Montfort Associação Cultural

26 de janeiro de 2005

Download PDF

Crise na Igreja

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Leonardo
  • Localizaçao: – Brasil
  • Religião: Católica

Prezado,Orlando Salve Maria

Desejo muito que Deus intervenha o mais rápido possível na Igreja.A crise é muito grande…Os ataques á ela são massivos.Os ataques estão em todos os cantos: nas TVs , nas revistas, nos livros ,nas aulas do colégio,e até dentro da Igreja!

Agora mesmo acabei de ler a Veja de 21 de abril,a capa é sobre pedofila na Igreja e a reportagem só o senhor lendo mesmo…são muitos ataques.Na semana passada foi a reportagem da Rede Globo no Fantástico sobre o mesmo tema.

Será que a CnBB vai fazer alguma coisa?Eu Acho que não…talvez ela esteja preocupada com o MST e o PT.

Fica difícil nesta situação ter católicos de verdade…Hoje em dia uma pessoa nasce e não recebe nenhuma educação católica quando criança ( se recebe ,é uma educação puramente modernista ),nas escolas recebem um banho de anti-catolicismo nas aulas de história e biologia.Chega na universidade os ataques até aumentam;ligam a TV ,e é a mesma coisa; compram alguma revista e é a mesma coisa; talvez esta pessoa resolva assistir uma missa,chegando lá os padres são convenientes com esta situação…

Numa recente declaração do Papa,ele disse que sua maior preocupação era a paz no mundo.Ora eu me pergunto como é que alguém se preocupa com algo de fora se sua casa está uma verdadeira bagunça ? Em muitos de seus ensinaments,Nosso Senhor Jesus Cristo ensinou que antes de queremos tirar um cisco do olho de nosso irmão devemos tirar o pedaço de madeira que está em nossos olhos ,e aí sim tirar o cisco do olho de nossos irmãos…

O papa deveria primeiro resolver estes problemas pós-concílio vaticano II,e só depois fazer declarações de paz…

Orlando Fedeli , Marcelo Fedeli , e á todos da Associação Montfort… Rezem muito…Rezem muito para que Deus intervenha o mais rápido na Igreja

Fiquem com Jesus e Maria…

Muito prezado Leonardo, salve Maria.

Vejo a situação do Clero como você a vê: a situação é trágica.

A política seguida durante décadas — para não dizer século — de ocultar o problema, e fingir que ele não existe, levou a esse impasse e a esse escândalo.

Isso foi causado também pela falta de seleção e de disciplina dos seminários. Uma aluna minha contou-me que no seminário central de uma grande capital brasileira, os seminaristas, ao se encontrarem, depois de descerem dos ônibus que os trouxeram de várias procedências, saem de mãos dadas, como namorados.

Além disso, procura-se “compreender” o pecado, em vez de condená-lo.

Ainda agora, um Bispo socialista da CNBB declarou sobre os escândalos de pedofilia que isso não deveria espantar porque “os padres são seres humanos” (não me lembro das palavras textuais, mas o sentido era esse).

É interessante que quando esses Bispos tratam da corrupção dos políticos – que deve ser severamente condenada, é claro — eles esquecem que também os políticos “são homens”. Desculpas existem só para os clérigos…

Com essa desculpa esfarrapada, esse Bispo quer minimizar os escândalos do clero.

É uma vergonha !

Outros, pretendem acabar com o celibato.

É como pretender acabar com os adultérios proibindo os casamentos.

Ridículo.

Uma outra revista publica um entrevista de uma ex-freira que prova, com fotos, que ela foi amante de um Bispo.

Vergonha.

É claro que isso sempre foi sabido por muitos.

Por que essas delações agora?

Até parece que há uma campanha organizada, que seria possivelmente resultante de uma “chantagem”. O Papa João Paulo II, porém, parece que não teve medo de enfrentar a chantagem (se houve chantagem) . Ele aceitou que publicassem os fatos envolvendo padres criminosos, recusando porém ceder na questão do celibato, do homossexualismo e da ordenação de mulheres. Um Cardeal americano — Mahoney, de Los Angeles – disse que iria a Roma pedir várias dessas coisas como o fim do celibato e a ordenação de mulheres. Pelo menos é o que foi noticiado.

É de salientar ainda que um dos padres condenados nos USA por abusar sexualmente de menores era um padre “hippie” que pretendia cuidar de homossexuais…

Seria interessante saber a que ala do clero pertenciam esses padres incriminados. Será que eles eram tradicionalistas ou progressistas?

Diz um velho ditado: todo herege tem concubina.

Hoje, poder-se-ia talvez dizer: é normal que um herege — que perdeu a Fé e que nega a moral — caia em tais horrores.

In Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli.

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais