Montfort Associação Cultural

9 de dezembro de 2011

Download PDF

Assassinato de Hipácia de Alexandria

Autor: Marcelo Andrade

  • Consulente: Cristiane Pinto
  • Localizaçao: Foz do Iguaçu – PR – Brasil
  • Religião: Católica

Os ateus adoram afirmar que Hipátia de Alexandria, uma filósofa pagã, foi assassinada por cristãos fanáticos nos primórdios do cristianismo. O fato de ser uma filósofa pagã (num meio predominantemente cristão) é tido como um dos fatores que contribuíram para que fosse assassinada. O problema é que se atribui motivos religiosos para o assassinato.
Gostaria de saber se Hipátia foi assassinada por esse motivo mesmo, ou se houve algum outro motivo. E se os cristãos realmente a mataram. Também gostaria de saber se São Cirilo mandou matá-la. O filósofo pagão Damáscio atribui explicitamente o assassinato ao patriarca, que invejaria Hipátia. E gostaria de saber se os cristãos destruíram mesmo a Biblioteca de Alexandria.
Gostaria de saber para poder refutar, caso trazerem este assunto à tona.
Desde já, agradeço e aguardo as respostas.

Salve Maria, Cristiane.

     A história de Hipácia veio à tona recentemente, ao que parece, por causa de um filme de nome “Ágora” .  Trata-se de uma propaganda anti-católica e mentirosa.

     O único autor, conhecido, contemporâneo de Hipácia (morta em 415) que escreveu sobre sua morte, é Socrates Scholasticus (nascido em 380). Ele deixa claro que a motivação da morte de Hipácia foi política e quem liderou o assassinato foi um tal de Pedro, o leitor. Não há nada que ligue São Cirilo ao crime. E se Pedro, o leitor, era batizado, isto não prova nada, muito menos demonstraria qualquer motivação religiosa para a morte de Hipácia.

     As fontes que os ateus e inimigos da Igreja usam são todas anacrônicas. Interessante notar que eles ignoram solenemente a única fonte da época dos acontecimentos.
     
     Quanto à Biblioteca de Alexandria, ela foi destruída, ao menos em parte, por Júlio César em 47 A.C. Ela foi reconstruída junto ao Serapeum (templo de Serápis) e passou por novas destruições, com Aureliano e Diocleciano. O bispo Teófilo construiu uma Igreja onde ficava o templo, já em ruínas.

Marcelo Andrade

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Igualdade na ignorância, fruto da Revolução Francesa - Orlando Fedeli

Cartas: A conversão de Voltaire - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Rosas - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais