Montfort Associação Cultural

19 de outubro de 2009

Download PDF

Corpos Incorruptos

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Lúcio Cleyton Fernandes
  • Localizaçao: Sobradinho – DF – Brasil
  • Religião: Católica

Caro Prof. Orlando,
Salve Maria.

Nunca enviei-lhe e-mail’s, nem escrevi ao seu site,
Porém desde que eu conheci a Montfort, nunca mais fui o mesmo (e isso já faz quase três anos),
Larguei a RCC, e aprofundei-me no conhecimento de nossa Sã Doutrina.
Venho estudando bastante, lendo e argumentando, conheci e aprendi a amar a Santa Missa de Sempre lendo a Montfort e seus artigos, conheci a Santa Missa aqui em Brasília, depois tive a oportunidade de asssiti-la em Anapolis.

Mas o que me faz atrever-me a escrever-lhe é uma dúvida que meus estudos ainda não me esclareceram perfeitamente,
Por isso confio essas dúvidas ao Sr, pois em minha simplória opinião, o Sr, é um dos maiores apologetas e conhecedores da doutrina Católica do continente Americano. Perdoe o elogio.

Questiono o Sr. sobre a incorruptibilidade dos corpos,
Há em nossa amada Igreja muitos corpos incorruptos de grandes Santos, não que um corpo preservado de incorrupção seja sinal de santidade, pois há os que assim estão por conta da adversidades do tempo e local.
Mas me atenho aos fatos verdadeiramente miraculosos, os quais para a ciência não há explicações plaúsiveis,
O Sr. poderia falar deles?

Corpos como do Cura D’Ars,
São João Bosco,
Santa Rita de Cassia… e etc.

Existem muita confusão sobre esse assunto, há corpos que foram preservados artificialmente,
Outros permanecem apenas semi incorruptos, qual é o verdadeiro ensino da Igreja sobre isso?

Me parece que um dos maiores especialista nesse assunto é o Pe.Jesuíta (e parapsicólogo) Oscar Quevedo, que diz ter conhecimento de pelo menos dois mil casos, porém o Pe. é bastante controverso em matéria de ortodoxia, já tendo dito coisas bastante graves em matéria de fé.

Então restou-me o Sr. e seu conhecimento para jogar luzes sobre esse assunto,
Confiando em sua resposta, fico no aguardo.

A paz de Nosso Senhor Jesus Cristo.
 

Muito prezado  Lúcio, salve Maria.
 
Que bom que você captou o meu e mail porque assim nos tornaremos amigos, por enquanto só “virtuais” e logo mais indo eu a Brasilia, amigos reais.
 
Não é um atrevimento seu escrever para mim e nem me colocar perguntas. Sou um simples professor de história de curso secundário. Infelizmente, a decadência atual faz de um caolho, astigmático, com presbiopia  e míopia, como eu, se ver obrigado a responder questões que outros deveriam resolver. Mas, na falta de cão, se caça com gato. Por isso, dou graças a Deus que me permitiu, sendo simples gato, ajudar outros a “caçarem” a verdade para amá-la e servi-la.
 
Dou graças a Deus se os textos da Montfort o levaram a bandonar a RCC e a passar a assistir a Missa de sempre. Que Nossa Senhora o guarde  e o faça amar cada vez mais a doutrina católica e a Sagrada Liturgia de sempre.
 
Deus Nosso Senhor permite, em alguns casos, que os corpos de certos santos permaneçam incorruptos miraculosamente. Porque se a morte é consequência do pecado, o preservar da putrefação pode ser um modo de Deus mostrar a santidade extraordinária de alguns santos.
 
Você nota bem, que a incorruptibilidade de um cadáver não é prova de santidade. Para comprovar a santidade de alguém a Igreja examinava, em primeiro lugar, a sua ortodoxia, depois sus virtudes heróicas. Depois exige milagres após a morte.
 
A incorruptibilidade só era reconhecida como comprovante acrescentado de santidade, se os critérios anteriormente citados fossem seriamente comprovados.
 
Por que Deus concede a incorruptibilidade a alguns santos e a outros não?
 
Isso está nos mistérios de Deus nos quais ninguém pode penetrar. Nosso Senhor disse, em parábola, que Ele dá o que quer para quem Ele quer, dependendo apenas dos planos de sua divina Providência.
 
Por favor, escreva-me sempre, porque o quero como amigo.
 
In Corde Jesu, semper,
 
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Malachy Martin e um decreto papal - Orlando Fedeli

Cartas: Direitas & Esquerdas, faces da mesma moeda - Orlando Fedeli

Cartas: A falta de caridade e o silêncio do canonista Edson Sampel - Emerson Chenta

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais