Montfort Associação Cultural

16 de agosto de 2004

Download PDF

Che Guevara

Autor: Lucia Zucchi

  • Consulente: Thais Marques
  • Idade: 16
  • Localizaçao: Jundiaí – SP – Brasil
  • Religião: Espírita

    Eu li um artigo publicado neste site onde vcs dizem q Che Guevara foi um terrorista… ele foi sim, lutando por seus ideais. mas compare che guevara com a Igreja católica? qm matou mais? qm executou e aterrorizou mais pessoas? o socialismo ou a Igreja em toda a sua história? vcs não tem noção da realidade. Che era um socialista e estava certo. vcs não sabem analisar a realidade.

atenciosamente,

Thais

Querida Thais,
 
Salve
Querida Thais,
 
Salve Maria!
 
    Quem matou mesmo mais que tudo foi Deus, que condenou a humanidade inteira à morte. E aterrorizou também, pois a Bíblia diz que o temor de Deus é o princípio da sabedoria.
    Mas entre a Igreja e o socialismo, sem dúvida nenhuma o socialismo matou e aterrorizou mais. Na China de Mao, apenas um dos programas de socialização do país – o Grande Salto para Frente – matou mais de trinta milhões de chineses. Na Grande Fome planejada e executada por Stálin, foram mais de cinco milhões de mortos. O Khmer Vermelho, no Cambodja, matou entre dois e três milhões de pessoas, um terço da população do país. O próprio Che não morreu fazendo apostolado mas de armas na mão, matando pessoas!  
    Já a Igreja Católica tem alguns recordes do outro lado. Por exemplo, os romanos mataram cerca de cinco milhões de cristãos – católicos, evidentemente, porque obedeciam ao Papa. 
    De modo que não é tão difícil analisar a realidade, se comparamos friamente os números!
 
Deus a ajude a ver isto com mais clareza!
 
In Corde Jesu et Mariae,
 
Lucia Zucchi 

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Leitor defende a aplicação da pena de morte contra o Prof. Orlando

Cartas: Igreja e a pena de morte - Orlando Fedeli

Cartas: Montfort, Pena de Morte e a Verdade - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais