Montfort Associação Cultural

27 de janeiro de 2005

Download PDF

Beatificação de Anne Katherine Emmerich

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Leonardo Barroso Bastos
  • Idade: 27
  • Localizaçao: Manaus – AM – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Religião: Católica

Prezado Orlando,Salve Maria

Leia esta notícia que eu peguei no site ACI digital :

Vidente da Paixão e religiosa italiana também serão beatificadas em 3 de outubro

VATICANO, 20 Set. 04 (ACI) .- A lista de novos beatos anunciada na sexta-feira pela imprensa internacional, subiu para cinco nesta manhã, quando a Santa Sé informou que em 3 de outubro serão elevadas aos altares a vidente alemã Anne Catherine Emmerich, que inspirou o filme A Paixão de Cristo, e a religiosa italiana Maria Ludovica De Angelis.

Segundo o calendário de celebrações que o Pontífice presidirá até o final de dezembro de 2004, a próxima cerimônia de beatificação incluirá os já anunciados Carlos I de Hasburgo, último imperador da Áustria e Rei da Hungria, e os franceses Pierre Vigne e Joseph Marie Cassant.

A religiosa agustiniana, Anne Catherine Emmerich estigmática e extática, nasceu em 8 de setembro de 1774 em Flamsche, perto de Coesfeld na Diocese de Munster, em Westphalia, Alemanha, e morreu em 9 de fevereiro de 1824 em Dulmen. Suas visões estão descritas nos livros “A Dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo de acordo com as Meditações de Anne Catherine Emmerich”, “A Vida da Santíssima Virgem Maria” e “A Vida de Nosso Senhor”.

A italiana Ludovica De Angelis (1880-1962) pertence às Filhas da Misericórdia. Nasceu em São Gregório (Itália). Em 1907, embarcou para Buenos Aires onde trabalhou no Hospital Infantil-

Serena, ativa, decidida, audaz nas iniciativas, forte nas provas e enfermidades, com a inseparável coroa do Rosário nas mãos, o olhar e o coração em Deus e o constante sorriso nos olhos, Irmã Ludovica chega a ser, sem sabê-lo ela mesma, através de sua ilimitada bondade, incansável instrumento de misericórdia, para que a todos chegue a clara mensagem do amor de Deus para cada um de seus filhos.

Faleceu na Argentina em 25 de fevereiro de 1962 e o Hospital Infantil assume o nome de “Hospital Superiora Ludovica”.

***

Pergunta :

Agora eu estou realmente confuso…
Se de fato for verdade o que esta freira fez ( como foi descrito neste site )como é que o Vaticano beatifica uma pessoa assim ?
Será que pode haver uma beatificação errada ? (uma canonização errada eu sei que é impossível).
Preciso que você Orlando, me ajude nesta questão pois realmente eu estou em dúvida…

Fique com Jesus e Maria

Muito prezado Leonardo,
salve Maria!
 
    O primeiro processo de beatificação de Anna Katharina Emmerick foi aberto em 1892 e foi extremamene mal feito — “un vero guazzabuglio” (uma verdadeira confusão),  no dizer jocoso de um perito do Vaticano.
 
    Em 1917, três censores teológicos incumbidos de examinar o processo “super scriptis” — porque naqueles bons tempos examinavam-se os escritos dos Servos de Deus candidatos à beatificação – concluiram que Anna Katharina não fora a principal responsável pelo texto de suas visões, publicados após a sua morte.
 
    Os Cardeais que participavam do julgamento incumbiram o Padre Winfried Hümpfner de estudar o problema da autenticidade da autoria das Visões publicadas como sendo de Anna Katharina Emmerick.
 
    Padre Hümpfner escreveu um livro — La Fede Storica di Clemens Brentano nelle note della Serva di Dio Anna Katharina Emmerick  – mostrando o papel e a responsabiliadade pessoal de Clemens Brentano, o escandaloso secretário da pseudo vidente de Dülmen, na redação das supostas visões dessa freira. O padre pretendia, desse modo, isentar a vidente de toda responsabilidade pelas heresias e erros doutrinários bem graves existentes nas famosas “Visões” dessa freira.
 
    Conseguiu o seu intento:em 1927, a tese do Padre Hümpfner foi acolhida pela Congreação dos Cardeais, e o processo foi reaberto, mas por pouco tempo.
 
    Entretanto, o Santo Ofício, no dia 30 de Novembro de 1928,  vetou o processo de beatificação dessa freira, porque uma possível beatificação dela causaria uma difusão e um crédito nos livros de suas supostas visões, cheias de erros contra a Fé.
 
    Após o Concílio Vaticano II, Paulo VI, em 1973, atendendo a pedido da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho e do Episcopado alemão, reabriu o processo de beatificação dela.
 
    Quando escrevi minha tese de Doutoramento na USP, em 1988, provei que as visões atribuídas à vidente de Dülmen tinham uma forte influência de doutrinas cabalistas e esotéricas. Provei ainda que, embora Brentano tivesse a maior responsabilidade na redação das visões e nas teses nelas contidas, a freira Anna Katharina Emmerick defendia, ou pelo menos tinha muita simpatia por muitas idéias heréticas e esotéricas, mesmo antes de conhecer Brentano.
 
    Ainda que em minha tese eu não discutisse a santidade dessa freira, mostrei que Anna Katharina Emmerick tinha alguns comportamentos escandalosos, que impediam que ela fosse tida como santa. Minha tese, porém, não focalizou a questão da santidade ou não dessa vidente, pois me interessava provar apenas que suas visões eram esotéricas e cabalistas.
 
   Mandei cópia de minha tese ao Vaticano, à Congregação para a Causa dos Santos, tendo recebido uma carta afirmando que se levaria em conta minha tese no processo de beatificação dessa freira.
    
   Realmente, o Vaticano continuou o processo, excluindo dele as “Visoes”.
 
   Admite-se assim de novo, pelo menos implicitamente, que, se fossem consideradas essas Visões, cheias de heresias, ela jamais poderia ser beatificada.
 
    Minha tese fica implícita e indiretamente aprovada: as Visões dela não foram aprovadas pela Santa Sé, pois que tiveram que ser excluídas do processo, para ela poder ser beatificada.
 
    Agora, o processo chega ao fim: Anna Katharina Emmerick será beatificada no próximo domingo.
 
    O veto do Santo Ofício à sua beatificação foi vencido.
 
    Mas o que o decreto previu já está acontecendo agora: a larga difusão e o crédito de suas pseudo visões, cabalistas e esotéricas, vai crescer enormemente.Os gravíssimos erros existentes nos livros de suas Visões serão ainda mais difundidos entre os fiéis, causando imenso mal às almas.
 
    Você me escreve:
 
    “Agora eu estou realmente confuso…
    Se de fato for verdade o que esta freira fez ( como foi descrito neste site )como é que o Vaticano beatifica uma pessoa assim ?”

 
    Certamente, não é so você que está confuso.
    Uma verdadeira confusão geral vai se estabelecer.
 
    E você me faz a pergunta crucial:
   
     ”Será que pode haver uma beatificação errada ? (uma canonização errada eu sei que é impossível)”.

 
     Sim. Pode.
 
    Esse processo e essa beatificação comprovam a tese, geralmente admitida pelos teólogos e canonistas, de que a beatificação de uma pessoa não implica no exercício da infalibilidade da sentença.
 
    Uma beatificação não é ato infalível do Sumo Pontífice.
 
    Essa é então mais uma das centenas de beatificações que chegaram à conclusão depois que o processo de beatificação e de canonização foi “renovado”, deixando de ter o rigor de outrora.
 
    Eu não estou confuso. Continuo acreditando, como é dever de todo católico, na inafalibilidade do Papa, sempre que ele usa o poder dado por Cristo a Pedro, ensinando a toda a Igreja, sobre Fé e Moral, querendo definir algo, e excomungando a tese oposta.
 
    Mas isso não se aplica às beatificações.
 
    In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

Replica

Muito prezado Orlando, Salve Maria

Mais uma vez muito obrigado por ter respondido a carta que lhe enviei sobre a beatificação da freira Anna Katharina e me ajudado no meu fortalecimento da fé católica.Moro a mais de 2000 km do senhor ,mais sempre procuro uma ajuda preciosa neste site .Que Deus lhe pague ,Orlando !
Tudo que eu queria saber era se a beatificação de Anna Emmerick envolvia a infalibilidade papal…Mas o senhor me mostrou que não ,que pode haver uma beatificação errada ( mas nunca uma canonização, graças á Deus)!
É triste mesmo constatar que no pontificado de João Paulo II aconteça este tipo de coisa , logo que nestes últimos anos o papa tenha lançado documentos tão bons na defesa de uma missa mais digna ( Dominus Jesus, Eclesia ,Sacramentum…).Lamentável isso agora ocorrer quando o pontificado dele talvez esteja no fim…
De qualquer forma foi mais um aprendizado que tive da minha religião,e mai uma vez obrigado ,Orlando.Fiquem com Jesus e Maria você e todo o grupo da Montfort porque:

Eu não estou mais confuso !

Muito prezado Leonardo,
salve Maria!
 
    Fico bem contente por tê-lo ajudado a se desembaraçar de uma dúvida.
     Você afirma que admite que as canonizações sejam infalíveis.  Até há pouco, eu tinha a mesma posição. As inúmeras canonizações feitas nos últimos tempos tem levado os teólogos a  estudarem e debaterem esse problema.   
    Para a maioria dos teólogos as canonizações são tidas como atos infalíveis do Papa.
    Entretanto, como sempre houve quem negasse que as canonizações envolvessem a infalibilidade papal, a matéria era tida como de livre discussão.
    Recentemente saiu um estudo, em Roma, e  de autoria de um especialista  que trabalha na Congregação para a Causa dos Santos–a  Congregação responsável pelos processos de Canonização e de Beatificação — negando que as canonizações sejam infalíveis. Logo mais, publicaremos esse estudo no site Montfort.
    Ele nos ajudará a tomar uma posição mais fundamentada nessa questão candente.
Um abraço amigo in Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Mais Sobre o Uso do Véu - Ivone Fedeli

Cartas: Desonestidade intelectual contra o Prof. Felipe Aquino - Orlando Fedeli

Cartas: Heresias de um membro da ´Pastoral da Juventude` - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais