Montfort Associação Cultural

26 de janeiro de 2005

Download PDF

Católica ou Evangélica? Como escolher???

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Silvana Dedez
  • Localizaçao: Curitiba – PR – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento

Senhor Orlando, faço-lhe as pergunta seguintes, pedindo se for possivel que sejam fornecidam respostas rápidas e objetivas para cada uma delas. Meu interesse maior está na escolha entre ser católica ou evangélica, isso é, na última das perguntas. Obrigada, com simpatia, Sil.

01)) Como devemos ler os Evangelhos, simplesmente considerando-os como um relato de fatos históricos que ocorreram à época do Senhor Jesus e dos Apóstolos, ou como ensinamentos a serem utilizados hoje, na nossa vida cotidiana? Por exemplo: “Pedi e recebereis” é algo que foi dito de Jesus para os Apóstolos (e funcionava naquela época) ou foi falado de Jesus para todos nós (e que ainda funciona, hoje, comigo, conosco)?

02)) Por que devo ir à igreja, se Deus está em toda parte e posso me comunicar com Ele em qualquer tempo e lugar?

03)) Por que devo ter uma religião? Não bastaria ler a Bíblia e orar?

04)) Por que motivo os católicos recebem a comunhão (hóstia)? Se um católico não tiver pecados, ele já não tem “Jesus nele”? O valor do recebimento do pão pelos evangélicos, durante o culto, é o mesmo do valor da hóstia para os católicos, na missa?

05)) Por que os católicos fazem a Crisma? Eles já não recebem todos os dons do Espírito Santo no Batizado? O que difere o crismado do não crismado?

06)) Os católicos recebem mais graças de Deus do que os não-católicos (evangélicos, por exemplo)?

07)) Poderíamos dizer que os católicos são mais felizes, mais prósperos e têm menos tribulações do que os evangélicos ou os judeus? Quando frequento algum culto evangélico, as pessoas me parecem ser bem felizes.

08)) Qual a diferença entre quem carrega pegados consigo e quem confessou seus pecados? É uma diferença que será somente notada na nossa morte (quer dizer: só um dos dois iria para o céu), ou os absolvidos gozariam, aqui nessa vida, de alguns benefícios sobre o que possui pecados não perdoados?

09)) Como saber, numa determinada situação, se quem está pensando sou eu, Deus, ou o inimigo (satanás)?

10)) Os católicos dizem que a sua religião é a única que deve existir, e os evangélicos falam a mesma coisa. Mas para que eu possa escolher entre a religião católica e as evangélicas, quais seriam as diferenças principais entre uma e outra? Poderiam ser enumeradas 5 ou 10 diferenças essenciais, que pudessem realmente pesar em uma decisão (escolha) de minha parte?

Pretendo fazer essa mesma pergunta a um pastor evangélico.

comentários: Indicação de um católico, que trabalha na empresa em que faço estágio.

Muito prezada Silvana, salve Maria!

Há um só Deus, e, portanto, só pode haver uma religião verdadeira, sendo todas as demais falsas.

Como Deus é infinitamente bom, Ele deve ter deixado sinais bem claros para conhecer qual é a única religião verdadeira, que deve ser una, santa, feita para todos os homens, isto é, que deve ser uma religião para ricos e pobres, cultos e ignorantes, de todas as raças, portanto universal, católica — porque católica quer dizer universal — e apostólica, isto é, que vem desde os Apóstolos.

Essa única religião verdadeira tem que ter sido fundada pelo próprio Cristo Deus.

Ora, no Evangelho se lê que Cristo fundou a sua Igreja sobre Pedro (Cfr, MT XVI, 16-19) e que prometeu a São Pedro que o demônio jamais venceria a Igreja.

Ora, as seitas protestantes foram fundadas a partir do século XVI (1517). Logo, elas não foram fundadas por Cristo. Pior, elas se rebelaram contra o Papa sucessor de São Pedro, declarando que cada um pode interpretar a Bíblia a seu modo.

Como resultado dessa livre interpretação da bíblia surgiram mais de 10.000 seitas protestantes — que se dizem evangélicas — mas que torcem e retorcem o Evangelho a seu bel prazer, desde a igrejola luterana até a seita “Sabão, Sopa e Salvação”.

O que Nosso Senhor ensinou, nos Evangelhos vale para todo o sempre, porque Deus não muda. E os fatos relatados nos Evangelhos foram fatos realmente ocorridos, porque Deus não mente.

Deus está em toda a parte, mas Ele está realmente presente na Sagrada Hóstia, com seu Corpo, Sangue Alma e Divindade. Deus nos fez sociais, e devemos honrá-Lo não só em particular, como também publicamente.

Uma brasa isolada se apaga e se torna carvão que tudo suja. Assim também, o homem isolado, vê apagar-se seu zelo e seu amor e se transforma em carvão que tudo suja. Por isso, disse Deus: “Maldito quem está só″. Devemos ir à igreja para dar testemunho público de nossa Fé e dar bom exemplo para os outros. E Nosso Senhor nos disse que “Onde dois ou mais se reunirem, em meu nome, Eu estarei entre eles”. Por isso tudo, somos obrigados a ir à Igreja católica.

Não. Não basta então, fechar-se em casa e orar. Devemos dar exemplo e animar os outros a praticar a religião. A sociedade, ela também, é uma criatura de Deus, e ela deve honrá-LO publicamente.

Uma coisa é ter a graça de Deus na alma, e outra é receber o próprio Deus na comunhão. Cristo é quem determinou: “Quem não comer a minha carne, e não beber o meu sangue não terá a vida eterna”.

A comunhão perdoa os pecados veniais, preserva dos mortais, fortalece a virtude e a Fé, e aumenta a graça de Deus em nós.

O pão dos evangélicos é só pão. A Hóstia é o próprio Cristo com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. A diferença entre o pão dos protestantes e a Hóstia católica é infinita.

O Batismo perdoa o pecado original, nos faz filhos adotivos de Deus, herdeiros do céu e membros da Igreja.

O Crisma nos faz soldados de Cristo, dando-nos uma força especial para defender a Fé.

Os católicos recebem as graças de Deus através dos sacramentos, que são os meios estabelecidos por Jesus, para obtermos a graça. Como os protestantes negam o valor de muitos sacramentos, e como eles estão em heresia e, por isso, se tornam inimigos de Deus, os protestantes não podem receber graça satificante nenhuma. Eles vivem em pecado de heresia.

A prática da religião exige que aceitemos as cruzes que Deus nos dá. Aqueles que buscam ser felizes aqui, neste mundo, já receberam a sua recompensa. Jesus nos chamou dizendo: “Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e me siga”.

Ele não nos prometeu a felicidade neste mundo, mas no outro.

Quem morre em seus pecados vai para o inferno. Daí, a necessidade de confessar os pecados a fim de sermos perdoados antes que morramos.

Nós temos um só pensamento. Não é o diabo que pensa em nós. Deus pode nos sugerir bons pensamentos. O diabo só pode nos tentar com imaginações, pois que ele não pode saber o que pensamos. Só Deus conhece nossos pensamentos.

A verdadeira religião de Nosso Senhor Jesus Cristo deve ter 4 notas essenciais.

1 – Deve ser UNA. Deus é um e sua Igreja deve ser una. Una na Fé, ter uma só doutrina. Ter um só Batismo. Um só chefe: o Papa.

O protestantismo não é uno. Ele tem milhares de diferenças doutrinárias. Na realidade, cada protestante tem, cada um, a sua religião particular, na qual cada um é papa, bispo e padre, ao mesmo tempo. Isto é, cada protestante pretende ser e quer ser tudo, e não é nada.

2 – Deve ser Santa A Igreja de Jesus Cristo deve ser santa e santificar seus membros através da graça e dos sacramentos.

As seitas protestantes negam, em geral os sacramentos, recusam os santos e não produzem santos. Só a Igreja Católica pode gerar santos.

3 – Deve ser Católica Católica quer dizer universal, porque Cristo mandou ensinar e batizar a todos: ricos e pobres, judeus e gentios, de todas as raças, e de todas as condições.

4- A Igreja deve ser Apostólica As autoridades da Igreja devem derivar do próprio Jesus Cristo, como sucessoras de Pedro e dos Apóstolos. Jesus Cristo fundou sua única Igreja sobre Pedro a quem disse; “Tu és Pedro, e sobre essa pedra edificarei a minha Igreja” (Mt XVI, 16-20).

E Jesus disse a seus Apóstolos: “Quem vos ouve, a Mim ouve”.

As igrejolas protestantes são seitas fundadas por homens e não por Jesus Cristo.

Esperando tê-la ajudado, me despeço

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Artigos Montfort: Glória a Dom Lefebvre e a Dom Mayer, heróis da fé - Orlando Fedeli

Cartas: Congratulações da Espanha - Orlando Fedeli

Cartas: As diferenças entre a Religião Católica e a Igreja Ortodoxa - Marcelo Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais