Montfort Associação Cultural

13 de maio de 2007

Download PDF

Caricatura de uma confissão

Autor: Orlando Fedeli

A caricatura abaixo é italiana. No Brasil, ela estaria errada, pois aqui os padres seguidores do Concílio Vaticano II ou arrancaram os confessionários das igrejas, ou, quando eles existem, recebem os fiéis em saletinhas onde brincam de psicanalistas amadores. 

Nessa saletinhas, eles ouvem (sentados) o que os penitentes lhes contam (sentados). Pois que, segundo os padres moderninhos ajoelhar-se é farisaísmo… 

Ora, o Evangelho narra que o fariseu rezava de pé e o publicano de joelhos. E o fariseu não saiu perdoado. E, como conta o Evangelho, no Horto das Oliveiras, Jesus rezou ajoelhado. Portanto, farisaísmo é o que preconizam esses confessores moderninhos e modernistas.
 


Vignetta che descrive perfettamente le condizioni dei fedeli (di tutti i fedeli) dopo quarant’anni di post-concilio.

Caricatura que descreve perfeitamente as condições dos fiéis (de todos os féis) depois de quarenta anos de pós Concílio

Primeiro quadro:
     Penitente: ” Absolva-me , Padre, porque pequei… Cometi adultério com todas as mulheres de meu escritório…”

     Confessor: “Sim, meu filho…”

Segundo quadro:
     Penitente: “… matei uma meia dúzia de indivíduos e roubei as suas carteiras…

     Confessor. “Que mais, meu filho…”

Terceiro quadro:
     
Penitente: “…roubei milhões e os gastei, jogando em Cassinos…”
     Confessor: ” Há alguma coisa mais, filhinho…”

Quarto quadro: 

     Penitente: “… huum… ajoelhei-me durante a Missa”
     Confessor: “O que !? Entendi direito o que você disse? Você vai direto para o inferno por isso!!

TAGS

Publicações relacionadas

Oração e Vida Espiritual: No Domingo, 29/09/2013: São Miguel Arcanjo com comemoração do Décimo Nono Domingo depois de Pentecostes

Cartas: Dons e vocação - Orlando Fedeli

Cartas: Controle de natalidade - Lucia Zucchi

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais