liiindo” pelo Padre Fábio de Melo. Prefiriria morrer do que ter o sucesso do Padre Fábio de Melo.
 
E quando o senhor me diz que Padre Fábio de Melo “este sim, Igreja genuína, porquanto popular como a quis Jesus”, o senhor começa a revelar a origem de seu ódio.
 
O senhor distingue duas igrejas, hoje: aquela que o senhor chama de ”genuina” e a de sempre.
 
O senhor é da Igreja do Genoíno.
 
O senhor é do PT. É da Igreja da Teologia da Libertação. Da Igreja marxistóide. Da Igreja bofenta. Da Igreja que defende a liberdade de religião. O senhor é da Nova Igreja nascida do Vaticano II.
 
Daí, o senhor me gritar educada, ecumênica e democraticamente:
 
Cala-te”.
 
“Cala-te Prof. Fedelli, a Igreja em que o senhor crê morreu !”
       
Deixando de lado seu erro de gramática – também os cometo, professor, embora não tão rotundos, – não morreu, não. A Igreja Católica Apostólica Romana jamais perecerá. Foi Cristo que prometeu isso. Cristo cuja palavra não mente e permanece para sempre. Dizendo o contrário, o senhor blasfema contra Cristo, e diz uma heresia.
 
 
O senhor, dizendo que a Igreja de sempre morreu, o senhor nega a promessa de Cristo de que a Igreja que Nosso Senhor fundou jamais seria vencida pelas portas do inferno.
Por mais que o cão Cérbero –de três cabeças e de duas caras—fique latindo e uivando de ódio cego, em apoio a seu dono, — “al suo padrone”, o diabo. O “cão”, como dizem nossos fiéis caipiras, que nem o nome do diabo querem pronunciar.
 
O Cão Cérbero que Virgílio fez calar, jogando-lhe na boca um punhado de… terra.
 
E mais uma vez , não fui eu quem imaginou essa cena. Foi Dante. Está lá, no Inferno da Divina Commedia, Canto VI, versíulos 13 a 32.
 
São os versos que começam assim:
 
Cerbero fiera crudele e diversa…”.
 
E já que estamos citando Dante, aproveito para lhe citar outra passagem do poema dantesco, passagem na qual Virgilio grita para Pluto—outro cão: 
Taci maladetto lupo:
consuma dentro te la tua rabbia”
 
(Cala-te maldito lobo – um canino—consome dentro de ti a tua raiva) (Dante ,Divina Commedia, Inferno, VII, 8-9).
 
Tudo passa, caro professor Terra. Sua raiva, inútil e impotente, também passará. A Montfort também passará.
 
E, caro Professor Terra, o senhor deve conhecer o ditado que agora parodio: “os cães ladram, enquanto a Montfort, passa”…
 
Nós dois, “animais de mesmo pelo”, também passaremos; ainda mais que ambos somos aposentados…
 
Só Deus não passa. Só a Igreja permanecerá sempre. Só a verdade católica não passará.
 
Verba mea manent in aeternum, disse-nos Jesus…
 
Que não passa.
 
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Arautos do Evangelho e TFP - Orlando Fedeli

Cartas: Sacerdotes Arautos - Orlando Fedeli

Cartas: TFP e Montfort, juntas! por que não? - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais