Montfort Associação Cultural

30 de janeiro de 2010

Download PDF

Consequências da comunhão em pecado mortal

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Gabriel
  • Localizaçao: Vitória – ES – Brasil
  • Religião: Católica

Prezados Sehores, Boa tarde.

Nas missas de domingo, os padres falam demais no dízimo. Acho que já decorei bons trechos de textos bíblicos que justificam o dízimo; acho muito importante. Porém eles se limitam a isso. Acho que tem ensinamentos muito mais importantes, acerca da doutrina, que eles não ensinam. Por isso recorro aos senhores.
Quais as consequências de eu comungar em pecado mortal? O Sangue de Jesus não seria suficiente para perdoar os meus pecados?
Quando estou em pecado mortal eu me abstenho de comungar, e sou alvo de críticas por parte de meus familiares.
Att,
Gabriel

Muito prezado Gabriel,
Salve Maria.

     Quem comunga estando em pecado mortal comete um grande sacrilégio. Diz São Paulo que aquele que come indignamente a carne e o sangue de Cristo como e bebe a sua própria condenação. Jamais comungue estando em pecado. Só se pode comungar estando sem pecado grave. Se tivermos a desgraça de cair em um pecado, é preciso confessá-lo antes de comungar.

     Quanto ao dízimo, a lei da Igreja católica vigente no Brasil diz em seu quarto mandamento que se deve apgar o dizimo, segundo o costume.
     Ora, o costume no Brasil sempre foi pagar o que puder, como puder, e quando puder. 
     Infelizmente, muitos padres transformaram a moral católica em poucos mandamentos:

     1 – pague o dízimo;
     
2 – em dinheiro;
     
3 – à vista.

     Tudo o mais seria permitido.
     
Horrível.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Meditando sobre a parábola do filho pródigo: ter ou ser? - Orlando Fedeli

Cartas: Documento original do segredo de Fátima - Orlando Fedeli

Cartas: Pode-se matar em que circunstâncias? - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais