Montfort Associação Cultural

25 de abril de 2005

Download PDF

Carta de uma alma fiel a um Sacerdote `ajeitador`

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Ana Lígia
  • Localizaçao: – Brasil

    ESTIMADO ORLANDO, IRMÃO EM CRISTO,
   
    SE UM DIA TIVER TEMPO, POR FAVOR, LEIA O MEU TEXTO E A RESPOSTA DO PADRE.
    EU QUERO SABER, MAS NÃO VOU PERGUNTAR A ELE, ONDE, “TEOLOGICAMENTE, ELE DARIA UM AJEITADINHA”.
   
    MUITO OBRIGADA,

    ANA LÍGIA
 

 
De: Ana Lígia
Enviada em: quinta-feira, 21 de abril de 2005 12:35
Para: Pe. Pedro F. Bassini – Subsecretário Adjunto CNBB
Assunto: Re: Por que a mídia não gosta do novo Papa?

    Olá, Padre Pedro,
    Que bom receber uma resposta sua.
 
    Sim, eu concordo com o texto. E vou dizer porque, se o senhor me der a alegria e a honra de ler até o fim.
 
    O senhor, como padre, provavelmente já “sentiu na pele”, até mais do que eu, que quase 100% das pessoas que formam a mídia não são evangelizadas.
    Para piorar, quase 100% das pessoas do planeta (incluindo a maioria das que se dizem católicas) não são evangelizadas, também. 
 
    1 – Deste modo, são esquerdistas (no mínimo, acham que é sua obrigação demonstrar simpatia para com a esquerda, mesmo que, em suas vidas privadas, queiram mesmo é desfrutar do luxo…);
    e são liberais – adeptas: da prostituição;  da pornografia; do sexo livre com preservativo; de todas as formas de sexo não-criadas por Deus; das relações homossexuais; do aborto; dos métodos anticoncepcionais artificiais e, ao mesmo tempo, da inseminação artificial, cujas pessoas em estado embrionário que sobram, os liberais acham perfeitamente natural que sejam assassinadas para fins terapêuticos… ou cosméticos, mesmo…
    Adeptas: da eutanásia; da liberdade de expressão, por mais deseducadora, sacrílega, blasfema e herética que seja…  Adeptas das práticas da Nova Era… Enfim, adeptas da liberdade que é totalmente diferente da verdadeira Liberdade, da qual falou Cristo.
 
    Eles não sabem que a Igreja Católica Apostólica Romana foi fundada por Cristo, que é Deus, e, portanto, é a verdadeira. Que existe uma Doutrina de A a Z, aprovada e assinada embaixo.
    Para eles, o católico:
    deve ser  submisso e manso e humilde, sim, mas, àquilo que os não-evangelizados querem; 
    deve abandonar os preconceitos, e o que eles chamam de preconceitos são exatamente os conceitos das Teologias Moral, da Ciência, da Saúde, da Educação, da Sexualidade, etc; 
    deve evitar a discriminação, e neste termo eles incluem a Discriminação de Zelo, tão necessária à defesa da nossa Civilização Cristã;
    deve ser tolerante em relação àquilo que é contra o Pensamento de Deus,  ao passo que eles mesmos demonstram uma infinita intolerância para com o que é  verdadeiramente católico…
 
    Pregam o diálogo, sim, mas um diálogo no qual nós assimilemos as “verdades” deles, e, nunca, eles assimilem a nossa Verdade…
 
    Pregam a paz, sim, mas uma paz falsa, na qual os católicos devem ficar calados,  enquanto se instauram e institucionalizam e legalizam as matérias que defendem enfaticamente, através de seu liberalismo desenfreado.
    Nesta falsa paz, Cristo é um homem igualzinho aos fundadores e líderes de outras religiões; e igulazinho aos falsos pacifistas que eles endeusam, incluindo os que trabalharam e trabalham, de modo errado, pelas causas certas.   
 
 
    2 – Então, quando Sua Santidade Bento XVI e  os Pontifícios Conselhos publicarem Encíclicas, Cartas, etc, reafirmando o pensamento de Deus:
    sobre a Divindade de nossa Igreja;
    sobre o Cristianismo não ser compatível com ideologias; 
    sobre assassinato de pessoas nos estados embrionário e fetal, preservativos,  aborto, eutanásia, métodos anticoncepcionais artificiais, etc;
    etc,etc, etc;
    a mídia (e os que se dizem católicos só para tentar demolir a Igreja), vão, literalmente, massacrar o Papa e a Igreja…
 
        Mas, quando Sua Santidade Bento XVI concordar em tomar medidas ecumênicas (preferivelmente maiores e diferentes das medidas ecumênicas definidas pelo verdadeiro Catolicismo), aí, sim, essa mesma mídia e esses mesmos maus católicos, vão louvar o Papa e a Igreja…
 
    3 – Em resumo: a mídia “fará a cabeça” do povo, em relação ao novo Papa;
    afinal, qual o papel da mídia atual, senão ”fazer a cabeça” do povo em relação a tudo no mundo?
    Quem leva as pessoas, até católicas, a aceitar e louvar as pessoas que se prostituem nas revistas como Playboy e homossexuais, e nos programas como Big Brother?
    Quem leva as pessoas  à idolatria da moda e dos modismos? 
    A comprar, aos milhões, os cedês da música que ofende a Deus?
    A aceitar, como padrões, os comportamentos dos personagens de novelas, dos artistas e das pessoas públicas mais desobedientes a Deus?
    A consumir exageradamente, a viciar-se, seja no celular, seja em os vícios mais deletérios à pessoa e à sociedade? 
    A aceitar como normais, as maiores aberrações, como o casamento homossexual, a adoção de filhos por pares homossexuais, a inseminação artificial e até a geração de filhos por parte de homossexuais (através do “supremo sacrifício de ter relações com alguém do sexo oposto”)?
   
    Quem colocou na cabeça das mulheres um preconceito irremovível contra o trabalho doméstico?
 
    Enfim, de tudo de ruim, a mídia pode e deve ser acusada, pelos que realmente adoram Cristo…
 
    4 – Sabe, Padre Pedro, a missão do  Sumo Pontífice, o atual e os futuros, será um martírio. 
    Eles serão verdadeiros exemplos do que disse a Madre Cornélia Connely: “Entre os amigos de Deus, há aqueles que morrem mártires, e também aqueles que vivem mártires. ”
    
    5 – Na verdade, todos os católicos que somos – mesmo pecadores – mansos e humildes em relação à Doutrina milenar da Igreja, e intolerantes em relação às idéias pessoais de bispos, sacerdotes e leigos “independentes” (que atuam, portanto, no sentido de promover a autodemolição da Igreja), já nos sentimos vivendo mártires.
    Sabemos que Cristo salvará a Igreja, mas ficamos inconsolavelmente infelizes, quando vemos católicos ordenados e leigos a exigirem que a Igreja se adéqüe ao erro, ao Mal, ao pecado. 
   
    Muito obrigada pela atenção.
    Peço-lhe sua Bênção.
 
    Em Jesus e Maria,
    Ana Lígia
 

 
From: Pe. Pedro F. Bassini – Subsecretário Adjunto CNBB
To: Ana Lígia
Sent: Friday, April 22, 2005 10:09 AM
Subject: RES: Por que a mídia não gosta do novo Papa?
Prezada Ana Lígia
Fiquei surpreso com o seu texto.
A desenvoltura com que vc escreve e o conhecimento nele embutido.
Teologicamente precisaria de uma “ajeitadinha”
Você demonstra segurança no que escreve e por isso escreve com clareza. Fico contente.
Quanto ao Papa, precisamos esperar para ver quais serão suas indicações.
O mais importante é que a Igreja continua e Deus é Maior.
A evolução cultural deste momento exige uma linguagem adequada  e uma inserção correspondente
às exigencias antropológicas do hoje existencial.
Os costumes e o jeito de ser dos jovens, sobretudo, é novo e a mensagem do Evangelho precisa ser apresentada com uma “cara nova” Evangelizar a pessoa nesta cultura em que ela está, respeitando suas conquista e valores deste tempo.
É impossível evangelizar com uma “doutrina velha” 
Atualizar a linguagem para que o Evangelho seja novo também hoje. Seus valores não podem ser impostos e nem podem impedir o progresso natural da evolução antropológica. Esta é uma necessidade da vida e o Evangelho que é vida, deve acompanhar sendo luz na evolução.
Não quero aqui fazer um livro…
Fico feliz com o seu jeito de ser, continue.
Você já se formou na faculdade?
Já está trabalhando?
Um abraço Pe. pedro 

Muito prezada Ana Lígia ,
Salve Maria!
 
    Meus mais vivos e entusiasmados parabéns por seu texto esplêndido.
    Você deu uma profunda lição de Fé a esse padre que pretende que:

    “É impossível evangelizar com uma “doutrina velha” 
    Dizendo isso, esse pobre Padre, na realidade, abandona a Fé que é eterna e jamais velha ou nova.
    “Verba mea manent in aeternum” nos disse Cristo, enquanto esses pobres sacerdotes, apavorados com o mundo correm atrás da última moda e têm que trocar constantemente de doutrina num evolucionismo permanentemente em evolução. Parecem birutas de aeroporto sempre voltadas para o vento do momento, jamais atentas à voz que vem do céu, ao sopro do Espírito de Verdade. Como Saul querem mais “ouvir a voz do povo” do que a voz de Deus (I Sam., XV, 24).
    Vou publicar sua carta magistral no site Montfort como exemplo de que hoje, apesar da verdadeira apostasia dos padres, a Igreja não morre. Ela está viva nas almas fiéis.
    Deus a recompense eternamente por seu brado de Fé, e ilumine e converta a esse pobre sacerdote que quer dar uma “ajeitadinha” na Fé, quando ele deveria se lembrar de Oza que morreu por tentar dar uma “ajeitadinha” na posição da Arca da Aliança (II Sam., VI,6)
 

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Documentos da Igreja: Catecismo sobre o Modernismo

Cartas: Seminarista herege - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: “Aggiornamento urbano” em Roma - Marcelo Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais