Montfort Associação Cultural

17 de janeiro de 2005

Download PDF

Com quantas cores se faz um católico?

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Artênio Salomão
  • Localizaçao: – Brasil

Caro professor Orlando Fedeli! Salve Maria!

Como está o senhor?

Por favor, permita-me pedir seu auxílio.

O senhor já percebeu como (boa) parte dos católicos é chegada numa corzinha?

Tem os católicos do branco, que querem paz a qualquer preço, que querem amar aos outros “irmãozinhos” para suplantar toda e qualquer “diferença” entre a Igreja e outros sistemas religiosos/ideológicos…

Há os católicos do vermelho, que… Bom… Acho que podemos dispensar comentários! Ou podemos fazer plebicistos para saber se é realmente necessário dispensar comentários. :-) E agora, meu caro professor Orlando Fedeli, está surgindo de mansinho os católicos do verde… Que eu já estou batizando de “ecotólicos”! E estes não veêm problema algum em adorar, na presença de um animalzinho de estimação, Nosso Senhor Sacramentado. Porque afinal, como disse Padre Léo, no programa Tenda do Senhor (nesta última segunda-feira), na TV Canção Nova, “Jesus nasceu no meio de animais”.

Será que vai pintar novidade de novo no seio da Igreja Romana? Quem sabe depois das Missas-Show teremos as Pet-Missas?! E que tal vermos católicos em retiros “naturistas”, despidos de tudo o que possa atrapalhar a “comunhão” com a criação, com a terra? Ops! Com a “Terra Mãe”, que como diz uma música da CF2002: “será o altar”. Todo mundo louvando a Deus com hinos zen-budistas (numa versão catolicíssima, claro…), dançando como índios “krikatis rã rã rã” e vivendo “”"”como”"”" São Francisco de Assis…

Envio-lhe este e-mail porque estou me achando pálido, não consigo encontrar nenhuma cor para o meu catolicismo. Por favor, envie-me sugestões! :-)

Que Nossa Mãe Maria abençoe o seu ministério!

Abraços!

Artênio Salomão

Universitário – Comunicação Social

Prezado Artênio, salve Maria!

Sua carta me causou tristeza, pela triste situação do catolicismo “colorido” atual. Mas causou-me grande alegria por ver nela um espírito tão lúcido como o seu, que é capaz de discernir o ridículo de tantas posições heréticas vigentes entre os que se dizem católicos, hoje.

Que posso recomendar-lhe eu, em meio a tanta confusão senão que você permaneça simplesmemte Católico Apostólico Romano, sem acréscimo de nenhum adjetivo a mais.

Ainda ontem à noite, conversando com alguns alunos, um deles me dizia que, hoje, a confusão é tanta, que quando a gente se diz Católico Apostólico Romano, logo se nos pergunta : “Mas de que tipo?”.

Como se houvesse vários modos de ser católico. E quando respondemos que somos simplesmente Católicos Apostólicos Romanos, se nos indaga se somos da TL, da RCC, do Neo Catecumenato, Tradicionalista, do Opus, da Schoenstadt, etc.

Ora, devemos ser só e simplesmente Católicos Apostólicos Romanos sem nenhum adjetivo a mais.

E essa necessidade de acrescentar uma adjetivação a mais é a prova da falta de unidade entre os Católicos, hoje…E falta a unidade entre os católicos, porque falta a verdade. Só a verdade causa a unidade. Perdeu-se a unidade da Fé.

E dizer que o Vaticano II foi feito para se conseguir a união dos cristãos…

Na realidade, ele produziu a divisão dos católicos, sem ter conseguido que nenhum grupo herético se tenha convertido. Aliás, os paladinos do Vaticano II confessam que não querem converter ninguém. Ainda agora, há poucos dias, os Bispos americanos lançaram um documento em que, baseados no Cardeal Kasper, defendem que não é preciso que os judeus se convertam ao catolicismo…

Qual a “cor” religiosa desses Bispos?, me perguntaria sagaz e ironicamente você.

“Cor” de heresia, respondo-lhe eu.

In Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Filosofia e Teologia nos Seminários - Orlando Fedeli

Cartas: Conversão de dois bispos anglicanos ao Catolicismo - Orlando Fedeli

Cartas: Deus e seus intercessores - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais