Montfort Associação Cultural

17 de janeiro de 2005

Download PDF

Batismo de crianças

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Ricardo Alexandre Flegler De Almeida
  • Idade: 27
  • Localizaçao: Cariacica – ES – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Profissão: Analista De Suporte Técnico
  • Religião: Católica

Caros irmãos do site Montfort,

Salve Maria, “Mãe de meu Senhor” (S. Lucas, I, 43)
 ( Me desculpem pelo plágio ! )

Conheci este abençoado site em meu serviço e não consigo ficar um dia sem acessá-lo ! ( visto que ele responde a diversas dúvidas de nós católicos ) .

Este trabalho é simplesmente m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o !!!

Sou católico ( praticante ) há 4 anos e hoje sinto tristeza em não poder ter tido esta experiência a mais tempo.

Eu nasci numa família Católica Apostólica Brasileira, onde fui batizado. Fiz parte desta igreja pelo menos até meus 6 anos de idade, quando minha mãe resolveu frequentar a igreja Deus “Davi Miranda” é Amor. Foi um tempo difícil, pois minha mãe vivia doente e tentava se curar frequentando os cultos ( ou seriam shows ? ) realizados nesta igreja. Passados alguns anos, quando eu já estava com 9 anos, começamos a frequentar a Igreja Católica Apostólica Romana, porém eu e minha família não éramos praticantes, íamos por ir. Quando completei 10 anos fui batizado e logo após, aos 12 e 15 anos, fiz a primeira comunhão e crisma respectivamente.

Depois disso parei de frequentar a igreja. Quando completei 22 anos, minha noiva e eu recebemos um convite de um amigo para participarmos de um encontro da pastoral familiar e, a partir deste dia, graças a Deus, novamente descobri o prazer de ser CATÓLICO ! Descobri que em nenhuma outra igreja posso viver, ver e sentir a plenitude da salvação. A  igreja católica é a única que me dá esta graça !

Hoje, 4 anos depois da minha volta a Única e Verdadeira Igreja de Jesus Cristo, me sinto feliz a cada dia que se passa ! E não canso de dizer e repetir para quem quiser ouvir ” SOU FELIZ POR SER CATÓLICO”. Toda minha família não só frequenta como trabalha em minha comunidade. Minha noiva e eu fundamos uma equipe de acolhida, além de sermos os animadores de crisma.

Sou também o vice-coordenador da comunidade. Na falta do padre, sempre presido as celebrações e também faço homilias. Estou também cursando o 2´º período do curso de Teologia para Leigos.

Bom, acho que já falei demais ! Só queria deixar registrado neste abençoado site, meu testemunho ! O testemumho de uma pessoa que hoje descobriu a verdadeira igreja de Jesus Cristo : a IGREJA UNA SANTA CATÓLICA E APOSTÓLICA, a ÚNICA fundada pelo filho de Deus,

Jesus Cristo !!!
 
PS. Gostaria, se possível, que vocês me explicassem detalhadamente porque a Igreja Católica batiza crianças ( visto que os evangélicos só batizam depois de adultos ). Esta é uma questão na qual possuo pouco base.
 
Atenciosamente,
 
Ricardo Alexandre  

Muito prezado Ricardo,
salve Maria!
 
    Muito obrigado por suas generosas palavras de elogio ao site Montfort. Peço-lhe que reze a Deus Nosso Senhor que nos mantenha em seu santo serviço.
 
    Dou graças a Deus por tê-lo conduzido à Igreja Católica, após ter percorrido caminhos tão desviados como o da seita do tal  Davi Miranda
 
    A Igreja batiza as crianças, porque enquanto a criança não for batizada, ela não é filha adotiva de Deus. Convém, então, que, o quanto antes, ela seja livre do pecado original. Pelo Batismo a criança tem perdoado o pecado orignal, torna-se filha adotiva de Deus, membro da Igreja Católica, herdeira do ceú, passando a viver na graça de Deus.
 
    Nos Atos dos Apóstolos se lê que São Paulo, quando estava preso e houve um terremoto, o carcereiro se converteu, porque São Paulo não fugiu. E então São Paulo o batizou, “com toda a sua família” (Atos XVI, 33).
 
    É de supor que foi com os seus filhos pequenos, visto que naqueles tempos ainda não havia a “familia moderna”, sem filhos.
 
    Assim como um pai, por ser dono de seu filho, o vacina contra a poliomelite, sem pedir a ele se quer, ou não, ser vacinado, do mesmo modo, o pai tendo fé, e sendo dono de seus filhos, tem o direito e o poder de fazê-los batizar, pois conhece o bem do Batismo. 
 
     Você me comunica que “Na falta do padre, sempre presido as celebrações e também faço homilias“. Peço-lhe que estude a encíclica Ecclesia de Eucharistia e o decreto Redemptionis Sacramentum do Papa João Paulo II, que tratam desses temas e dão as regras que se devem obedecer nessas questões, proibindo, por exemplo, que o leigo faça homilias.
 
    Rogando a Deus que sempre o ajude, me despeço, muito contente por tê-lo como um novo amigo.
 
    In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais