Montfort Associação Cultural

5 de janeiro de 2005

Download PDF

Canonização dos santos

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Marcelo
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Religião: Católica

Caro professor,

Em uma de suas respostas falando sobre a diferença entre adoração e respeito às imagens dos Santos e, ainda, sobre o culto a São Jorge, queria fazer duas considerações.

A primeira, em relação a São Jorge. Foi dito que o Papa é infalível em matéria religiosa (infalibilidade#impecabilidade), porém ficou-se contestando a posição papal de evitar-se o culto a São Jorge, isto não é discutir a infalibilidade do papa?

Segundo. É certo que existe diferença entre adoração e respeito aos Santos, mas será que todos os católicos sabem disto?

Como foi ressaltado no site, existe a veneração a Padre Cícero, que nem Santo é.

O senhor não acha que já é tempo da Igreja começar a evitar tais confusões entre os fiéis. Enfrentar sem temor, estas heresias, sem medo de ser politicamente incorreto, como é moda hoje, ao se permitir missas indígenas, mesclar cultos cristãos com os africanos e outros.

Isto se espalha demasiadamente rápido e pode confundir os católicos tradicionais.

Falo isto porque em uma paróquia que freqüentava ficava-se mais tempo adorando (a palavra é esta mesmo) o santo padroeiro que louvando a Jesus. Inclusive com entrega de “santinhos” por graças concedidas, com a conivência de todos.

Será que só poderei assistir missa ao lado das Irmãs de Maria?

Até quando?

Parabéns pelo site.

Muito prezado Marcelo, salve Maria.

Agradeço-lhe suas palavras de apoio ao site Montfort. Reze a Deus que nos dê as graças para bem prosseguir nesta luta em defesa da Fé.

Os pronunciamentos infalíveis do Papa são acompanhados por fórmulas que tornam claro que o Papa quis se pronunciar, sobre fé e moral, usando o poder que Cristo concedeu a São Pedro. Ora, isto não ocorreu — salvo melhor juízo — na ação de Paulo VI relativa aos santos dos quais não havia claro registro histórico.

Você tem razão ao criticar os que permitem que o povo demonstre devoção de qualquer tipo por pessoas não canonizadas. Isso contraria clara e diretamente as leis da Igreja.

Outrora, o processo de canonização principiava com um “Processo de Não-Culto”.

Caso tivesse havido culto para a pessoa da qual se estudava a causa para ser canonizada, o processo era imediatamente encerrado, por motivo desse culto precipitado, ilegítimo e imprudente.

Que dizer então do fato de considerar santo o Padre Cícero que, infelizmente, não parece ter sido santo, de modo algum?

Também você tem razão em dizer que o povo é deixado na ignorância sobre o que significa a verdadeira devoção a um santo. Poucos pensam em imitar as suas virtudes.

Mas os erros, sobre tudo isso, são de responsabilidade dos que tem a obrigação de cuidar do rebanho, isto é, dos sacerdotes.

A Igreja, enquanto tal, não pode ser acusada pelas culpas de seus membros, discentes ou docentes.

Escreva-me sempre

In Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Meditação e misticismo - Orlando Fedeli

Notícias e Atualidades: Francisco: “Tudo é possível àquele que crê!”

Oração e Vida Espiritual: Extratos da Encíclica Ad Coeli Reginam, de Pio XII

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais