Montfort Associação Cultural

25 de janeiro de 2016

Download PDF

Cardeal Müller: “Quando um ensinamento da fé é expressado de modo infeliz, enganoso ou vago”.

O Cardeal Gerhard Müller, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, concedeu uma importante entrevista ao jornal alemão Die Zeit (aqui traduzida pela Unisinos a partir de um resumo publicado pelo site italiano Vatican Insider), onde examina acusações que são feitas ao Papa Francisco.

Fonte: Unisinos

Quanto ao fato de que alguns “católicos”, pergunta o entrevistador, “insultam o papa chamando-o de herege”, o cardeal responde:

“não só pelo meu ofício, mas por convicção pessoal, eu devo contestar isso. Herege, na definição teológica, é um católico que nega obstinadamente uma verdade revelada e apresentada pela Igreja. Algo completamente diferente é quando um ensinamento da fé oficialmente apresentado é expressado, talvez, de modo infeliz, enganoso ou vago. O magistério do papa e dos bispos não é superior à Palavra de Deus, mas a serve. A constituição dogmática do Concílio Vaticano II sobre a revelação divina também sancionou isso”. A Congregação, afirma Müller, “serve ao papa no seu ofício, para rejeitar um erro na fé”.

O pontífice argentino ressalta que não é a doutrina, mas a misericórdia de Deus que está no centro do cristianismo?

“O Papa Francisco tem o seu estilo de pregação e pastoral, que convence milhões de pessoas. Mas, várias vezes, ele ressaltou que todas as suas declarações e os seus gestos devem ser interpretados no marco do credo católico. A doutrina da fé não é uma teoria construída pelos homens.”

 

O interesse das palavras do Cardeal Müller vem de lembrar da fundamental distinção entre as diversas formas de se expressar de um Papa e em que elas implicam na prerrogativa da infalibilidade, segundo o dogma definido no Concilio Vaticano Primeiro. Como esse assunto é de fundamental importância para os católicos, indicamos alguns textos em que é possível estudá-lo melhor.

Em primeiro lugar um resumo breve da doutrina sobre a infalibilidade do Papa:

Ensinamento ex-cathedra do Papa

Em seguida, um artigo de nosso saudoso Professor Orlando Fedeli, anterior ao ano 2000, explanando em que termos podemos definir nossa adesão ao Papa:

Viva o Papa!

Finalmente, para aprofundar a questão, o excelente e detalhado estudo do Padre Daniel Pinheiro, IBP:

Assentimento ao Magistério

 

 

 

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais