Montfort Associação Cultural

23 de agosto de 2004

Download PDF

Ankh ou cruz com laço

  • Consulente: Júnior
  • Idade: 21
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Profissão: Estudante
  • Religião: Católica

È um prazer escrever pra ti, Orlando Fedeli.
Recentemente ganhei de presente um colar, com um crucifixo diferente-o
“Ankh” ou conhecido popularmente com “cruz com laço”.
È um crucifixo da antiga igreja egípcia. Quase igual ao símbolo que
representa Vênus. Vi num filme que este símbolo representa a esperança de
vida neste mundo e o sopro de vida no outro mundo, porém já no livro do Pe.
Alberto Gambarini -Católico pode ou não pode? Por quê?- na página 125, está
escrito que “simboliza o deprezo da virgindade, de troca a parceiros
conforme a escolha pessoal. O movimento Nova Era ensina que a sexualidade é
a parte que purifica o seu humano, eleva o espírito e embeleza o corpo. È a
volta ao paganismo antigo, cujos deuses promoviam as danças com barulho
excessivo, as orgias, a prostituição ritual etc.”
Afinal há algum mal em usar esse apetrecho em forma de cruz e com um
círculo na parte superior?

Caro Junior,
Salve Maria!

O uso de símbolos nos afetam sim, pois identificam o que pensamos e em que acreditamos. Você por exemplo, usaria uma suástica nazista?

Ninguém, em sã consciência, não sendo nazista, usaria uma suástica nazista, pois esta evoca a lembraça do massacre de milhões de seres humanos inocentes.

Da mesma forma, não é lícito que um cristão use um símbolo pagão, pois o mal que os nazistas fizeram materialmente, o paganismo o faz espiritualmente, afastando as pessoas da salvação eterna.

Sancte Michael Archangele,
Defende nos in praelio

Paulo Sérgio R. Pedrosa

TAGS

Publicações relacionadas

Oração e Vida Espiritual: Oração pelas vocações sacerdotais e pela Santificação do Clero

Cartas: Quem me dera! - Orlando Fedeli

Cartas: Reza ou Oração Espontânea?

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais